Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Exquisite Replicas: Máscaras, terror e paranóia!

Iremos falar hoje sobre mais um RPG interessante que está preste a ser lançado. Como de costume, antes de entrarmos em seu conceito a fundo, iremos explorar um pouco os demais jogos publicados por esta pequena editora, a Abstract Nova Entertainment.

Capa de AletheiaO mais famoso deles é Aletheia (palavra particularmente apelativa para algumas áreas das ciências humanas, que significa de forma bastante literal, des-esquecer), um jogo que por sua premissa simples se tornou bastante incomum. Neste RPG você interpreta um pesquisador/investigador de fenômenos estranhos e paranormais, em um mundo sem as nuances de um terror psicologizante e assustador ou uma grande reunião de teorias conspiratórias, o cenário é simples e apresenta uma história concreta e finita, sem apelar para nenhum destes lados (horror ou conspiração). Em Aletheia os jogadores representam membros da Sociedade dos sete cães (Seven dogs Society, um nome bastante peculiar), um grupo de pesquisadores que visa descobrir a natureza da realidade. Para tanto eles se valem de muito método científico, conhecimento ocultista e alguns poderes psíquicos (uma mistura de Arquivo-X, C.S.I. e X-men) para realizar sua busca. O Sistema utilizado no jogo é bastante simples e parece apto para resolver os dilemas investigativos que o mesmo se propõe a tratar, e me lembra muito o Gumshoe. Uma das coisas que mais chama atenção é o seu sistema de premiação de experiência, bastante inovador. Basicamente, depois de terminada a sessão, os jogadores devem redigir um tratado em moldes “científicos”, onde tentam explicar os fenômenos que presenciaram, através de hipóteses, referências e etc. O narrador avalia o grau de precisão do projeto e premia os jogadores quando eles forem capazes de explicar o fenômeno.

Por fim, uma última coisa a se comentar sobre Aletheia é a forma concreta pela qual este livro foi escrito. O cenário não apresenta pontas soltas, explicando tudo que o mundo é realmente e dando centenas de dicas de como criar crônicas onde os personagens aos poucos descobriram a verdade acerca da realidade.

Capa de NoumenonDepois do mais conhecido RPG da Abstract Nova Entertainment, irei explorar um dos mais interessantes: Noumenon (que ganhou o título de RPG mais estranho já publicado na RPGnet). Em poucas palavras, no jogo você interpreta um inseto preso em uma metáfora semiológica. A grande verdade é que é muito difícil escrever sobre o jogo de forma mais clara. Os Sacorphagi (os seres meio-inseto meio-homens com os quais se joga) são prisioneiros em um lugar chamado Silhouette Rouge, um complexo meio labiríntico onde cada sala representa um eningma filosófico, literário ou escatológico (no sentido “purgatorial”), não se sabe o que é ele, mas se sabe que uma vez um Sarcophagi conseguiu fugir de lá ao compreender/realizar os nove enigmas centrais espalhados pelas 78 salas do complexo. O sistema, tenta trazer a tona a forma de agir como colônia, típica dos insetos. Todas as funções básicas são reforçadas quando realizadas em conjunto com os demais membros da colônia, e mesmo os pontos de vida são únicos para o grupo que lá vive. Obviamente as mecânicas são a coisaCapa de Heaven & Earth menos relevante em um jogo absolutamente bizarro como esse.

O jogo que chama menos atenção é Heaven & Earth, onde os jogadores interpretam pessoas comuns que vivem em uma pequena cidade do Kansas, o centro de uma batalha das forças entre o céu e o inferno, o provável marco zero do apocalipse que surgirá. Mecânicas simples e bem resolvidas, os livros (a editora chegou a lançar um suplemento) se focam mais nesse cenário de completa absorção do cotidiano pela batalha divina e final. É de longe, o cenário mais cultivado em matéria de extras, com diversos textos para sua complementação sendo lançados com freqüência.

Finalmente chegamos ao livro que o artigo pretende abordar, que se trata do novo trabalho da Abstract Nova Entertainment: Exquisite Replicas. Eis a premissa básica do jogo:

Uma realidade alienígena está infiltrando nosso mundo, substituindo-a pedaço a pedaço. Criaturas horríveis espreitam invisíveis, roubando indiscriminadamente os seres humanos e deixando cópias idênticas no local. Esses simulacros são indistinguíveis dos originais, e não há como saber quem será o próximo alvo, do carteiro na esquina, ao empresário na mansão. Uma pessoa pode ser replicada e substituída… seus vizinhos, seus amigos, sua família – qualquer um. Até mesmo você.

Capa de Exquisite ReplicasExistem alguns poucos homens que são capazes de enxergar os invasores que rastejam sob o nosso mundo. Eles podem sentir quando uma pessoa ou objeto é falso, infelizmente, não é possível de provar isso para mais ninguém que já não detenha a visão. Eles fazem uma guerra velada contra as forças do Outro Lado, enquanto aqueles que eles juraram proteger não são capazes de reconhecer seus sacrifícios. Eles são os Anônimos, nomeados por que escondem suas identidades por trás de uma máscara.

Para substituir uma pessoa, Aqueles do Outro Lado (Othersiders) precisam primeiro “escanear” a face e as memórias da vítima. As máscaras dos Anônimos servem a diversos propósitos, mas o mais importante deles é a proteção contra a replicação. Deixar uma face descoberta é transforma-la em um alvo, e os membros dos Anônimos conhecem a terrível sina que recai sobre aqueles que o fizeram. As máscaras são mais do que simples ferramentas, elas são um símbolo da separação e da alienação na sociedade experienciada por aqueles que podem ver.

Os Anônimos são heróis trágicos. Sua luta com Aqueles do Outro Lado colocou cicatrizes profundas em sem mebros. Algumas destas são cicatrizes físicas, mas a maioria é psicológica. Toda guerra é um fardo para a psique humana, mas quando os soldados nunca são louvados ou reconhecidos em sua luta, quando aqueles que morreram protegendo seus entes queridos nunca serão lembrados, o resultado se torna ainda mais vil. Os anônimos podem perder mais do que a vida no conflito contra o inimigo, eles arriscam a sua própria humanidade.

Arte interna de Exquisite Replicas

Para lutar esta guerra, essas pessoas irão detsruir tudo aquilo que para elas significava suas vidas comuns. Os mascarados Anônimos irão provavelmente recorrer a coisas como o roubo para proteger suas comunidades do roubo maior proferido pelos invasores do Outro Lado. E enquanto itens substituídos obviamente deverão ser destruídos, o que dizer dos simulacros daqueles que amamos? Podem estas pessoas comuns, pressionadas por questões tão bizarras se tornarem assassinos? Ainda sim suas vítimas não são pessoas de verdade, não é mesmo? E a palavra assassinar não é usada em tempos de guerra. Independente de justificativas, aqueles personagens que acordarem como Anônimos serão para sempre transformados… pela guerra, por suas experiências, por si mesmo…

Exquisite Replicas é um RPG de paranóia e horror onde escolhas intoleráveis colidem com a frágil esperança do que é ser humano. Uma guerra deve ser vencida, mas cabe aos jogadores determinarem a que custo. O jogo ficará pronto em agosto, e parece possuir uma boa premissa. As mecânicas são basicamente as mesmas dos demais jogos da editora.

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Bendis fala sobre a Mulher-Aranha

Próxima publicação

Universo Ultimate deve continuar após Ultimatum?!

Comentários 6
  1. Uma pergutna interessante Felipe, vc joga/ narra ( se é que o faz ) atualmente quais desses jogos que tanto anuncia aqui no Ambrosia ?
    Pq são materiais muito bons, e eu memso gostaria de conhecer um ou outro destes.

  2. Interessante este novo RPG, apesar de eu achar que tem outros que trabalham com este tema de terror/moral mais interessantes.
    Apesar do jogo parecer muito bem estruturado na questão que mais me atrai eno RPG (que é a exploração da psiquê humana), essa questão de aliens substituindo a realidade dos seres humanos, sei lá, acho muito simplificado, até mesmo meio bobo…
    O que me chamou mesmo a atenção foi o “inseto preso em uma metáfora semiológica” muito mais genial este 🙂
    Mas a mecânica do jogo ainda ficou muito nebulosa…

  3. hahahaha.. é muito secret invasion….
    eu fico espernado pessoas para narrar esse tipo de jogo…. por exemplo, eu narro atualmente uma mesa de Mage e Promethean, estou estudando a idéia de fazer um live de Falkenstein, e one shots de cold city/hot war e o livro do Dark Ages Cthulhu que comprei semana passada…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir