Com o lançamento de Eternos, entenda o sucesso do Universo Cinematográfico da Marvel

20
0

Em décadas de cinema, muito se soube do segredo dos chamados “blockbusters”. A fórmula do sucesso que envolve comédia, ação, com filmes impactantes, mas que o espectador consiga captar a mensagem de forma simples. Olhando por esse ângulo, é possível compreender o motivo pelo qual os filmes da Marvel fazem tanto sucesso.

Ter super-heróis, explosões, músicas épicas, tecnologia, humor e sentimento são grandes atrativos. Porém, surge uma questão: como a Disney, dona da Marvel Studios, conquistou a segunda maior bilheteria do planeta com um filme que só era compreendido em sua totalidade mediante a todos os outros do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU)?

Com o lançamento de “Eternos”o MCU traz mais um entre seus 26 filmes conectados por um único universo – daí o nome MCU. Além de ter no elenco grandes nomes – como Angelina Jolie, Richard Madden e Kit Harrington, o filme está entre os sucessos da Disney. “Eternos” faz parte da chamada Fase 4, que sucede a grande bilheteria de “Vingadores: Ultimato”. O longa de 2019 foi responsável por angariar US$ 2,798 bilhões na bilheteria e se consagrou como a segunda maior da história.

Embora Endgame tenha se consolidado entre as gigantes bilheterias, é um fato que a maioria dos filmes da Marvel também arrecada muitos milhões no cinema. E isso porque essas produções contam com a tão famosa “Fórmula Marvel”, que consiste basicamente em trazer ao público um conteúdo que causa impacto com uma pitada de humor, inovação e muita nostalgia.

O sucesso dos filmes de herói

Para entender o sucesso da maior franquia de Hollywood, é preciso reparar que os 26 filmes não são apenas mais uma série para maratonar. São 13 anos acompanhando os mesmos heróis, resultando em momentos que os fãs se conectam à rotina do cinema, acostumados a verem as batalhas por um momento final. São 13 anos de filmes conectados, de teorias concretizadas, de um laço intenso criado com o público.

Dessa forma, não é difícil entender por que “Vingadores: Ultimato” fez tanto sucesso. Se pegarmos um telespectador mediano do MCU, que hoje tem em torno de 25 anos, nota-se que ele passou a maior parte da adolescência e vida adulta acompanhando seus heróis favoritos no cinema.

É aquela pessoa que, em 2008, no auge de seus 12 anos, assistia pela primeira vez à estreia do “Homem de Ferro”. E 13 anos mais tarde, viu Tony Stark como um dos maiores heróis da franquia morrer em batalha em seu último ato de heroísmo. Isso tudo ao lado de outros heróis favoritos, em um grande crossover que gerou uma imensa expectativa.

Olhando por esse lado, é compreensível que esse espectador vibre, chore, ria e continue acompanhando o MCU, porque, de alguma forma, a franquia se conectou com uma parte importante da vida dele, e é justamente esse sentimento de nostalgia que conquista o público.

É claro que esse é apenas um dos fatores da “Fórmula Marvel” de sucesso. Um outro que vale a pena encarar é a expectativa. Desde 2012, o MCU vem dando indícios da chegada do vilão principal, posto que Thanos aparece na primeira cena pós-créditos de “Avengers: Os Vingadores”. Ou seja, desde essa época, Foi sendo construída uma saga que se baseia em uma grande expectativa para encerrar parte dela em Endgame.

Por que o sucesso mesmo após Ultimato?

É de se esperar que, após o encerramento da jornada de alguns dos principais heróis, a Marvel perdesse um pouco de sua força nas bilheterias. No entanto, mesmo com a pandemia, o efeito foi o oposto: o MCU segue trabalhando de forma conectada, com novos heróis que já se conectam ao público e refletem a consequência dos acontecimentos daquele universo. 

É o que se nota nas séries novas, como “WandaVision”, “Falcão e o Soldado Invernal” e “Loki”. Uma mistura não apenas de alguns dos personagens “secundários” favoritos, como também de temas muito atuais – a convivência com a solidão, o que é ser herói e as consequências dos atos que tomamos.

É por esse e muitos outros motivos que a Marvel ganha bilheteria ano após ano. Esse laço criado com o telespectador vai além da fórmula mágica dos “blockbusters”: ele entra no dia a dia, se torna rotina e vira um traço de personalidade. E assim a franquia segue em alta, vendendo além dos filmes – a ver pelas promoções de Black Friday de produtos relacionados aos heróis favoritos das novas gerações.

Escrito por Luiza Vilela

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *