Na onda dos remakes, relembre 12 célebres refilmagens

37
0

Os remakes chegaram para ficar em Hollywood, certo? Na verdade eles sempre estiveram por lá, mas muitas vezes ninguém sabia que se tratava de um. Hoje estão em cartaz um remake de “Ben-Hur”, “Sete Homens e um Destino” e “Meu Amigo Dragão”, e essa semana foi anunciado mais um: “O Rei Leão” da Disney. O clássico vai ganhar versão live action com animais CGI, usando a mesma técnica de “Mogli: O Menino Lobo”, e será dirigido por Jon Favreau.

Pegando carona nessa onda de remakes, vamos lembrar aqui de algumas refilmagens célebres, sendo que algumas delas muita gente não sabe que é uma versão

Eu Sou A Lenda

O filme de ficção pós-apocalíptica estrelado por Will Smith em 2007 é, na verdade, a terceira adaptação do livro de Richard Matheson de mesmo nome. A primeira, “The Last Man On Earth”, de 1964, com Vincent Price, e a segunda, “The Omega Man”, de 1971, era estrelada por um Charlton Heston pós-Planeta dos Macacos.

 

A Mosca

David Cronenberg conduziu com maestria a versão anos oitenta do clássico do horror “A Mosca da Cabeça Branca”, de 1958.

 

Ben-Hur

Clássico absoluto, recordista do Oscar até hoje, com onze estatuetas (Titanic e O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei apenas empataram), Ben-Hur ganhou esse ano um desnecessário remake que não vem tendo um bom boca-a-boca. Porém, O film estrelado por Charlton Heston já não era a primeira versão cinematográfica do romance bíblico escrito por Lew Wallace, publicado em 1880. A original é de 1925.

 

11 Homens e um Segredo

A ação entre amigo s de George Clooney em 2002 é inspirada em outra ação entre amigos, de Frank Sinatra e seu Rat Pack em 1960.

Scarface

A obra-prima de Brian De Palma, protagonizada por um Al Pacino virtuoso, é um dos melhores filmes de gângster já feitos em Hollywood. De tão perfeito eclipsou a obra que o inspirou, o filme “Scarface: A Vergonha de Uma Nação”, de 1932.

 

Viagem Insólita

Apadrinhado por Steven Spielberg, que já havia produzido o seu “Gremlins”, Joe Dante realizou a divertidíssima viagem ao corpo humano em 1987, que, na verdade, era inspirada no filme “Viagem Fantástica”, de 1966.

 

A Bolha Assassina

Trinta anos depois do original, a versão de 1988 de “A Bolha Assassina” é uma diversão competente, com um delicioso clima trash.

 

Três Solteirões e Um Bebê

Americanos são conhecidos por não terem muita paciência com legendas, então fazem refilmagens de filmes estrangeiros e fica tudo certo. O sucesso de 1986, dirigido pelo saudoso Spock Leonard Nimoy, é um remake do filme francês “Trois Hommes et un Couffin”.

 

Os Infiltrados

O reconhecimento da Academia de Hollywood a Martin Scorsese se deu com esse filme de 2006, que é uma refilmagem do japonês “Conflitos Internos”, de 2002.

 

Perfume de Mulher

Impossível pensar no filme sem lembrar daquele delicioso tango bailado por Al Pacino e Gabrielle Anwar. Mas o filme é um remake do italiano homônimo (Profumo di Donna), de 1974.

 

Sete Homens e Um Destino

O clássico de 1960, que acabou de ganhar nova versão, é uma refilmagem de “Os Sete Samurais”, de Akira Kurosawa. Troque os samurais do Japão feudal pelos pistoleiros do oeste selvagem e fica clara a inspiração.

 

O Mágico de Oz

Sim! O clássico infantil de 1938 já era a segunda adaptação cinematográfica da obra literária de L. Frank Baum, “O Maravilhoso Mágico de Oz”. A primeira versão é um filme mudo de 1925. Antes, porém, houve um curta de 1910 e um filme de 1914 vagamente inspirado, “His Majesty, the Scarecrow of Oz”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *