Do dramaturgo Gregory Burke, Gagarin Way faz curta temporada na SP Escola de Teatro

Montagem dirigida por Marco Antonio Rodrigues, tem no elenco Flavio Tolezani, Rafael Losso, Fernando Nitsch e Laerte Mello
Do dramaturgo Gregory Burke, Gagarin Way faz curta temporada na SP Escola de Teatro – Ambrosia

Consagrado no Festival Fringe de Edimburgo, em 2001, ano em que foi escrita pelo dramaturgo escocês Gregory Burke, o espetáculo teatral GAGARIN WAY (mind the gap), faz curta temporada, de 9 a 25 de junho, na Sala Vange Leonel da SP Escola de Teatro. A montagem, com direção de Marco Antonio Rodrigues, reflete causas políticas e leva ao palco a explosiva trama de quatro personagens que se encontram no vão entre a opressão e a violência, com humor ácido e ênfase nas desigualdades sociais. No elenco, os atores Flavio Tolezani, Rafael Losso, Fernando Nitsch e Laerte Mello. Entrada gratuita.

Ambientada nas fábricas de West Fife, Gary, um operário cansado e deprimido e com ideais socialistas decide sequestrar um executivo do alto escalão chamado Frank (Laerte Mello) com a ajuda de seu amigo Eddie. A dupla leva o industrial para a fábrica de computadores, onde se passa a trama, vigiada pelo segurança Tom, jovem recém-formado em Ciências Sociais e Política que acredita num possível acordo entre capitalismo e socialismo.  

“A escolha do texto dialoga com a falta de perspectiva política que vivemos recentemente e com os embates provocados nas divergências de classe”, diz Marco Antonio. A iniciativa de montar Burke surgiu em 2022 por meio de uma pesquisa de Losso, Tolezani e Marco Antonio Rodrigues, desenvolvida na SP Escola de Teatro em uma residência artística, que tinha no alicerce reflexivo a questão “O que é um ser humano no Brasil atualmente?”, a partir da presente polarização política mundial. Gregory Burke aprofundou em GAGARIN WAY a investigação das causas proletárias em meio às representatividades da esquerda na política frente à ascensão da extrema direita dominada pelo capitalismo em desmantelamento.  

Sinopse

Gary é um operário deprimido e esgotado, pai de três filhos, imerso em um casamento fracassado. Seus ideais socialistas o levam a se manifestar de forma decisiva ao sequestrar um executivo do alto escalão como forma de manifesto. Eddie, seu amigo e parceiro no sequestro, é um niilista prestes a eclodir. O outro personagem é Tom, um jovem mais sonhador, recém-formado em Sociologia e Política, que acredita poder conciliar capitalismo e socialismo e que trabalha como segurança na fábrica de computadores que serve de cativeiro na ação.

Sobre Gregory Burke

Nasceu em Dumferline, na Escócia, em 1968. Depois da Universidade, Gregory Burke ‘realizou uma série de trabalhos dentro da economia de salário-mínimo’. Em 1998, sem conhecer ninguém no meio teatral, enviou para o Traverse Theatre de Edimburgo a peça Rua Gagarin, que viria a ser um dos maiores sucessos de sempre do Festival de Edimburgo, com encenação de John Tiffany em 2001. A seguir, veio The Straits, que John Tiffany também dirigiu e que se baseia na juventude do autor em Gibraltar durante a Guerra das Malvinas. Em 2006, obteve novo triunfo em Edimburgo com Black Watch, escrita para o National Theatre of Scotland, e dirigida mais uma vez por John Tiffany, tendo sido representada no Reino Unido, Los Angeles e Nova Iorque. As suas peças estão traduzidas para francês, italiano, russo, alemão, espanhol. Outras peças do autor: The Chain Play, Debt, Liar, On Tour, The Party, Occy Eyes, Unsecured e Shellshocked.  

Ficha Técnica

Texto: Gregory Burke. Tradução: Rodrigo Haddad. Direção: Marco Antônio Rodrigues. Assistente de direção: Marcella Vicentini. Elenco: Fernando Nitsch, Flavio Tolezani, Laerte Mello e Rafael Losso. Cenografia: Márcio Medina. Cenotécnico: Ciro Schu. Aderecista: Walkir Pedroso. Direção de vídeo e designer visual: Zeca Rodrigues. Operação de vídeo: Allysson Lemes. Assistente de operação de vídeo: Aline Almeida. Desenho de luz: Gabriele Souza. Operação de luz: Cleber Eli. Contrarregragem: Lua Nucci. Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro – Ofício das Letras. Fotografia: Caio Oviedo. Produção: Corpo Rastreado. Realização: Associação dos Artistas Amigos da Praça e SP Escola de Teatro. Agradecimentos: Xexéu Tripoli, João Faria, Sônia Goussinsky, Musicalis Núcleo de Música e Estela Gontow Goussinsky.

Do dramaturgo Gregory Burke, Gagarin Way faz curta temporada na SP Escola de Teatro – Ambrosia
Do dramaturgo Gregory Burke, Gagarin Way faz curta temporada na SP Escola de Teatro

Serviço

GAGARIN WAY (mind the gap)

Autor: Gregory Burke

Temporada de 09/06 a 25/06

Sexta a domingo

Sextas às 21h

Sábados às 18h e às 21h

Domingo às 18h

Local: Sala Vange Leonel – 4° andar da SP Escola de Teatro Unidade Roosevelt Praça Roosevelt, 210 Centro, São Paulo, SP 

ENTRADA GRATUITA 

Ingressos via Sympla e uma hora antes na entrada da SP

Link: https://www.sympla.com.br/produtor/spescoladeteatrodigital

OBS: também haverá uma quantidade de ingressos que serão distribuídos uma hora antes de cada apresentação, no hall de entrada da SP. 

Sede Roosevelt: (11) 3775-8600

Total
0
Links
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ant
Uma nova versão para o clássico da MPB “Bye Bye Brasil”
Uma nova versão para o clássico da MPB "Bye Bye Brasil" – Ambrosia

Uma nova versão para o clássico da MPB “Bye Bye Brasil”

Nova versão de Lelia Pinheiro, Roberto Menescal, Diogo Monzo e Ricardo Bacelar

Prox
João Fênix e Moyseis Marques lançam dueto para “Desabafo”
João Fênix e Moyseis Marques lançam dueto para “Desabafo” – Ambrosia

João Fênix e Moyseis Marques lançam dueto para “Desabafo”

Acaba de chegar às plataformas o encontro das vozes de João Fênix e Moyseis

Sugestões para você: