em

CCXP 2018: Painéis da Netflix trazem Andy Serkis, Cavaleiros do Zodíaco e The Umbrella Academy

Na noite deste sábado (8), durante a CCXP, em São Paulo, foram realizados os dois primeiros painéis da Netflix, mostrando algumas de suas novidades para os próximos meses.
O primeiro foi dedicado a “Mogli: Entre Dois Mundos” (“Mowgli: Legend of the Jungle”), que busca mostrar uma visão bem diferente daquela popularizada pelo desenho animado dos anos 60 e do longa dirigido por Jon Favreau (de “Homem de Ferro”), ambos da Disney.
O ator Andy Serkis, famoso por seus personagens obtidos através de capturas de movimento em filmes como a trilogia “O Senhor dos Anéis”, “King Kong” e os novos “Planeta dos Macacos”, estreou oficialmente no comando desta produção, lançada no dia 7 de dezembro, em 190 países, participou do painel e falou sobre a sua nova experiência como realizador.
Serkis disse que decidiu por esse projeto porque queria tratar da jornada envolvendo o protagonista (vivido por Rohan Chand) de uma maneira diferente e mais emocional. “Nunca vimos a história contada dessa maneira, é uma história de como descobrimos nossa própria moralidade”, declarou o ator-diretor.
CCXP 2018: Painéis da Netflix trazem Andy Serkis, Cavaleiros do Zodíaco e The Umbrella Academy | TV | Revista Ambrosia
Ele também elogiou o fato de trabalhar para a Netflix pelo fato de que a empresa de streaming dá a liberdade de fazer o filme do jeito que ele quiser. Além disso, ele achou louvável o fato de que seu “Mogli” teve sua estreia mundial em Mumbai, capital da Índia, o que não seria possível se o lançamento fosse feito em cinemas tradicionais.
Serkis comentou que, para dirigir o elenco, que inclui astros como Christian Bale, Cate Blanchett, Bennedict Cumberbacht, entre outros, se valeu da experiência adquirida com Peter Jackson, que o deixou comandar cenas da segunda unidade da trilogia “O Hobbit”. Ele também se valeu da tecnologia da captura de movimentos para conduzir seus atores no próprio cenário, ao contrário das animações tradicionais. Um exemplo disso foi que ele e sua produção construiu uma estrutura para que Cate Blanchett, que interpreta a serpente Kaa, pudesse subir e descer para interagir com o ator que faz Mogli.
Outro grande desafio para Serkis foi fazer o urso Baloo, que nas versões anteriores sempre foi mostrado como um personagem divertido. Mas em “Mogli: Entre Dois Mundos”, ele quis fazê-lo mais parecido como o descrito no livro de Rudyard Kippling. “Baloo agora é mais durão. Ele gosta do Mogli, mas quer deixá-lo preparado para a selva. Ele é mais um sargento do que outra coisa”, declarou.
Logo após o painel de Serkis, houve uma surpresa para as pessoas que estavam no Auditório Cinemark XD: A exibição em primeira mão da nova série dos “Cavaleiros do Zodíaco”, o que levou muitos fãs à loucura. Feira em computação gráfica, a nova animação parece ser uma espécie de reboot da conhecida série, com algumas mudanças.
Uma delas, que deve causar polêmica, é o fato de que o Cavaleiro de Andrômeda agora é uma mulher. O desenho ainda não tem data de lançamento.
Assista ao trailer:

Por fim, o público pôde conferir em primeira mão algumas imagens de “The Umbrella Academy”, série inspirada na graphic novel de Gerard Way (vocalista do My Chemical Romance) e desenhada por Gabriel Bá, que conta a história de irmãos que nascem com super-poderes, são adotados e treinados para combater o mal.
Os dois participaram do painel, junto com os atores Tom Hopper, Emmy Raver-Lampman e David Castaneda. Mas a grande surpresa foi a presença da atriz Ellen Page, (a Kitty Pryde de dois filmes dos “X-Men”), que foi ovacionada pelos fãs.
CCXP 2018: Painéis da Netflix trazem Andy Serkis, Cavaleiros do Zodíaco e The Umbrella Academy | TV | Revista Ambrosia
Além do trailer da série, ao som de “I think we’re alone now”, interpretada por Tiffany, que vai ao ar em fevereiro de 2019, o público ganhou rosquinhas cor-de-rosa com confeitos coloridos em homenagem a um dos objetos marcantes da direção de arte da produção e a uma das cenas mostradas que tem muita ação e violência.
Numa outra cena vemos a personagem de Page, reconhecida como alguém “super comum”, tocando violino. A atriz admitiu que já não pratica o instrumento há algum tempo e agradeceu a sua instrutora e a sua dublê para fazer a sequência. Após essa declaração, o painel terminou com chuva de papéis picados e uma apresentação de violino com a música apresentada na cena.

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Célio Silva