em

As dez melhores Ficções Científicas da TV

Os estadunidenses adoram fazer listas com suas obras e escolhas favoritas. Dentre as milhões de listas que existem por aí publicadas na internet, a mais recente (publicada pelo Newsarama) opina, sucintamente, sobre as Melhores Séries de Ficção Científica que já passaram na TV, fazendo muito sucesso ou não.

Nesta lista estão nada menos que 10 programas muito conhecidos do público televisivo e/ou nerd. Este redator que vos escreve concorda, em grande parte, com a lista, e aproveita para trazer a opinião do Newsarama com comentários livres sobre as escolhas deles. Vamos lá?

10-) Quantum Leap (Contra Tempos): 1989-1993, 5 Temporadas, NBC


O seriado Quantum Leap, que no Brasil recebeu o nome de Contra Tempos, operou sob uma grande premissa em suas cinco temporadas. Havia um cientista que “pulava” em novos corpos a cada lugar no tempo em que ia, sendo que sua única companhia (em todos estes pontos temporais) era uma representação holográfica de um computador. Apenas ele podia ver e se comunicar com este holograma. Na época, o conceito assustou um pouco e desafiou alguns produtores, mas funcionou muito bem.

9-) Firefly: 2002, 1 Temporada, Fox


Joss Whedon pode ser adorado ou odiado. Com suas visões de muito sucesso para os universos de vampiros e monstros nos programas Buffy – A Caça Vampiros e Angel, o proutor e escritor ganhou uma chance da Fox de produzir uma ficção científica de sua autoria. Infelizmente o canal acabou indo na direção oposta do que foi proposto originalmente, e a ideia mal durou um ano.

Firefly mostrava um universo futurista cuja situação política e social ecoava o nosso presente, possuindo todo um ar western em sua produção. Desde sua música e apresentação, Firefly sempre foi sobre os detalhes. A Fox não entendeu.

8-) Farscape: 1999-2003, 4 Temporadas, Syfy


Esta é uma escolha que naturalmente gera debate entre os fãs de ficção científica, o que é uma pena. Farscape chegou mais longe em apenas um episódio do que a maioria dos seriados numa temporada inteira. Não tem problema que há bonecos, pois há grandes heróis, vilões convincentes, discussões sobre física, amores e tragédias, mortes e muita diversão. Ben Browder fez um Buck Rogers para a próxima geração.

7-) The X-Files (Arquivo X): 1993-2002, 9 Temporadas, Fox


Uma das séries de maior duração do estilo, Arquivo X quebrou diversos paradigmas ao mostrar uma fórmula de sucesso que reunia o FBI e o fantástico, como eventos paranormais e conspirações governamentais acerca de alienígenas e outros assuntos de grande debate.

A solidez proposta pela química de David Duchovny (Fox Mulder) e Gillian Anderson (Dana Scully) fez com que dezenas de outros seriados de investigação seguissem a fórmula “parceiro homem + parceira mulher = crente + cética”. A opinião da maioria dos fãs é de que a longa duração estragou o que o programa tinha de bom, mas sua influência ainda é repercutida na cultura popular.

6-) The Prisoner (O Prisioneiro): 1967-1968, 1 Temporada, ITV


Ainda hoje aponta-se que The Prisoner foi o seriado que teve o melhor final da história, mesmo que tenha durado apenas uma temporada. Trabalhando no conceito de “ex-espiões acabam numa ilha misteriosa”, a história alegoriza muitos elementos sociais com influência forte de ciência e política, provocando muitas reflexões sobre a construção social e os desejos de cada indivíduo.

5-) Lost: 2004-2010, 6 Temporadas, ABC


Podem reclamar à vontade do final, mas lembre-se que nem todas as perguntas precisam de respostas. Parte do que tornou Lost uma grande majestade na TV americana foi sua ousadia de levantar questões que desafiaram a mente do espectador dentro e fora do universo do programa. Lost veio numa época em que se abandonava a TV tradicional para trocá-la pela internet ou pelos reality shows. Mesmo com tantos elementos (alguns importantíssimos, outros alegóricos e outros pura maluquice), Lost desafiou a TV mundial e foi venerada – além de criar alguns dos mais imortais personagens da nova cultura pop.

4-) The Outer Limits/The Twilight Zone (A Quinta Dimensão / Além da Imaginação): Limits: 1963-1965, 2 Temporadas, ABC; Zone: 1959-1964, 5 Temporadas, CBS


Aqui teve de haver um empate. Além da Imaginação veio primeiro e durou um pouco mais, mas teve mais ênfase na fantasia, enquanto A Quinta Dimensão era mais voltada para a ciência propriamente dita, mas não teve o poder da primeira. De qualquer forma, ambas são excelentes antologias científicas para televisão. Estes sim são verdadeiros clássicos.

3-) Battlestar Galactica: 2003 (minissérie), 2004-2009 (série), 4 Temporadas, SyFy


Atualizando a velha série de 1978, a nova Battlestar Galactica desafiou tudo que se esperava sobre o conceito de remake. Ambiciosa e ousada, esta nova série faz o telespectador simpatizar-se com vilões reais e compreender os conceitos reais de terrorismo, cegueira religiosa e uma vida de guerras em tempo real. Houve um certo debate sobre o final da série, mas mesmo assim os novos ares trazidos pela inteligência da série ficaram marcados e, até agora, são únicos na TV.

2-) Star Trek Original Series (Jornada nas Estrelas – A Série Original): 1966-1969, 3 Temporadas, NBC


Jornada nas Estrelas é um fenômeno que ultrapassou gerações e sobrevive até hoje, mostrando os verdadeiros significados das palavras reinterpretação e reinvenção. Spock e Capitão Kirk são citados por crianças de hoje tamanha influência dos dois personagens na cultura dos séculos XX e, claro, XXI. “Star Trek” é um gigante cultural e mais filmes sobre ele estão vindo para muito breve.

1-) Doctor Who 1963-1989/2005 – Até o momento, 32 Temporadas, BBC One/BBC HD


Ninguém durou mais e influenciou mais que Doctor Who, provavelmente a série inglesa mais conhecida do mundo. Incorporando diversos atores, ideias, reinvenções e culturas, Doctor Who funciona há quase 50 anos por conseguir mostrar bem, sob a ótica da ficção científica, qualquer tipo de história.

Onze atores fizeram o papel do Doctor, cada um acrescentando um pouco mais a este mito de gerações. O programa expandiu-se de tal forma que ultrapassou o conceito conhecido de ficção científica e chegou a patamares jamais imaginados. Doctor Who tem 32 anos de atividade, e continua. Não está em primeiro lugar à toa.

4 comentaram

Participe, deixe sua opinião!
  1. Hehe! Não sabia que o Morcelli também fazia matérias pra outros sites além do Multiverso DC. Mandou bem no texto!

    Pena que a única que realmente assisti foi Lost. Arquivo X eu já vi, mas nem conta… era muito pivete na época pra entender direito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comente pelo Facebook

Publicado por Morcelli

Fã de quadrinhos, beberrão, interiorano, rockeiro e Morrisoniano. Não necessariamente nessa ordem.