em

25 fatos curiosos da trilogia clássica Indiana Jones

Lá se vão 25 anos desde que a última aventura do arqueólogo mais famoso do cinema chegou às telonas. Última até então, claro, pois 19 anos depois veio o, digamos, não tão unânime “Indiana Jones e O Reino da Caveira de Cristal”.

“Indiana Jones e a Última Cruzada” estreava no Brasil em 22 de junho de 1989, pouco menos de um mês após a estreia americana (25 de maio daquele ano) e trazia todo um clima de despedida. Conhecíamos o pai do herói, seu passado e até um episódio de sua adolescência na antológica sequência onde River Phoenix interpretava o herói com 15 anos. O próprio título que trazia a palavra “última” dava a entender que se tratava do fechamento de um ciclo. E de fato, “Caveira de Cristal” é visto por muitos fãs como “universo expandido” assim como a série “O Jovem Indiana Jones”. Assim sendo, vamos celebrar os 25 anos do fim da trilogia (SIM! TRILOGIA!) trazendo 25 fatos curiosos sobre os filmes clássicos.

  1. Embora seja quase impensável hoje imaginar qualquer outra pessoa além de Harrison Ford no papel-título, o homem que fez Indiana Jones não era realmente a primeira escolha dos criadores. Na verdade George Lucas e Steven Spielberg tinham Tom Selleck em mente, mas o astro, na época estrelando a série “Magnum”, declinou da proposta porque não conseguiu encontrar espaço em sua agenda para assumir o papel.tom-selleck-magnum-topdollar
  2. O que pouco se fala é que Selleck não foi a única opção cogitada para a posse do chapéu fedora e chicote icônicos. Nick Nolte, Steve Martin, Billy Murray e até Chevy Chase estavam entre a extensa lista de atores que Spielberg e Lucas teriam considerado antes de se decidir sobre a Ford. Lucas não o queria a princípio, pois já estava envolvido com “Star Wars” além de também ter sido usado em seu segundo longa “American Graffiti”.
  3. Nos roteiros originais o aventureiro arqueólogo foi chamado de Indiana Smith. O nome foi cortado no entanto depois que Spielberg lembrou que era muito parecido com o nome de um western de 1966 com Steve McQueen, “Nevada Smith”. mo_02
  4. Graças a “A Última Cruzada” sabemos que o herói tomou o apelido do cão da família. Bem, você sabia que o mesmo existiu na vida real? O nome Indiana veio do cão de estimação de Lucas, um malamute do Alasca, que também foi a inspiração para o visual de Chewbacca em Star Wars. george-lucas-e-indiana
  5. Contudo, essa não é a única conexão com Star Wars que pode ser encontrada na franquia. O avião que Indy usa para escapar do templo no primeiro filme tem escrito na fuselagem OB-CPO, uma fusão de dois dos personagens mais famosos da aventura espacial (Obi Wan e C3PO).
  6. Ainda sobre Star Wars, espectadores mais atentos também pode notar um R2-D2 e um C-3PO entre os hieróglifos quando Indy escava a Arca da Aliança no final do filme. Há também referências em “O Templo da Perdição”, incluindo efeitos sonoros da Millennium Falcon e uma boate com o nome de Clube Obi Wan.
  7. Spielberg queria que seu personagem tivesse uma música tema grandiosa, de tom aventuresco, digna de um herói de grandes feitos. Para isso, encomendou o tema ao lendário compositor John Williams. Williams ofereceu o diretor uma escolha de duas composições e, incapaz de decidir entre os duas, resolveu casá-las para criar a música tema que conhecemos e amamos até hoje.John-Williams
  8. Em parte, muito do filme é na verdade uma criação do diretor Philip Kaufman, que recebe uma menção nos créditos para “Caçadores”. Kaufman tinha se reunido anteriormente com George Lucas para lhe lançar algumas idéias sobre uma trama envolvendo nazistas e ocultismo incluindo a da Arca Perdida, a história contada pelo seu dentista quando ele era criança.
  9. Outra das inspirações ligeiramente inusitadas para Indy vem da figura do Tio Patinhas, o pato milionário e sovina da Disney. Na verdade Spielberg já havia admitido que a seqüência de abertura icônica onde Indy invade um templo, rouba o ídolo e escapa de uma pedra gigante, foi de fato retirada de uma historinha do Tio Patinhas de 1954 chamada “As Sete Cidades de Cibola”.434084341043434
  10. Entediado durante os intervalos das filmagens no set Tunísia de “Caçadores”, Spielberg começou a esboçar um argumento para um novo filme, inspirado em sua infância. Esse filme acabaria por se tornar o clássico “ET: O Extraterrestre”.
  11. Apesar de ter trazido mais de três mil animais rastejantes , a fim de filmar a sequência Well of Souls em “Caçadores”, Spielberg ainda não estava convencido de que a tomada parecia assustadora o suficiente e então encheu o chão com répteis de borracha e pedaços de perna de calças velhas. Não que isso tenha tornado a coisa mais segura no entanto. Na verdade uma tela de vidro, o que é visível em versões não-editadas do filme original, teve de ser erguida para proteger os atores do veneno cuspido pelas criaturas.indiana-jones-snakes
  12. Assim como seu personagem machucado e surrado, Harrison Ford foi colocado em situações bem doloridas durante o tempo de filmagem da série. Ao longo dos três filmes originais rompeu ligamentos do joelho, quebrou duas costelas e ainda teve deslocamento de disco. Ouch!
  13. Essa é clássica. Uma das sequências mais marcantes de Os Caçadores da Arca Perdida, em que Indy atira no guerreiro girando uma espada foi inicialmente concebida para ser uma perseguição prolongada, envolvendo um conjunto de peças elaboradas em um açougue. Porém, assim como o resto do elenco, Ford tinha sido atingido por um ataque severo de intoxicação alimentar e por isso perguntou se ele poderia simplesmente atirar no cara. A curiosade é que o único da equipe que não foi afetado pela intoxicação foi o próprio Spielberg, que só comia enlatados importados da Inglaterra.WeAllKnowTheDiarrheaStorySoJustCoolIt
  14. Os Caçadores da Arca Perdida se passava em 1936, mas você sabia que o segundo filme, Templo da Perdição era na verdade um prólogo, que se passava em 1935? Ele também vinha com uma chamada infame nos teasers: “O homem com o chapéu está de volta …”
  15. O Templo da Perdição foi responsável por inaugurar a classificação etária PG-13 nos EUA, pois o filme foi considerado assustador e violento demais para crianças menores, mas não pesado o suficiente para pegar um NC-17, por exemplo (algo como a censura 16 anos aqui).Indiana-Jones-and-the-Temple-of-Doom-movie-poster_1369845113
  16. Os cérebros de macacos, “iguaria” da famosa cena do banquete no palácio em “Templo” foram na verdade feitos de creme de ovos e molho de framboesa.temple-of-doom_chilled-monkey-brains1
  17. Templo da Perdição ficou conhecido nos círculos do showbiz por ter sido palco uma das mais infames gags. A brincadeira ocorreu quando Ford foi acorrentado a uma pedra pronto para ser chicoteado por um dos capangas de Mola Ram. No entanto, em vez do figurante em questão, Ford realmente foi espancado por Barbara Streisand vestida com uma roupa de dominatrix. Streisand começou a bater e repreender Ford até que sua parceira de Star Wars, Carrie Fischer apareceu para protegê-lo. Que bizarro!
  18. Harrison Ford e Sean Connery não estavam usando calças durante as cenas do zeppelin em A Última Cruzada. O set estava tão quente que eles removeram os itens incômodos, a fim de manter a calma.1-13-45f
  19. As roupas usadas pelos extras no comício nazi de queima de livros em A Última Cruzada não eram fantasias, mas uniformes genuínos que a equipe de produção tinha conseguido na Alemanha. A curiosidade é que Spielberg – que é judeu – pediu a todos que cruzassem os dedos atrás das costas em deboche quando fizessem a saudação nazista.
  20. A ideia de Indiana Jones surgiu no final dos anos 70 porque Spielberg queria dirigir “007 Contra O Foguete da Morte”, mas fora esnobado pela MGM. Daí Lucas veio com a seguinte ideia: que tal fazer o SEU 007? Quando decidiram que o Jones senior participaria da trama do terceiro filme, o diretor fez questão do nome de Sean Connery para o papel, justamente por ser o eterno James Bond, inspiração para Indy. Connery, porém, é apenas 12 anos mais velho que Ford e por vaidade relutou, a princípio, em fazer o papel. Ford tinha 46 anos na época das filmagens e Connery 58. Mas como Indy na trama tinha 39, ficou tudo certo.
  21. Sean Connery não foi o único veterano de filmes do agente secreto britânico no elenco de Última Cruzada. Havia, de fato, seis outros atores que também haviam feito aparições ao lado de 007, incluindo John Rhys-Davies (“Marcado para a Morte”), Alison Doody (“Na Mira dos Assassinos”), Vernon Dobtcheff (“O Espião Que Me Amava”), Julian Glover, Stefan Kalipha (“Somente Para os Seus Olhos”) e Pat Roach (“Nunca Mais Outra Vez”)
  22. Além de Harrison Ford, o inglês Auf Wiedersehen Pet, ator e ex-lutador de wrestling conhecido como Pat Roach, é o único ator a aparecer em todos os três filmes originais de Indiana Jones. Roach, que morreu de câncer em 2004, fez o gigante alemão que luta com Indy em “Caçadores”, um capanga em “Templo” e um agente da Gestapo na “Última Cruzada”.pat-roach
  23. Você sabia que Dan Akroyd surge em uma participação especial em “O Templo da Perdição”? Ele é Weber, o sujeito que recepciona e embarca Indy, Willie e Short Round no pequeno avião em que eles fogem de Hong Kong. Ele não é o único rosto familiar que os cinéfilos mais atentos pode detectar no entanto, tanto como Steve Spielberg e George Lucas também pode ser visto no fundo em determinados pontos durante as aventuras de Indy.
  24. A franquia Indiana Jones recebeu 13 indicações ao Oscar no total (incluindo Melhor Filme para “Caçadores”). Acabou abocanhando seis estatuetas para enfeitar a estante.
  25. Chapéu fedora, o casaco e o chicote de Indy estão atualmente em exposição no Museu Smithsonian, em Washington DC.8609558613934064

Deixe uma resposta

Publicado por Cesar Monteiro

Cesar Monteiro

Um viciado em cultura pop que adora compartilhar seu vício com o maior número de pessoas possível

“Versos de um Crime” representa mais do que idealiza

Turma da Mônica ganha álbum de figurinhas digital, pegue a sua aqui no Ambrosia