A turnê iNNOCENCE + eXPERIENCE do U2 tinha três datas em Paris em novembro do ano passado: dias 11, 14 e 15. Contudo no fatídico dia 13 houve os atentados terroristas à cidade, e, por motivos óbvios, as datas seguintes foram canceladas. Daí, os shows que eles ficaram devendo foram remanejados para 6 e 7 do mês seguinte. A segunda noite virou o DVD oficial da turnê, iNNOCENCE + eXPERIENCE Live in Paris (Universal Music/2016).

Para os brasileiros, é uma ótima oportunidade de ter uma prévia do que provavelmente será visto no ano que vem. Embora não haja nada confirmado, existe a possibilidade de a turnê desembarcar por aqui em 2017. Quando se fala em show do U2, o que vem à cabeça é tecnologia empregada na estrutura do palco. Tem sido assim desde a turnê Zoo TV, há 24 anos, passando pela Popmart, que trouxe a banda pela primeira vez a Brasil, chegando ao palco 360º da última excursão.

A iNNOCENCE conta com um palco sem fundo nem bordas laterais, com uma pista que desemboca na forma de um mini palco no meio da plateia. Visto de cima, enxerga-se um “e” de “experience” nesta extremidade.

u2-innocence2

O telão, que normalmente fica no fundo do palco, nesse show se situa paralelamente acima da pista. Além de exibir grafismos, funciona como um interessante elemento de cena, já que também é usado como passarela para os músicos. Há um momento em que a imagem projetada de Bono tem The Edge na palma das mãos. No pequeno intervalo, em que se ouve uma versão de ‘The Fly’, cantada por Bono do camarim, o telão forma um muro, exibindo palavras e frases de cunho político-filosófico.

O palco se transforma em uma rave na segunda metade do show, quando Bono convida alguns dos fãs que estão ali no gargarejo para subirem enquanto uma fã registra tudo no smartphone. Detalhe que há um sujeito fantasiado de McFisto, o diabinho irlandês que Bono encarnava na turnê Zoo TV.

O setlist mistura músicas do álbum ‘Songs of Innocence’ com os clássicos. Daí, lá estão ‘The Miracle (Of Joey Ramone)’, ‘Song For Someone’ e ‘Every Breaking Wave’ dividindo espaço com ‘I Will Follow, ‘Where The Streets Have No Name’ e ‘Pride (In The Name Of Love)’. E os clássicos recentes também têm vez. Lá estão as já obrigatórias ‘Vertigo’ e ‘Beautiful Day’ e ‘Elevation’.

u2-innocence3

Toda a carga emocional devido ao contexto é sentida durante a apresentação. E não só nos discursos pacifistas, mas no coro arrepiante da plateia em ‘One’, e na participação do Eagles of Death Metal que encerram o show. A banda estava se apresentando na casa de espetáculos Bataclan, um dos principais alvos dos atentados.

O U2 ajudou o Eagles naquela noite, disse Bono ao “New York Times”. Eles teriam oferecido apoio logístico e dado telefones aos músicos da banda, já que aparelhos deles ficaram nos camarins do Bataclan, conta o vocalista.

u2-innocence4

Para os fãs do quarteto irlandês vale à pena investir na edição deluxe. Além do disco de extras, a embalagem traz um belo libreto com fotos dos shows. Esse segundo DVD contém videoclipes, números dos dias 6 de dezembro e 11 de novembro, e um breve behind the scenes. Contudo, a melhor parte do material extra é a participação de Patti Smith, à frente da banda, entoando o hino ‘People Have The Power’. A música é sempre tocada no sistema de som antes do início das apresentações nessa turnê.

iNNOCENCE + eXPERIENCE Live in Paris é um acertado registro ao vivo de um show impecável, que ganhou mais força devido ao simbolismo. Agora resta esperar e torcer para que a banda realmente traga a turnê para o Brasil.