Ambrosia Agenda CCBB-RJ apresenta Mostra de Cinema Árabe Feminino

CCBB-RJ apresenta Mostra de Cinema Árabe Feminino

Retratar a diversidade do cinema árabe através de uma seleção de mais de 30 obras cinematográficas dirigidas por mulheres é o objetivo da Mostra de Cinema Árabe Feminino, que acontece entre os dias 7 e 25 de março no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro. O filme de abertura será o longa-metragem inédito no país Os Afortunados (The Blessed), da premiada diretora argelina Sofia Djama – que vem ao Brasil especialmente para o evento.

Ao longo de 17 dias, questões políticas e sociais vão permear as produções de realizadoras árabes contemporâneas em uma programação que inclui ainda debates, mesas redondas e uma masterclass de roteiro com Sofia Djama. Formada em literatura pela Universidade de Argel, a cineasta também participa de uma conversa pública após a exibição de seu filme.

São 13 longas-metragens, sendo oito inéditos, e 24 curtas, somando 37 produções de mais de 10 países: Arábia Saudita, Argélia, Egito, Iêmen, Jordânia, Líbano, Líbia, Marrocos, Palestina, Qatar, Síria e Tunísia. O projeto é uma realização da Partisane Filmes, patrocinada pelo Banco do Brasil através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), com entrada franca para todas as sessões.

Temas diversos como conflitos familiares, relacionamentos, amizade, autoconhecimento, feminino e LGBT são pano de fundo para abordar o contexto histórico atual da região, que conta com diferentes realidades: desde o Egito e o Líbano, que sempre fomentaram a criação artística – seja com recursos públicos ou com recursos privados -, até a Arábia Saudita, onde ainda é proibido abrir salas de cinema.

A curadoria de Ana França e Analu Bambirra contemplou filmes de gêneros variados como ficção, documentários, experimentais. “Não pretendemos apresentar uma única resposta sobre o que é ser mulher árabe, e sim discutir as várias possibilidades ao fazer um recorte dentro das produções lançadas a partir dos anos 2000. A maioria dos filmes selecionados não foram lançados comercialmente no Brasil”, explica Analu Bambirra.

O filme de abertura será o longa-metragem inédito no Brasil Os Afortunados (The Blessed), da diretora argelina Sofia Djama. O filme ganhou o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Veneza de 2017, pela atuação de Lyna Khoudri, e o prêmio de Melhor Direção no Festival de Dubai.

Outros sete longas inéditos estão entre os selecionados: Uma Substância Mágica Flui em Mim (A Magical Substance Flows Into Me), dirigido pela palestina Jumana Manna, cuja estreia mundial ocorreu na sessão Forum do Festival de Berlim em 2016. O filme parte de uma gravação do musicólogo Robert Lachmann, que leva a uma viagem que retrata a cultura musical palestina; Além da Sombra (Upon the Shadow), é sobre a questão LGBTQ na Tunísia, da diretora Nada Mezni Hafaiedh, vencedor do Tanit de Bronze no Festival Internacional de Carthage e exibido no festival Queer Lisboa; Arij – Cheiro de Revolução (Arij – Scent of Revolution), de Viola Shafik, que também teve estreia mundial na sessão Forum do Festival de Berlim e levanta questões sobre o período pós-Primavera Árabe no Egito; Pássaros de Setembro (Birds of September), primeiro longa-metragem da libanesa Sarah Francis, mostra um retrato íntimo da população de Beirute e foi exibido nos festivais CPH:DOX, FIDADOC Agadir e Art of the Real; Campos da Liberdade (Freedom Fields), filme líbio dirigido por Naziha Arebi, teve estreia mundial no Festival de Toronto e foi exibido no Festival de Londres e no IDFA, sobre o primeiro time de futebol feminino nacional do país; O Disco Quebrado (Broken Record) foi realizado no Iraque por Parine Jaddo e exibido no festival DOK Leipzig, que mostra o percurso da diretora em busca da letra de uma música iraquiana que a mãe cantava na sua infância; e Eu Dançarei Se Eu Quiser (In Between), filme polêmico da diretora árabe-israelense Maysaloun Hamoud, que foi lançado no Festival de San Sebastian e conta sobre a vida e as relações de três mulheres árabes em Tel Aviv: uma advogada criminalista muçulmana secular burguesa, uma DJ lésbica de família cristã liberal e uma garota muçulmana devota que se tornam colegas de quarto.

Na programação haverá debates após três exibições. Campos da Liberdade, com a roteirista e produtora Erica Reis; Trilogia Sci-Fi, com a realizadora cinematográfica Jo Serfaty e Eu Dançarei Se Eu Quiser com Gisele Fonseca Chagas da NEOM/UFF.

Também serão exibidos 24 curtas-metragens, sendo 19 estreias. As exibições estão divididas em seis sessões, que trazem títulos como Eu Tenho te Observado o Tempo Todo (I have been watching you all along), primeiro filme da diretora Rawda Al-Thani e realizado no Qatar; Três Centímetros, dirigido pela libanesa Lara Zeidan, premiado com o Teddy Award de Melhor Curta-metragem do Festival de Berlim; Povo da Terra de Ninguém (People of the Wasteland), da diretora síria Heba Khaled, no qual ela tem acesso a imagens de GoPro realizadas por soldados sírios no front da guerra; Terreno Baldio (Terrain Vague), da argelina Latifa Said, que percorreu mais de 80 festivais em 37 países e ganhou mais de 20 prêmios; e Memória da Terra (Memory of the Land), da diretora palestino-espanhola Samira Badran, único filme de animação exibido na mostra.

Na mostra, está também a Trilogia Sci-fi, da diretora palestina Larissa Sansour, que abordam assuntos relevantes ao povo palestino: Um Êxodo Espacial (A Space Exodus), no qual a diretora recria a icônica cena do homem chegando à lua, utilizando referências do filme “2001: Uma Odisseia no Espaço”, de Stanley Kubrick; Patrimônio Nacional (Nation Estate), que propõe uma solução para a questão palestina: um arranha-céu que abriga toda a população e seus territórios; e No Futuro eles Comiam da Melhor Porcelana (In the future they ate from the finest porcelain) sobre uma intervenção história criada por um grupo de resistência. Destes, apenas o último foi exibido no Brasil.

Duas mesas redondas também fazem parte da programação: “O mundo árabe no feminino: religião, nação e feminismos”, com a presença de Elzahra Osman (Inep/UnB), Gisele Fonseca Chagas (NEOM/UFF) e Houda B. Bakour (NEOM/UFF); e “Corpos-ficções palestinos: pensamentos fílmicos a partir de uma geografia violentada” formada por Tatiana Carvalho Costa Centro Universitário UNA / CORAGEM-UFMG), Carol Almeida (PPGCOM / UFPE), e Fernando Resende (PPGCOM / UFF).

SERVIÇO

07 a 25/03/2019
Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB-RJ
Rua Primeiro de Março, 66 | Centro, RJ
Tel. (21) 3808-2020

LISTA DE FILMES SELECIONADOS

Longas-Metragens

Além da Sombra (Upon the Shadow) – Nada Mezni Hafaiedh (Estreia)
Aqueles que Restam (Those who Remain) – Eliane Raheb
Arij – Cheiro de Revolução (Arij – Scent of Revolution) – Viola Shafik (Estreia)
Pássaros de Setembro (Birds of September) – Sarah Francis (Estreia)
Campos da Liberdade (Freedom Fields) – Naziha Arebi (Estreia)
Eu Dançarei Se Eu Quiser (In Between) – Maysaloun Hamoud (Estreia)
Malditos Feijões (Bloody Beans) – Narimane Mari
Meu Tecido Preferido (My Favorite Fabric) – Gaya Jiji
O Disco Quebrado (Broken Record) – Parine Jaddo (Estreia)
O Sal desse Mar (Salt of this sea) – Annemarie Jacir
Os Afortunados (The Blessed) – Sofia Djama (Estreia)
Ouroboros – Basma Alsharif
Uma Substância Mágica Flui em Mim (A magical substance flows into me) – Jumana Manna (Estreia)

SESSÃO DE CURTAS 01
Seu Pai Nasceu com 100 Anos, Assim Como a Nakba (Your father was born 100 years old and so was the Nakba) – Razan AlSalah (Estreia)
O Regime da Bondade (The goodness regime) – Jumana Manna e Sille Storihle (Estreia)
Um Retrato Dos Costumes (A Última Mascarada De Alfred Roch) / A sketch of manners (Alfred Roch’s Last Masquerade) – Jumana Manna (Estreia)
Memória da Terra (Memory of the Land) – Samira Badran (Estreia)

SESSÃO DE CURTAS 02
Eu Tenho Te Observado O Tempo Todo (I have been watching you all along) – Rawda Al-Thani (Estreia)
Três Centímetros (Three Centimetres) – Lara Zeidan
Cloch’art – Manel Katri (Estreia)
Hajwalah – Rana Jarbou (Estreia)
O Parque (The Park) – Randa Maroufi

SESSÃO DE CURTAS 03
Rompimento (Rupture) – Yassmina Karajah (Estreia)
Pirulito (Lollipop) – Hanaa Saleh AlFassi (Estreia)
Aya – Moufida Fedhila

SESSÃO DE CURTAS 04
Aqui Tu Estás (Here you are) – Tyma Hezam (Estreia)
Atrás do Mar (Behind the Sea) – Leïla Saadna (Estreia)
Um Minuto (One Minute) – Dina Naser (Estreia)
O Último Encontro (The Last Date) – Sarah Sari (Estreia)
O Povo da Terra De Ninguém (People of the wasteland) – Heba Khaled (Estreia)

SESSÃO DE CURTAS 05
Um Êxodo Espacial (A space exodus) – Larissa Sansour (Estreia)
Patrimônio Nacional (Nation Estate) – Larissa Sansour (Estreia)
No Futuro Comerão da Melhor Porcelana (In the future they ate from the finest porcelain) – Larissa Sansour

SESSÃO DE CURTAS 06
Tahiti – Latifa Said (Estreia)
À Sombra das Palavras (À l’ombre des mots) – Amel Blidi (Estreia)
Eu Estou Aqui (Je suis là) – Farah Abada (Estreia)
Terreno Baldio (Wasteland) – Latifa Said

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Novidades

Cantando abertamente o sexo e o amor carnal, MAYA lança lyric vídeo para o indie pop sensual “Set The Mood”

Caminhando entre o R&B e o indie pop, MAYA canta abertamente o sexo e os prazeres em “Set The Mood”, faixa que compõe o...
video

Annabelle 3 – Confira a experiência 360 graus do cenário

AVISO: não toque em nada! Explore a sala de artefatos dos Warren nessa experiência 360º de Annabelle 3. O filme estreia em 27 de...

Morre o diretor italiano Franco Zeffirelli

Faleceu nesse sábado (15/06) o cineasta italiano Franco Zeffirelli, aos 96 anos. Zeffirelli foi o último da geração de diretores italianos que emergiram logo...

“MIB: Homens de Preto – Internacional”: apenas um “Man In Black” genérico

Reboot do surpreendente sucesso de MIB: Homens de Preto, de 1997, MIB: Homens de Preto - Internacional tenta evocar o misto de ação espirituosa...