em

Steven Spielberg e o cinema

Steven Allan Spielberg nasceu em Cincinnati, Ohio, em 18 de dezembro de 1946. Sua paixão pelo filme em movimento surgiu na tenra idade. Aos doze anos, ele se tornou um escoteiro e cumpriu uma exigência para o crachá de mérito de fotografia, fazendo um filme de nove minutos 8 mm intitulado “The Last Gunfight”. Ele usaria a máquina fotográfica do pai. Mas estava quebrada. Daí, perguntou ao diretor se eu poderia contar uma história com a câmera do meu pai. Ele disse que sim. Daí ele teve a ideia de fazer um western. “Eu fiz isso e peguei meu crachá de mérito. Foi assim que tudo começou. “, disse ele em entrevista. Spielberg se tornou um dos principais nomes da chamada nova geração de Hollywood dos anos 70. Hoje é indubitavelmente um dos diretores mais influentes do cinema mundial. No seu septuagésimo aniversário, lembramos aqui de sua incontestável contribuição à sétima arte.

O Início

encurralado_valeO claustrofóbico “Encurralado” foi concebido pelo jovem Steven Spielberg como telefilme. No Brasil foi exibido nos cinemas. Com uma trama minimalista, chamou a atenção pela personalidade na direção.

A chegada do sucesso

tubarao_spielberg_valeDepois de “Louca Escapada”, seu primeiro filme feito para o cinema, Spielberg lançaria o filme que o colocaria no hall dos maiores cineastas de todos os tempos. “Tubarão” inaugurava o chamado cinema das sensações. A trama do gigantesco tubarão branco ameaçando um balneário se tornou o maior sucesso de bilheteria até então. No Brasil, manteve essa posição por 22 anos, sendo desbancado apenas por “Titanic”. O diretor contornou magistralmente problemas técnicos de animatronics se utilizando de câmera subjetiva e da magistral trilha de John Williams. Com isso criou um atmosfera de suspense à La Hitchcock, até um clímax apoteótico.

ETs, Caçadores e dinossauros

et_indy_jurassicSpielberg estava no seu auge criativo na segunda metade dos anos 70. No mesmo ano em que seu amigo George Lucas lançou “Star Wars”, ele lançava “Contatos Imediatos de Terceiro Grau”. Os dois travaram um duelo de gigantes no Oscar de 1978 na categoria efeitos especiais. Lucas levou a melhor. Os dois se uniriam para levar às telas as aventuras de um arqueólogo pouco ortodoxo chamado Indiana Jones. O personagem surgiu da frustração de Spielberg que queria dirigir um filme de 007, mas recebera um não como resposta da MGM. Lucas lhe aconselhou a fazer seu próprio James Bond. E assim surgiu, em 1981, mais um sucesso: “Os Caçadores da Arca Perdida”. No ano seguinte o cineasta realizaria seu maior sucesso, o filme que se tornou referência de sua filmografia: “ET – O Extraterrestre”. O filme chegou a concorrer ao Oscar na categoria principal, mas foi derrotado por “Gandhi”. “E.T.” foi a maior bilheteria de todos aos tempos até ser desbancado 11 anos depois pelo próprio Spielberg com “Jurassic Park”.

Maioridade artística

cor_imperio_schindlerAo se aproximar dos quarenta anos, Spielberg não queria mais ser associado à imagem de cineasta que só filma para crianças. Seu desiderato passou a ser se afastar da pecha de Peter Pan que adquirira em Hollywood. Concebeu, em 1985, seu primeiro filme para adultos, o contundente “A Cor Púrpura”, que na época, foi desdenhado pela crítica. Em 1988, lançou o épico de Segunda Guerra “Império do Sol”, com um pré-adolescente Christian Bale. Em “Além da Eternidade” ele troca ETs por espiritualidade e a consagração do Oscar enfim chega com “A Lista de Schindler”. Posteriormente, o diretor ainda empreenderia filmes memoráveis. Na lista se destacam “Munique” e o recente “Ponte dos Espiões”.

Spielberg menor

prenda_terminalHouve um período em que Spielberg se voltou para projetos menos ambiciosos. Foi uma fase peculiar, hoje conhecida como a “fase intimista”. Daí saíram filmes simples porém deliciosos como “Prenda-me Se For Capaz” e “O Terminal”.

O toque de Midas

de_volta_gremlins_gooniesQuando não estava dirigindo, deixava sua assinatura de produtor executivo em filmes inesquecíveis, sempre amparado pelos seus produtores colaboradores Kathleen Kennedy (hoje C.E.O da LucasFilm) e Frank Marshall. A vasta lista inclui vários filmes que têm um lugar especial na nossa memória afetiva cinéfila. “De Volta Para O Futuro”, “Gremlins”, “Os Goonies”, “Viagem Insólita”, “O Enigma da Pirâmide” são bons exemplos do toque de Midas de Steven Spielberg.

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Cesar Monteiro