em

Sucker Punch, um filme pulp

Sucker Punch, um filme pulp | Filmes | Revista Ambrosia

Zack Snyder é um grande cineasta e forte influência no cinema contemporâneo, mas acredito que provavelmente nunca poderá ser considerado um gênio da sétima arte. “Sucker Punch – Mundo Surreal“, primeira produção original de Snyder, chegou para polemizar ainda mais a discussão sobre o diretor, principalmente por carregar como nunca suas principais falhas e qualidades.

Snyder estreou nos cinemas em 2004 com o excelente “Madrugada dos Mortos“, mas foi com as adaptações dos álbuns gráficos “300” e “Watchmen” que o diretor angariou uma legião de fãs e impôs uma nova estética para o cinema de blockbuster. Com um senso artístico superior a pares como Michal Bay e Jerry Bruckheimer, também saídos do videoclipe e publicidade, pesava ainda sobre Snyder a sombra de nunca ter ido fundo no conteúdo em seus filmes anteriores, preocupando-se quase que exclusivamente com a forma.

Saído inteiramente da sua imaginação, ao contrário de seus filmes anteriores, onde utilizou o trabalho consagrado de outros escritores, Sucker Punch poderia legitimar Snyder como um cineasta completo. Pelos trailers já sabíamos que o filme teria uma a trilha sonora fantástica, seria visualmente impressionante como poucos filmes já realizados e ainda viria carregado de referências a cultura contemporânea, mas infelizmente o filme não passou disso. Cinema é mais do que uma sucessão de videoclipes, e ao ignorar seus fundamentos (como roteiro e narrativa) Snyder tornou Sucker Punch uma obra para sempre incompleta e uma verdadeira ofensa para seu público.

Sucker Punch pode entreter você por duas horas, você pode até querer ver de novo para se divertir com as sequências de ação, mas é impossível o comparar com qualquer grande obra de cinema de mesmo gerêro. Filmes como Matrix, Blade Runner, Ghost in the Shell, Peixe Grande, Paprika, Kill Bill, Clube da Luta, Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças e O Labirinto do Fauno brincam com a realidade, mas possuem como principal característica um belo roteiro, que além de amarrar o espectador, valorizam a experiência como um todo.

É triste somente bater nesta tecla, mas Sucker Punch não chega a ser um filme completo. Talvez possa apenas se encaixar como um pulp – no sentido original, quando a palavra era utilizada para designar trabalhos geralmente de baixa qualidade. Claro que deste gênero surgiram grandes obras literárias e mesmo cinematográficas, assim resta a esperança que Zack Snyder possa aprender com seus erros e sua arrogância.

[xrr rating=2.5/5]

9 Comments

Deixe sua opinião!
  1. Eu simpatizo com o Snyder, acho ele um diretor acima da media. E a impresão que eu tive e que ele quis fazer algo na linha do David Lynch, mas sem tanta profundidade, porem comum diferencial que é a diversão.

  2. Ótima crítica. Mas minha decepção me permite ir mais longe: um filme de começo chato que ao invés de complexo é só desconexo, com atuações beirando o ridículo. A montagem entre trilha e cena é mecânica demais, ao ponto de constranger. Eu esperava mais do Snyder, porque também o considero um diretor que sabe usar bem os clichês da cultura de massa. Mas não deu dessa vez. Nem pro cheiro.

  3. Estou doido pra ver esse filme. Mas pelo que já ouvi falar dele, não é muito bom. Não é a primeira crítica negativa que leio.
    Tinha uma expectativa muito grande em relação ao filme. Mas já era.

  4. Olha, vou dizer que a principio eu achei o filme bem maneiro mas não sabia dizer o porque, e não era pelas cenas de ação, que não sei como não me empolgaram.
    Por mim era um filme que tinha um sentido mas não havia entendido, mas como toda internet falava que não tinha sentido e era um filme que só queria ser inteligente mas não era, fui no embalo passei a não querer me aprofundar na historia. Eis que meu amigo me passa um blog e passei a ter uma ideia positiva e a achei muito interessante a perspectiva dele. http://cinenu.blogspot.com/2011/03/sucker-punch-m

    O texto dele é meio enrolado e tals, mas quem quiser ir direto ao ponto pula pra parte spoiler abaixo do trailer. Vale a pena ver essa nova visão.

    • Apesar de respeitar a opinião, acho que as pessoas tão tomando um partido bem engraçado sobre o filme. Essa de dizer que fulano ou ciclano não entendeu, como fez o Dib aqui no Ambrosia, é uma defesa cega que beira o xiitismo. Mas é sempre assim, as pessoas não gostam de parecer erradas.

      Abs! Camino

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Salvador Camino