em ,

“Três Anúncios Para Um Crime” é o riso que precede a profunda reflexão

O riso nervoso vai te acompanhar intensamente na alegoria que é a comédia dramática de Martin McDonagh, Três Anúncios Para Um Crime, excepcional comentário social e emocional de um microcosmo norte-americano. É a velha máxima de Tolstoi: “fale de sua aldeia…“.

Frances McDormand está inteira, precisa e complexa como Mildred Hayes, uma mãe que não consegue se conformar que o assassinato brutal de sua filha ainda não tenha sido solucionado e punido e assim, resolve alugar três outdoors que beiram uma estrada abandonada na cidade para provocar a polícia, especialmente o xerife Bill Willoughby (Woody Harrelson, maravilhoso). Essa atitude desencadeia uma tensão entre a própria, com sua personalidade desmedida, e a polícia, especialmente pelo policial, um tanto abjeto, Jason, em mais um trabalho irretocável (mas agora valorizado) de Sam Rockwell.

O diretor vai delimitando sua história equilibrando os extremos questionáveis dos dois lados da questão, sabendo dosar muitíssimo bem o humor negro que tanto caracteriza seus filmes. Essa humanidade é vital para a estatura que o resultado consegue ter. A linha tênue entre o absurdo e a identificação é trabalhada numa narrativa em que nada acontece previsivelmente. Quando você pensa que sabe por onde a história vai se encaminhar, ela toma um rumo totalmente diferente. E, assim, vamos nos envolvendo e compreendendo a multifacetada personalidade de todos os personagens, especialmente de Mildred, que parece o tempo inteiro estar lutando contra um abismo pessoal.

As cenas em que ela demonstra sensibilidade na dor – como uma bela cena em que ela tenta apagar um incêndio nos anúncios – deixam claro como a atriz construiu com firmeza sua personagem. Da mesma maneira Bill, que se sente impotente diante da solução do caso, o que acaba justificando até suas contradições.

Três Anúncios Para Um Crime é aquele tipo de filme que você vai rir das situações, com uma pontinha de nervosismo pelo seu intertexto. McDonagh dirige o que escreveu, e essa propriedade faz muita diferença na condução de sua trama. O diretor disse que o filme foi escrito (por ele) e gravado antes de saber que Donald Trump seria presidente dos EUA, e que por isso não o fez com o sentimento crítico de América Pós-Obama. Isso só evidencia o quanto seu filme é muito maior que o que se espera dele.

Filme:  Três Anúncios Para Um Crime (Three Billboards Outside Ebbing, Missouri)
Direção: Martin McDonagh
Elenco: Frances McDormand, Woody Harrelson, Sam Rockwell
Gênero: Drama
País: EUA
Ano de produção: 2017
Distribuidora: Fox Films do Brasil 
Duração: 1h 56 min
Classificação: 16 anos

Publicado por Renan de Andrade

A paixão pelo audiovisual me pegou de assalto desde o berço. Assim como a necessidade de desbravar o alcance da comunicação. Formado em Jornalismo e atuando nas áreas de roteiro e direção na TV, sinto-me cada vez mais imerso nos matizes da arte (audiovisual) e da vida (comunicação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Comentários