em

Alan James convida a seguir em frente no clipe “Baby Let’s Go”

Faixa integra o álbum “Despertar”

Após mostrar o lado mais sentimental de seu disco de estreia nos clipes “Menina do Quintal” e “Bem Aqui”, o cantor, compositor e multi instrumentista carioca Alan James faz um chamado a olhar para o futuro em seu novo vídeo, “Baby Let’s Go”. Curiosamente a faixa, inspirada pelo rock dos anos 60 e 70, ganha uma interpretação retrô que promove um jogo de luzes em preto e branco e convida a dançar.

Dando uma guinada no tom da sua videografia, Alan James se uniu novamente ao diretor Fábio Felix. A ideia era colocar o foco em projeções em estúdio, pela primeira vez ao lado dos músicos que o acompanham nos palcos – Danilo Fiani (guitarra) e Alexandre Dias (bateria) – e com a participação do vocal de R-Vox, que também assina a composição com James.

O clipe de “Baby Let’s Go” vem para encerrar o ciclo de “Despertar”, primeiro álbum do artista. O debut traz faixas com referências de Clube da Esquina a Paul McCartney e foi lançado em 2018 via selo Discobertas em formato físico e digital.

As influências ficam claras desde o início do disco, cuja primeira faixa é justamente “Baby Let’s Go”. “Fiz essa canção bastante influenciado pelos Rolling Stones quando estava treinando guitarra usando a mesma afinação aberta que o Keith Richards usava. Fiquei com ela bastante tempo, e em 2015 mostrei os acordes pro meu grande amigo e parceiro Anderson R-VOX, que adorou e criou a letra e a melodia. É a canção que abre o disco, e se tornou interessante encerrar esse ciclo com música que é o início dele”, reflete Alan James.

Ele tem uma trajetória cheia de caminhos percorridos em um eterno processo de renovação, criação e recriação. Integrou bandas e duos e foi produtor e co-produtor musical para renomados artistas. O início de sua trajetória musical foi com Geminianos, com quem tem dois discos e um EP. Também foi tecladista de Wagner José e seu Bando e gravou o EP “Sempre como Nunca”. Como produtor, trabalhou em singles de Cezar Rodriguez, além de ter co-produzido os discos “Primal” e “Visceral”, de Luiz Lopez (Filhos de Judith, Erasmo Carlos), tendo neste último gravado baixo e backing-vocal; e o single “Meu Lugar”, de Jardel Muniz (no qual também foi o baixista).

Enquanto se dedicava ao seu debut, ao lado dos parceiros Jardel Muniz, Anderson R-Vox e Raphael Scherer, também trabalhou em composições para cinema, tendo assinado as trilhas dos curtas “Cemitério dos Pássaros” (2017) e “O Jardim de Maria” (2018). Agora, após lançar e levar “Despertar” aos palcos, Alan James se despede do álbum e se dedica a novas composições, que serão lançadas em breve.

Deixe sua opinião