em

Entrevista com o cantor americano Matt Simons

O cantor e compositor americano Matt Simons desembarcou no Brasil para se apresentar no Rio de Janeiro, nos dias 14 e 15 de agosto. Ele conquistou as paradas europeias com o lançamento da versão remix de seu maior hit, “Catch & Release”. A versão, chamada Catch & Release (Deepend Remix), já chegou ao 1º lugar no iTunes da Alemanha, Países Baixos e Bélgica, além de ficar no Top 5 na França, Suíça, Luxemburgo e Áustria. Por aqui a música ficou entre as 5 mais tocadas da rádio Antena 1 e entrou no Top 20 do iTunes Brasil. Antes de sua última apresentação no Rio, Simons recebeu a Revista Ambrosia para uma entevista na Casa Holanda, instalada no Clube Monte Líbano, local do show.

Sua musica tem forte influência folk, gênero  que, inclusive, se tornou uma tendência na cena musical. Dentro do estilo, quais são seus artistas favoritos, entre os clássicos e atuais?

Eu gosto muito de Paul Simon e James Taylor. São compositores que eu realmente amo. Dos atuais eu gosto do Ryan Adams, de seu álbum “Heartbreaker”, que é mais puxado para o country alternativo. Ele é ótimo com o bandolin, e é um grande compositor. Outro de que gosto é Chris Dilley, que é um músico e compositor fenomenal.

Seu single ‘Catch and Release’ é um grande sucesso em vários países, inclusive no Brasil, e tem duas versões, uma mais acústica e um remix dançante. Pessoalmente, você tem preferência por uma das duas?

Bem, depende do que eu estiver fazendo. Para ficar deitado, relaxando na praia, ou algo do tipo, eu fico com a original, mas se for para uma festa, eu escolho o remix (risos).

E a inspiração para essa música? Veio de forma fácil, ou você teve que trabalhar a composição até que te agradasse?

Eu acho que quando a música é boa, é fácil. Eu acho que a compus em 20 minutos. Eu estava compondo com mais gente. E veio muito rapidamente. Foi como um vômito musical (imitando o som de vômito e risos). E isso só acontece uma vez. É aí que você se dá conta que tem algo especial nas mãos.

Apesar de você ter influência folk, fazer uma música genuinamente americana, sua música faz muito sucesso em países como Alemanha, Holanda, Suíça. Sua  música ‘With You’ é um grande hit na Holanda. Como você vê isso?

É muito interessante observar esse processo, sabe? Eu comecei do nada, não tinha nada, e, um dia, um programa de TV na Holanda colocou a música na trilha e “boom”! Minha vida nunca mais foi a mesma. Um programa de TV que mudou totalmente a minha vida. Com o remix de ‘Catch and Release’ foi mais ou menos a mesma coisa, era só uma música e, ao invés de atingir somente a Holanda foi para sete, oito países diferentes, e chegou ao Brasil e a outras partes. Sinto-me muito afortunado.

Você está se apresentando aqui no momento em que estamos sediando os jogos olimpicos. Está acompanhando o desempenho dos atletas americanos?

Eu não estou tendo tempo de ver muita coisa (risos) Eu fui à final do remo. E foi muito bom, a americana ganhou. Mas não tive tempo de ir a outros eventos. Eu estou aqui no meio de uma olimpíada e deveria ver alguma coisa

 

matt simons2

E sobre sua apresentação aqui no Brasil?

O show que fiz há alguns dias foi para uma estação de rádio chamada FM Hall, foi um set curto, no terraço do hotel Nissan Kicks, em Copacabana. E aqui na Casa da Holanda estou fazendo um set de cinco músicas, mas com banda. Está sendo muito bom fazer essas apresentações.

Você costuma fazer shows acústicos solo?

De vez em quando. Eu prefiro mesmo é tocar com a banda

E quanto a seu próximo trabalho?

Ah, sim. Está vindo um EP, em algumas semanas, chamado ‘When The Lights Go Down’, e eu estou muito animado. Serão cinco ou seis canções, o remix de ‘Catch and Release’ estará lá, junto com as coisas novas, como a música chamada ‘Lose Control’. A faixa título eu gravei em abril no sul da França em um iate. E estou animado para lançar mais coisas novas dentro de alguns anos.

Participe com sua opinião!