Cultura colaborativa! Participe, publique e ganhe pelo seu conteúdo!

Eugênio explora sonoridades de disco de estreia com clipe ao vivo “Arde”

Depois de chamar atenção com a sua busca por conectividade no recém-lançado e elogiado primeiro disco, “Dentro da Caixa, Fora Mundo”, a banda Eugênio vai além da sua sonoridade entre o indie rock e a psicodelia em um registro ao vivo. “Eugênio – Showlivre Ao Vivo” chega às principais plataformas acompanhado do clipe para a faixa “Arde”, um dos destaques do trabalho.

A passagem por um dos palcos mais importantes da internet brasileira foi a cereja do bolo de um ciclo bem-sucedido para a Eugênio, que teve seu debut guiado pelo experiente guitarrista Martin Mendonça (Pitty) e lançado pelo seu novo selo, Praia dos Artistas. Agora, a banda olha para a frente trazendo na bagagem seu rico repertório de estreante.

Nessa apresentação especial, Eugênio subiu ao palco com Sthé Caroline (guitarra, bateria e voz), Ludmila Marolli (baixo e voz), Murilo Shoji (bateria, guitarra e voz) e Paulo Lins (guitarra e voz), mais além dos músicos de apoio Iuri Griga (guitarra) e Augusto Martins (teclados).

No contexto do disco de estúdio, “Arde” surge como um contraponto a outras músicas alto-astral do álbum, como o último single, “Bem-vindo” . “Arde” fala das dores do ser humano, tanto aquelas físicas quanto mentais. Ela é praticamente um desabafo, uma catarse para colocar para fora o limite do que não aguentamos mais lidar sozinhos.

“É, talvez, uma das músicas mais pesadas do disco, tanto no quesito distorção de guitarras e ruídos sonoros, quanto da sensação de soco no estômago que a letra nos traz. A ideia é causar no ouvinte um pouco do desconforto que a dor nos acomete. Por abordar um sentimento universal, todo mundo consegue se identificar com a letra e desabafar ao cantar junto”, analisa a baixista Ludmila Marolli.

A letra de “Arde” foi escrita pela baixista da banda, Ludmila, que é quem canta a voz principal dessa canção. No entanto, o arranjo final surgiu da soma de ideias e sugestões de todos os integrantes. O resultado é fruto do encontro das peculiaridades de cada um e de como cada músico pensa criativamente seu próprio instrumento.

Fundada em 2017 com um espírito de coletivo criativo, a banda sorocabana Eugênio tem uma sonoridade e estética que vai de Radiohead a Novos Baianos e tem também na discografia os EPs “Como Diria Eugênio: Um Pouquinho de Nada” (2018) e “Como Diria Eugênio: Longa História, Breves Fins” (2020).

A mescla de MPB com rock alternativo marca esse encontro de três regiões do país, duas gerações, quatro cabeças e múltiplas influências. Agora, Eugênio realiza os primeiros shows de lançamento desse “Dentro Da Caixa, Fora Do Mundo”, já prometendo outras novidades para 2022.

 

Compartilhar Publicação
Link para Compartilhar
Publicação Anterior

Maestro Jaime Alem relança álbum raro em NFT e streaming

Próxima publicação

Chico César apresenta repertório de seu primeiro disco, Aos Vivos, ao lado do pianista Amaro Freitas na Casa Natura Musical

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia a seguir
Ambrosia Receba as novidades em primeira mão!
Dismiss
Permitir notificações