Julieta Brandão lança single “Tempo Movediço” | Lançamentos | Revista Ambrosia
em ,

Julieta Brandão lança single “Tempo Movediço”

“Se é o tempo que permite vivências e experiências, é também ele que nos lembra da finitude e da brevidade da vida.”

Se debruçando sobre as contradições e paradoxos do viver, Julieta Brandão lançou Tempo Movediço. O single integrará seu novo EP “Torso”, a ser lançado em breve pelo selo Cantores del Mundo.

A faixa se une a “Torso”, primeiro gostinho do compacto revelado em 2018. Sem pressa, a cantora costura sonoridades que darão forma ao trabalho. Se na canção anterior o tempo surgia numa referência ao passado – em uma alusão às manifestações políticas de 2013 -, nesta ele aparece na contemplação de um futuro incerto. Com um olhar de cronista, a letra de Lagerblad questiona a passagem da vida à nossa revelia e provoca: será que existe uma cura para o destino, o inevitável desatino? Em meio a essas dúvidas, o instrumental de Fochi se desdobra em diferentes andamentos, seguindo um compasso tão incerto quanto a própria vida.

“A compositora Liv é minha prima e sempre que ia na minha casa, cantava essa música. Eu achava curiosa, sarcástica, porque Liv brinca com o tempo e a divisão da música como se fosse uma engenhoca ou uma engrenagem frenética de relógio. É muito comum os poetas escreverem sobre o tempo de uma forma romântica, nostálgica ou com um olhar visionário, vidente sobre o futuro. Liv mais uma vez mostra sua potência poética bruta e inquieta, coloca o tempo como personagem principal e o questiona, ‘tempo amigo ou inimigo?’. Uma visão bem ampla de vida, apesar da pouca idade, colocando em questão o lado bom ou ruim de ver o tempo passar. Liv traz o tempo para um lugar singular, o pergunta como que apontando o dedo, ‘nunca sei qual é a tua’. A música questiona sobre a real necessidade futurística de uma sociedade que urge e ‘a projeção futura’ mas que se rasga aos meio pros anseios e desejos”, reflete Julieta.

A faixa somará a “Torso” no novo EP da artista. Além dessas duas, os singles “Meeiro” (de autoria de Iara Ferreira) e “Hueco de Paz” (de Marcelo Fedrá e Arthus Fochi) serão lançados futuramente. Eles apontam um ponto de virada na carreira de Julieta Brandão, que é cantora profissional há mais de 10 anos. Após se dedicar ao samba e à música regional, que geraram o álbum “Viramundo” (2016), ela busca um caminho estético diferente no novo trabalho.

“O ‘Viramundo’ era um disco regional, com arranjos elaborados e choro, samba e forró. Nesse EP a gente buscou uma linguagem mais minimalista, experimental. A ideia foi trazer novas estéticas a partir de compositores da cena carioca”, explica Brandão.

Fazer uma ponte e promover a proximidade entre novas vozes de toda a América Latina é a meta da Cantores Del Mundo: combater essa sensação de isolamento, de que o Brasil é uma enorme ilha no meio de países hispânicos. Fundado por Tita Parra, neta da lendária Violeta Parra, o selo está sendo consolidado com a direção de Arthus Fochi e do produtor musical Guilherme Marques.

Ficha técnica:

Composição: Liv Lagerblad/Arthus Fochi
Intérprete: Julieta Brandão
Direção e produção musical: Arthus Fochi
Guitarras: Glauber Seixas
Bateria: Gabriel Barbosa
Baixo synth e teclas: Guilherme Marques
Trombone: Jonas Hocherman

Mix e master: Guilherme Marques

Arte de capa: Liv Lagerblad
Selo: Cantores del Mundo

Letra Tempo movediço

Tempo movediço, amigo ou inimigo
nunca sei qual é a tua
Se eu espero você passa
se eu não espero você passa também
Passa também por mim

Diga lá qual é a cura
pro destino, desalinho, desatino
Arde a projeção futura
pros desejos, pros anseios
Pra quando me rasgo ao meio

Participe com sua opinião!