Uma homenagem a João Gilberto em O Amor é Bossa Nova, da cantora Hanna | Música | Revista Ambrosia
em

Uma homenagem a João Gilberto em O Amor é Bossa Nova, da cantora Hanna

Com a morte de João Gilberto, inúmeras homenagens emergem e certamente haverá mais uma série de tributos em disco. Nessa seara, ganha bastante atenção um álbum gravado antes mesmo do falecimento do pai da bossa nova, engendrado com galhardia pela cantora Hanna: “O Amor é Bossa Nova volume 2 – Homenagem a João Gilberto”.

O disco é lançado quatro anos após “O Amor é Bossa Nova volume 1”, e traz mais 23 canções que são belas releituras das composições do baiano. Sabe-se que João estava recluso há alguns anos, sem fazer shows ou qualquer aparição em público. Ainda assim, a cantora alagoana conseguiu a autorização para gravar as versões das músicas.

Uma homenagem a João Gilberto em O Amor é Bossa Nova, da cantora Hanna | Música | Revista Ambrosia

O álbum reúne, além das faixas que João compôs, clássicos que ele gravou e ajudou a universalizar, como ‘Corcovado’, ‘Aquarela do Brasil’ e ‘Águas de Março’. E, claro, estão pérolas da bossa nova ‘Falsa Baiana’, ‘Eu Vim da Bahia’. No repertório constam também ‘Bim Bom’, do primeiro compacto lançado pelo artista em 1958, em uma bela interpretação de Hanna. Também do debut está ‘Ho ba la la’, certamente a melhor recriação do disco. E o que dizer da inspiradíssima releitura de ‘Tin Tin Por Tin Tin’, essa do disco “Amoroso”, de 1977? A versão de ‘Caminhos Cruzados’ (essa uma composição de Tom Jobim) é outra faixa que merece destaque.

Hanna tem, uma de uma reconhecida carreira internacional (apresentou-se ao longo dos últimos 20 anos em clubes de jazz na Europa), um título de Embaixadora do Turismo do Rio de Janeiro, que ganhou em março desse ano. A familiaridade com os clubes de jazz foi fundamental para a cantora criar no álbum duplo um clima de show intimista. Exatamente do jeito que João Gilberto prezava.

Mais do que um disco tributo, “O Amor é Bossa Nova volume 2 – Homenagem a João Gilberto” é uma sequiosa degustação desse que é o gênero mais universal da produção musical brasileira. E que agora ganha um significado a mais, como um álbum de despedida e agradecimento.

Deixe sua opinião

Avatar

Publicação Cesar Monteiro