em

Out Of Our Minds: O Novo Disco de Melissa Auf Der Maur

A cantora, baixista e letrista Melissa Auf Der Maur (ex-Hole e Smashing Pumpkins) lançou seu mais novo álbum, “Out Of Our Minds”, que além de 12 músicas está sendo lançado com o curta metragem “OOOM“, gravado pelo cineasta Tony Stone, e uma revista em quadrinhos de Jack Forbes, explicando o conceito do disco, que em tradução livre se chama “Fora De Nossas Mentes”.

A campanha começou em seu site oficial com a divulgação do trecho da música que dá nome ao disco e um trailer do curta

O curta será apresentado este ano no Festival de Cinema de Cannes e conta três histórias distintas passadas no Canadá, em tempos distintos, mas com algo em comum: Sangue. Um acidente de trânsito, uma floresta sangrando e o coração de um viking são unidos pelo conto mitológico A Caçada pelo Coração. Tende a ser interessante ver um filme inteiramente sem diálogos, apenas com músicas tocando e narrando o filme. É esperar para ver quando o filme for lançado na internet ou em DVD especial.

Voltando ao álbum, a musicalidade de Melissa se mantém, porém com a introdução de diversos fatores externos como sons ambientes e a participação mais que especial de Glenn Danzig em “Father’s Grave”. As guitarras pesadas de seu primeiro disco cederam espaço para um aumento no volume da voz da cantora que está mais refinada, e, pelas letras que criam uma nova atmosfera a quem escuta.

Como de costume, a exemplo do que ela fez no último álbum, seu primeiro single é uma mostra do quanto ela está bem enraizada no hard rock: “Out Of Our Minds”.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=qSn-K8JhrvM[/youtube]

O restante das músicas mistura o bom hard rock com sons oníricos como em “1000 years”, o forte baixo de Melissa tomando as músicas e sentindo-se que apesar de quase ser o que se considera “indie”, não se deixa entregar aos rótulos e muda seus ritmos e temas de música para música. Criando uma experiência totalmente diferenciada do que o espectador está acostumado.

Quem gostava de Hole vai com certeza amar ela e quem quiser uma mostra do disco, ele pode ser ouvido inteiramente de graça na página oficial da cantora. A fase final de Hole antes da banda desmanchar em 1999 teve muita influência de Melissa e de Billie Corgan do The Smashing Pumpkins, tanto que até hoje isto é sentido nas músicas dela.

Talvez estejamos vendo um renascimento dos álbuns conceito de rock idealizados na década de 60 por bandas como The Ventures, Pink Floyd, Beach Boys e The Who e muitas vezes repetidos pelos anos à fora. Melissa quer que o projeto se extenda e saia da esfera que já se encontra:

“Criativamente, fazia sentido criar conteúdo, sabendo o quanto eu gosto de consumir coisas, onde eu quero encontrar novas versões de coisas que me fazem ficar ligada.”

Obviamente a coisa não pára por aí e a cantora viu as possibilidades de se atacar em diversas mídias distintas para atrair a devida atenção à si. Agora é ouvir e apreciar mais este belo trabalho dela.

J.R. Dib

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *