Vitor Novello lança “À Beça”, seu álbum de estreia

16
0

Aos 27 anos, Vitor Novello é um veterano. Há tempos o artista carioca se divide entre os universos da dramaturgia e da música. Ator, compositor, escritor e cantor, desde os 10 anos, quando estreou no teatro dirigido por Sura Berditchevski, Vitor atuou em diversos projetos para o cinema, teatro e televisão.

Desde cedo, Vitor vem lidando com “a dor e a delícia” de ter começado ainda criança. “Eu tenho muito o desejo de me comunicar com as pessoas e a arte é a maneira que encontrei de fazer isso. Ela nos faz conhecer diferenças e isso é uma das coisas mais importantes pra mim. O desejo primordial de gravar o álbum vem daí, uma vez que a atuação, que é algo que eu amo, não basta: eu preciso escrever, compor”, pontua Novello.

Com a bagagem artística de seus 17 anos de carreira, no próximo dia 26 Vitor Novello lança a pedra inaugural de sua discografia: “À Beça”, seu primeiro álbum autoral. O repertório foi sendo composto aos poucos: “Fui costurando essa dramaturgia com as canções que eu tinha e entendi que juntas, elas formariam um álbum”, conta Vitor. Sua estreia fonográfica mistura forró, xote, mpb e pop rock, um mix de influências costurado pelo ponto de vista do autor, ora irônico e cético, ora esperançoso e apaixonado. “De Luiz Gonzaga a Nando Reis, de Gilberto Gil a Secos e Molhados, muitos artistas foram referências de sonoridade para este trabalho”, define.

“À Beça” conta com a participação dos craques como Marcelo Caldi no acordeom (em “Ideia de Alguém”), além de músicos e amigos da geração de Novello, como Tom Karabachian, Quel, Gab Lara e Thales Cavalcanti. O compositor e sanfoneiro pernambucano Targino Gondim, autor de “Esperando na janela”, gravada por Gilberto Gil, é o convidado de Vitor na faixa ‘Teu olhar dá bandeira”. O músico e produtor cearense Beto Lemos assina arranjos e Vitor Novello a produção musical, ao lado da Reurbana, produtora conhecida por revelar artistas da cena independente.

A participação no musical “Zaquim” (2021), dirigido por Duda Maia, para o qual compôs, dentre outras músicas, o single “Gostoso demais” (o conjunto de músicas ganhou o Prêmio CBTIJ de Teatro), deu a Vitor Novello a segurança necessária para se aventurar em um projeto musical solo e autoral. “A pandemia, o musical ‘Zaquim’ e essa minha vontade transbordante de me comunicar, tudo isso acabou resultando no álbum. É por isso que ele se chama ‘À beça”, porque é mesmo coisa à beça, e ao mesmo tempo um apenas um ponto de vista sobre as coisas que poderiam ser outras”.

Repertório “À Beça”

1-Mar In Blue – Vitor Novello e Luigi Tedesco (3:25)

2-Ideia de Alguém – Vitor Novello (4:12)

3-À tempo – Vitor Novello (3:21)

4-Não corra perigo – Vitor Novello (2:55)

5-Arapuca – Vitor Novello e Danilo Canindé (3:21)

6-Agora – Vitor Novello (4:02)

7-Teu olhar dá bandeira – Vitor Novello e Luigi Tedesco (3:09)

Feat: Targino Gondim

Mais sobre Vitor Novello

Vitor Novello é ator, cantor, compositor e escritor, e iniciou sua carreira aos 10 anos, em 2006, na peça Peter Pan. Na televisão, realizou trabalhos como “Paraíso Tropical”, “Insensato Coração”, “Três Irmãs”, “Malhação” e “Topíssima”. Recebeu o prêmio Extra de Televisão em 2007 como ator mirim, por “Paraíso tropical”.

No teatro fez outros trabalhos como “Coisas Invisíveis”, com direção do também preparador Anderson Aníbal. Em 2018 realizou “Mármore”, sua primeira peça autoral. Em 2019 atuou em seu primeiro musical, “Arraial das Lobas”, com direção de Ana Paula Secco. Em “Natal” assinou a assistência de direção de Rose Abdallah. No cinema, atuou nos filmes “Não pare na pista” e “O Candidato Honesto 2”. Em 2020 lançou seu livro de poesias pela editora Penalux, chamado “Par ou ímpar”.    

Em 2021, estreou “Zaquim”, musical dirigido por Duda Maia no qual compôs, dentre outras músicas, o single do espetáculo e pelo qual está indicado ao prêmio CBTIJ de teatro por melhores músicas e melhor coletivo de elenco. Em 2022 seguiu pela encruzilhada do teatro com a música em “Clube da Esquina, Os Sonhos Não Envelhecem”, musical dirigido por Dennis Carvalho.

Dias antes de lançar o álbum “À beça”, Vitor Novello concluiu as filmagens do longa “Infinimundo”, dirigido por Bruno Martins e Diego Müller (Bruno dirigiu Novello em Malhação), rodado na região de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *