em ,

ASEQ: Revistas Descontinuadas

Para aqueles que como eu colecionam quadrinhos há decadas (sim, duas delas em gibis organizados e protegidos dentro de sacos plásticos e dentro de armários, longe de sol e umidade) uma das notícias que mais assustam é a de que aquela ou essa revista será descontinuada. Como eu só coleciono Marvel desde sempre, eu vou citar exemplos da Marvel e uma ou outra editora no Brasil, mas fiquem a vontade para falar das revistas da DC ou outras editoras que foram descontinuadas e eu não citar.

1a_4a_capas_pixelmag_11.indd

A Abril tinha a péssima mania de simplesmente de uma hora para a outra deixar de publicar uma revista se as vendas fossem ruins, tentando reiniciar as vendas em revistas diferentes. Antigamente tínhamos as revistas do Homem-Aranha, X-Men, Capitão América e Hulk, com Superaventuras Marvel dando apoio juntamente de Grandes Heróis Marvel. Essas seis revistas no famoso formatinho abrangiam toda a cronologia da Marvel no país, quer dizer, tentavam porque de vez em quando tinha que sair um especial em formato gigante que as páginas ficavam descolando com o tempo para poder suprimir as mega sagas como Ataque Atlantes, A Guerra do Alto Evolucionário ou Queda de Mutantes (eu disse Queda e não Massacre de Mutantes, são sagas distintas).

Então, para tentar aumentar as vendas eles aumentara o formato para o que se pode ser chamado de mini formato americano pois as edições ficaram mais retangulares, mais próximas do formato americano atual. A idéia não deu certo. A cartada final foi a série Premium, que durante um ano onerou excessivamente o bolso do leitor com revistas que não nego, tinham uma ótima qualidade, mas que eram caras demais e acabaram por colocar toda cronologia Marvel e DC em risco no Brasil.

Abril_GHM_Premium_ColFoi então que os leitores, até então desavisados, souberam da notícia de que a Panini iria começar a efetuar a distribuição no Brasil. Revistas de ícones da Marvel como Homem-Aranha e X-Men estavam asseguradas e continuam firmes até o momento, chegando a edição nº 100 em poucos meses. Porém, outras revistas não foram tão bem aceitas. O mix Hulk & Demolidor não foi em frente, sua sucessora Demolidor foi cancelada dando lugar a Marvel Action que tentou ser uma Max com menos sangue, assim como o mix original que saiam Vingadores e Capitão América, que acabou virando apenas Vingadores e mudando levemente de nome juntamente da equipe, primeiro como Novos Vingadores e depois como Poderosos Vingadores, mas a essência foi mantida.

Demolidor mesmo foi uma revista que ficou pulando de mix em mix até cair no momento em Universo Marvel após o cancelamento de Marvel Action. Capitão Marvel & Quarteto Fantástico morreu logo e foi substituido por Universo Marvel entre outras mudanças que querendo ou não foram para o bem dos leitores. Porém, me dou o direito de criticar a Panini pela escolha de publicar Demolidor juntamente de Universo Marvel com Hulk, Hercules e Quarteto. Percebe-se claramente que a revista do Demo não tem uma aceitação muito boa no Brasil. Talvez, se fosse o caso, começar a publicar ela em encadernados de Marvel Apresenta que nem está sendo feito com Punho de Ferro de Ed Brubacker, uma série de um herói urbano que tem as mesmas características do Demolidor.

De vez em quando nos vemos surpresos com o cancelamento de alguma revista, outras vezes o termo correto é absurdado. Quando a revista Pixel foi cancelada, declarando a morte prematura da editora Pixel que foi absorvida pela Ediouro, uma grande parcela dos leitores reclamou efusivamente e com razão. Era com certeza o melhor mix que estava sendo lançado no Brasil, com DMZ, Y – The Last Man, Planetary e Frequência Global, com uma ou outra edição de Ex Machinna, Hellblazer, etc. Fábulas Pixel estava abrindo outro mercado com Fábulas, João das Fábulas e Promethea de Alan Moore como carros chefe, porém, o mercado matou a editora e a revista.

demolidor ed

Por sorte a Panini absorveu estas revistas e as está lançando em uma revista mensal e uma série de encadernados com as principais revistas, mas a distribuição setorizada simplesmente está colocando as revistas do selo Vertigo apenas nos grandes centros, o que, para o leitor do interior do Brasil é um saco porque ter que comprar quadrinhos pela internet e mandar entregar em casa é um saco e sai caro. Isso quem tem acesso a internet, aqueles que não tem como comprar pela net, ficam rezando para que a revista chegue por lá daqui uns 6 meses.

Esperemos agora que com a chegada de Reino Sombrio e a melhor adequação do selo Vertigo, as coisas voltem a se estabilizar por um tempo pelo menos, até que o mercado obrigue as editoras a tomarem mais uma medida e cancelar uma outra revista como Max, que, sinceramente eu não sei como está se mantendo viva nesse nosso mercado.

J.R. Dib

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário

  1. Vale citar também Paladinos Marvel, e Marvel 2002… que foram tranformadas para aquele formato econômico, entre ela Justiceiro & Electra, e que também antes do quarteto fantástico ir para Universo Marvel, eles estavam na revista mensal do Hulk, que também foi cancelada… Só nos resta esperar o ano que vem e ver o que vai aparecer de novo por ai, visto que tem início o “Reino Sombrio”!!!

    Abraços!!!