em

Um adeus ao ídolo Frank Frazetta

Frank Frazetta se foi neste dia e deixou uma gama de fãs estupefatos, afinal, fora-se o homem que criou imagens clássicas de Conan, Thor, Tarzan e inspirou tantos outros artistas no mundo dos quadrinhos e das artes.

Frazetta era um mestre das sombras e da expressão. Dos detalhes dos corpos e da inspiração no fantástico. Ele trabalhava tanto com desenhos à mão, quadros à óleo e tiras de quadrinhos. Seus trabalhos são comparados com grandes mestres como Boris Vallejo, comparação esta mais do que merecida, porém, ainda vejo um estilo mais detalhista em Frazetta, especialmente na anatomia dos corpos, tanto feminino quanto masculino.

Ele criava suas mulheres com corpos reais, sem exageros ou músculos impossíveis, assim como com as devidas gordurinhas, assim como é fato que, apesar de construir imagens masculinas marombadas, percebia-se na expressão de cada um aquele olhar de cansaço e dor do guerreiro que já viu coisas demais.

Suas capas de Conan, Tarzan, John Carter From Mars, Vampirella e outras são épicas pela qualidade do trabalho e pela inspiração que trouxeram aos jovens, que viam nelas algo mais que um quadrinho qualquer. Ainda, no gênero fantástico, ele fez centenas, senão milhares de quadros (um mais maravilhoso que o outro), trazendo toda a sua técnica e qualidade não só para os quadrinhos, mas para capas de discos como Expect No Mercy, da banda de rock escocesa Nazareth ou o primeiro disco do Wolfmother.

Um dos artistas que mais se inspirou nele foi Bernie Wrightson, um dos criadores do Monstro do Pântano. Difícil dizer quem ele não inspirou, mas podemos citar Andy Kubert, Ron Garney, Jimmy Palmiotti, David Finch, Mike Deodato Jr., etc.

Abaixo eu vou deixar uma galeria com uma série de imagens dos trabalhos dele, apenas para demonstrar porque tantos simplesmente achavam que ele era um dos mestres das pinturas e imagens fantásticas.

J.R. Dib

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários