em

GURPS Holy Day: Tire a poeira do seu D6!

Como muitos sabem, durante a década de 90 haviam três núcleos de RPG considerados como principais, o AD&D, o Storyteller e o GURPS. Esse último, ainda que realmente não figure mais entre os principais livros em termos de venda, manteve internacionalmente uma base regular de fãs que o mantêm em sua quarta e excelente edição.

Aqui no Brasil a coisa é um pouco mais feia, já que o mesmo não tem um suplemento publicado há muito tempo, o último lançamento de GURPS foi o GURPS Psiônicos em 2003. Vale lembrar que este livro (assim como outros lançados por aqui) pertencia originalmente a terceira edição original, que foi ignorada pela Devir, causando desconforto e confusão para muitos, em termos de regra.

A quarta edição foi prometida diversas. A primeira data oficial foi em 2006, de lá para cá, nada mais foi anunciado, e quase todos que podiam desistiram de esperar e resolveram se virar com a versão original mesmo (como a minha mesa de GURPS, onde o narrador tem muitos, muitos livros da quarta edição).

Com esse cenário nem um pouco promissor um grupo de pessoas criou uma iniciativa de trazer de volta o GURPS para as mesas do Brasil e do mundo. É o GURPS Holy Day.

“O GURPS Holy Day é um projeto independente que visa promover o encontro de jogadores de GURPS, incentivando e difundindo a prática sadia do RPG, através do mais versátil sistema de RPG do mundo.

Nosso principal objetivo é que jogadores possam se encontrar, formar novos grupos, torcar experiências e ampliar os horizontes do nosso tão querido GURPS.

O evento GURPS Holy Day é feito pelos próprios jogadores e consiste simplesmente em juntá-los num único lugar e jogar GURPS. Esse lugar será chamado aqui de “Núcleo”, os jogadores de cada parte do mudo irão eleger um lugar em sua cidade, se reunir e jogar.”

A idéia é que todos se prontifiquem a criar o seu próprio GURPS Holy day, ajudando a divulgar o sistema em sua região, alguma dicas do site oficial:

“OK! Mas como eu faço um GURPS Holy Day? O primeiro passo é verificar se alguém já iniciou um núcleo na sua cidade. Caso isso já tenha ocorrido, basta você se juntar a ele. Na área dos núcleos você pode ter mais detalhes sobre isso.

O mais importante é a data, a única coisa que une os diversos núcleos é que todos estarão jogando GURPS ao mesmo tempo.

Este é o 1º GURPS Holy Day, ele se realizará no dia 22 de novembro de 2008.

Mas e se não houver um núcleo na minha cidade? Ora! Faça um!!! Junte seu grupo, seus amigos, baixe o material de divulgação disponível no setor de downloads, imprima, copie, distribua, faça o seu GURPS Holy Day.

O local: Antes de tudo você precisa definir aonde vai fazer o evento, você precisa de um local para que os participantes possam rolar as suas mesas. A primeira opção normalmente é uma livraria especializada em RPG, elas normalmente sedem espaço para esse tipo de evento. Caso não exista uma em sua cidade, tente uma livraria convencional, de preferência uma grande, e obviamente uma que tenha estrutura. Se isso não também estiver disponível, procure a prefeitura de sua cidade e tente um centro de eventos local. Se nada disso funcionar, não se desespere, o salão de festas de seu prédio ou clube é um lugar tão quanto qualquer outro lugar (só precisa conseguir a autorização…).

A organização: antecipe-se, esteja em contato com os possíveis mestres, faça um pré-cadastro de quem vai mestrar e o que vai mestrar, exija q os mestres estejam sedo no evento para confirmar essas mesas, faça as inscrições de mestres e jogadores pela manhã, para que a tarde fique livre para jogos. Incentive que os mestres levem personagens prontos para agilizar o processo e partir direto para a ação.

A divulgação: INTERNET!!!! Ela esta ai a sua disposição, use-a! Mande e-mail para seus amigos, entre nos fóruns, entre no Orkut, espalhe a noticia! Mas lembre-se o seu Holy Day é um evento local, sua divulgação efetiva vai ser na sua cidade mesmo. Você já deve conhecer os lugares que os jogadores de RPG freqüentam, basta imprimir alguns cartazes e colar nesses locais. Faça fotocópias dos panfletos e deixe nas livrarias, leve para o colégio, faculdade, clube, no mundo do RPG o boca-a-boca ainda tem muita força.

Por fim não esqueça de baixar a planilha-relatório e preenche-la com os dados do seu GURPS Holi Day, essa é a parte mais importante do evento, pois permitirá que nós tenhamos uma idéia de quantas pessoas e lugares o evento atingiu.”

Desejo sorte à iniciativa, e certamente procurarei estar presente no núcleo de minha cidade (e é uma desculpa perfeita para tirar a poeira de meu cientista da S.H.I.E.L.D. teletransportador).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 Comentários

  1. Eu acho difícil, primeiro por que ao contrário do gurps não existe a necessidade de se chamar a atenção para o mesmo (devo confessar que praticamente todas as pessoas que conheço que jogam rpg, jogam storyteller, com raras exceções). Segundo que a pior coisa que se pode fazer para uma boa mesa de wod é jogar com muita gente. É preciso silêncio, calma, reflexão, tudo o que não se tem nessas convenções. Por isso que nunca jogo nas mesmas esse tipo de crônica.

  2. Não creio que ser muito jogado seja uma justificativa para evitar um “WoD Day”, afinal D&D é mais vendido e jogado que WoD e mesmo assim teve o seu dia.
    Enfim, estarei lá (seja onde for) mestrando alguma coisa.

  3. Muito bacana. Tem um grupo de conhecidos meus tentando emplacar um “dia sem dungeons”, onde se joga qualquer coisa que não seja D&D. Tomara que esses “dias disso” e “dias daquilo” pipoquem até que se tenha um calendário consistente de eventos. Uma ação dessas pode trazer de volta bons projetos de mini-gurps, que foi uma das melhores iniciativas de RPG no Brasil até então.