em

Exposição de Ron Mueck no Rio impressiona com hiperrealismo de suas obras

O Museu de Arte Moderna do Rio está sendo procurado como nunca nas últimas semanas. Tudo por causa de uma exposição que, embora seja curta, deixa o público de queixo caído com o que vê diante de seus olhos. Tanto que, apesar das longas filas de espera para entrar no MAM, as pessoas esperam pacientemente  sua vez para ver bem de perto o trabalho do artista plástico Ron Mueck. O escultor australiano, que mora e trabalha na Grã-Bretanha, chamou a atenção do mundo das artes com suas estátuas bastante detalhistas de pessoas (ou animais) em diversas situações.  Utilizando técnicas mistas, Mueck obtém um resultado que impressiona não só pela riqueza de detalhes, mas também pela mensagem, explícita ou implícita que quer levar o espectador à reflexão.
A mostra que está no MAM é a mesma que foi exposta em 2013 na Fondation Cartier pour l’Art Contemporain em Paris e que, depois, foi para a Fundación PROA, em Buenos Aires, Argentina. Ela consiste de nove peças, sendo que três delas nunca foram vistas no Brasil: Um casal de adolescentes na rua, uma mãe com seu bebê e um casal de idosos debaixo de um guarda-sol, numa praia. Veja, abaixo, uma descrição mais detalhada de cada uma das obras da exposição, com base no catálogo “Ron Mueck”, que também está à venda no MAM, com textos dos curadores Justin Paton e Robert Storr:

Young Couple (Jovem Casal)

Uma das novidades da exposição, a escultura mostra um rapaz ao lado de uma jovem, que parece estar lhe confidenciando algo, como se tivessem uma relação de cumplicidade. Porém, quando damos a volta e olhamos para a parte de trás, vemos que o garoto não está segurando a mão dela, mas sim, a mantém agarrada pelo pulso, o que representa uma relação de poder e intimidação. Além deste detalhe, chama a atenção o figurino que os dois usam, que revela que são pessoas comuns, que podem ser vistas em qualquer rua das grandes metrópoles.

Man in a Boat (Homem no Barco)

Nessa obra, vemos um homem sentado de braços cruzados na proa de um grande bote, completamente nu. Seu olhar está fixo num ponto situado a uma distância intermediária, com a cabeça tombada, o que pode indicar dúvidas e inseguranças sobre o que vem em seguida. Mueck mostra aqui seu apuro visual, onde o público pode observar detalhes como as dobras da pele do homem, suas imperfeições, até mesmo o órgão sexual dele, apertado entre suas pernas já envelhecidas e aparentemente cansadas. Mas o que mais intriga, mesmo, é o seu semblante, que deixa uma aura de mistério sobre o que ele poderia estar pensando dentro daquele barco.



Mask II (Máscara II)
Ron Mueck havia feito Mask, um autorretrato gigantesco em 1997, onde aparece com o rosto bastante zangado. Cinco anos depois, ele voltou ao tema, só que em Mask II, ele mostra a sua face adormecida. Mais uma vez, o destaque é a riqueza dos detalhes, desde os poros da pele aos pelos do nariz, que podem ser vistos a olho nu.

Still Life (Natureza Morta)
Nessa obra, Mueck fez um gigantesco frango depenado, pronto para ser vendido ou cozinhado. Embora esteja “morta”, a ave é tão bem construída que parece que voltará a viver a qualquer momento. Mueck utiliza esta estátua para que o público sinta o sofrimento que alguns animais sofrem para serem alimento nos nossos pratos.

Drift (À Deriva)
A escultura pregada numa parede mostra um homem flutuando em cima de um colchonete inflável, aparentemente dentro de uma grande piscina. O indivíduo tem entradas no cabelo, usa óculos de sol e está de braços abertos, como se não tivesse nada para fazer. Mueck fez a sua criação usar bermudas comuns, que não chamam a atenção à primeira vista. Assim como seu corpo, pouco trabalhado fisicamente, mas ainda assim, aparentemente jovem. Seu rosto tem uma certa descontração, por parecer se divertir com a situação. É possível que, por estar preso à parede, ele mais pareça estar crucificado, por causa da posição de seus braços e pernas, numa espécie de representação bíblica.

Woman With Shopping (Mulher Com as Compras)
Essa é a última de um trio de obras sobre a maternidade que Mueck produziu nos últimos 12 anos. As outras duas são Pregnant Woman e Mother and Child (que não estão na mostra). Em Woman With Shopping, o artista mostra uma mulher carregando pesadas sacolas de supermercados em suas mãos, ao mesmo tempo que leva o filho debaixo de um sobretudo, bem preso ao seu peito. Ele se inspirou numa cena que viu numa rua de Londres e parece reconhecer sua força ao mostrar que, mesmo cansada, a mulher está disposta a tudo para que seu bebê seja bem acolhido e alimentado.

Couple Under an Umbrella (Casal Debaixo do Guarda-Sol)
Essa é a maior e a mais impressionante escultura da exposição. Em Couple Under an Umbrella, uma das novidades da mostra, vemos um casal de idosos curtindo um momento de lazer, inspirados numa visão que o artista teve numa praia em Portugal, perto de Lisboa. Ao contrário de Young Couple, onde há uma relação de dominação e poder, aqui as duas figuras aparecem inseparáveis: ela apoia seu torso no braço dele, enquanto ele descansa sua cabeça na coxa dela, denotando uma certa tranquilidade, apesar do olhar triste na mulher. Mueck chama a atenção no perfeccionismo ao retratar as mãos e os pés dos seus personagens e em detalhes como a aliança na mão dela e os pelos despenteados das sobrancelhas dele.

Youth (Juventude)
Assim como em Couple Under an Umbrella, Mueck se inspirou em uma cena real que ele testemunhou, desta vez na Inglaterra. Nesta obra, um adolescente negro levanta a camisa manchada de sangue e olha para a ferida que surge ao lado do torso. Criada em 2009, a estatueta quer denunciar o grau de violência que se intensificou entre os jovens ingleses nos últimos anos, especialmente pelo aumento do uso de objetos cortantes, como facas e canivetes. O artista procura causar reflexão ao público sobre como rapazes podem até perder a vida, com tão pouca idade, por motivos que talvez nem mesmo eles entendem ou possam explicar.

Woman With Sticks (Mulher Com Galhos)
Também de 2009, a obra apresenta uma mulher obesa e nua, curvada para trás e abraçando um monte de galhos. No rosto, é possível ver um brilho em seus olhos e um leve sorriso, ambos igualmente enigmáticos. Para muitos especialistas, Mueck desenvolve nesta estátua um clima de sonhos e de contos de fadas, como aqueles escritos pelos Irmãos Grimm (“A Bela Adormecida”, “Branca de Neve”, entre outros). Assim como nas outras obras da exposição, essa desperta uma grande curiosidade por causa do resultado obtido pelo artista, que foi meticuloso nos mínimos detalhes, desde as dobras na pele até os cabelos de sua personagem.
Apesar das descrições e das imagens que estão nesta resenha, a melhor experiência é estar lá, diante das obras de Ron Mueck, e vislumbrar esse incrível trabalho deste artista plástico inovador. A mostra fica no MAM do Rio de Janeiro até o dia 01 de junho e os ingressos estão à venda por R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia), que podem ser adquiridos no local ou pela internet. O público poderá ver a exposição de terça a sexta-feira, de 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, o MAM fica aberto das 11h às 19h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário