em , ,

NonNon EitaEita

Perdemos José Luís Benício, um dos nossos maiores ilustradores

O gaúcho de Rio Pardo nos deixou aos 84 anos

Morreu, nesta terça-feira (7 de dezembro), aos 84 anos, o ilustrador José Luiz Benício, conhecido como ‘mestre das pin-ups brasileiro’. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Benício, como era mais conhecido, foi um dos maiores artistas gráficos do país da segunda metade do século XX. Em sua carreira de mais de 50 anos criou milhares de capas de livretos de bolso – bolsilivros (pocket books), mais de 300 cartazes do cinema nacional, centenas de capas de disco, anúncios de publicidade e ilustrações de livros.

Vida

Nascido no interior gaúcho em 1936, Benício foi morar em Porto Alegre aos quatro anos de idade. Logo aos 15 anos, começou a trabalhar numa agência de publicidade, mesmo período que foi pianista na Rádio Gaúcha, escondido de sua mãe. Em 1953 saiu do Rio Grande do Sul para o Rio de Janeiro, entrando na Editora Rio Gráfica.

Influenciado por Norman Rockwell (1894-1978) e Gabriel Vargas (1915-2010), ele se especializou em retratar tanto cenas do cotidiano quanto mulheres voluptuosas. Nos anos 1960 iniciou desenhou mais de 2 mil capas de livros de bolso, eme especial a série Memorias secretas de Giselle, a espiã nua que abalou Paris e a ZZ7, com a filha de Gisele, Brigitte Montfort, também uma sexy, linda e voluptuosa espiã.

Nos anos 70 ele foi o mais solicitado e famoso ilustrador de cartazes do cinema nacional, produzindo mais de 300 deles em duas décadas – sendo obrigado a driblar e negociar com a censura da ditadura militar para aprovar seus trabalhos. Continuou em grande atividade pelos anos 80, trabalhando sempre com tinta a guache, até a posse do presidente Fernando Collor, que fechou a Embrafilme e paralisou a produção cinematográfica no Brasil por falta de financiamento.

Nos anos 90, com mais de 50 anos de carreira, passou a ilustrar projetos de arquitetura e trabalhar por encomenda para as revistas Veja, Playboy e Isto É, entre várias outras, como o advento do computador perdeu muito dos trabalhos, passou a ser menos solicitado pelo cinema e começou a trabalhar com encomendas.

Homenagens

Em 2011, a editora Reference Press publicou o artbook Sex & Crime: The Book Cover Art of Benicio:

Em 2013, o renomado jornalista Gonçalo Júnior, lançou pela Opera Graphica lançou E Benício criou a mulher, do jornalista Gonçalo Junior, que conta a história pessoal e profissional do artista e traz mais de 200 ilustrações feitas por ele para diversos veículos através das décadas. O livro é uma obra revista, atualizada, revista e ampliada de Benicio – Um perfil do mestre das pin-ups e dos cartazes de cinema, do mesmo autor, lançada em 2006.

No primeiro semestre de 2021, Benício foi convidado pela Funarte a participar da série “Memória Funarte”, dedicada a registrar as memórias de personagens com importância na arte do Brasil.

Apresentamos abaixo algumas de suas ilustrações:

Descanse em paz, mestre!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *