em ,

Movie Tunes: Scott Pilgrim Contra o Mundo


Warning: Division by zero in /home/ambrosia/public_html/wp-content/themes/bimber/includes/theme.php on line 1312

De quando em quando, surge uma trilha sonora que marca época e será sempre lembrada pelas pessoas que ela afetou naquela geração. Quem acompanha esta coluna sabe que aqui só passaram grandes trilhas sonoras e que, devido ao Bitscópio, ficamos sem ver a carinha do Movie Tunes por um tempo, porém, ela está de volta devido a fantástica trilha sonora de Scott Pilgrim Contra o Mundo.

Como há ainda poucos vídeos no youtube com a música, eu vou linkar AQUI o site Spinner, contendo toda a trilha para ser ouvida e comprada.

Para começar, as escolhas dos artistas foram um dos atrativos, especialmente que o filme é altamente centralizado nas músicas, seja da banda fictícia Sex Bob-Omb em que todas as músicas foram gravadas pelo cantor e compositor Beck, seja das músicas que rolam no decorrer da película.

Na imagem: Scott Pilgrim (Michael Cera), Ramona (Mary Elizabeth Winstead), Neil (Johnny Simmons), Knives (Ellen Wong), Kim Pine (Alison Pill) e Stephen Stills (Mark Webber)

Na trilha, as músicas Threshold e Summertime são cantadas pelos atores Michael Cera (Scott Pilgrim) e Mark Webber (Stephen Stills), mas têm versões cantadas por Beck, e ainda Threshold ganhou uma versão 8 bits, nos moldes dos games clássicos com suas trilhas em “mid”.

A música que abre o álbum é “We are Sex Bob-Omb”, cantada pelos dois atores, com a perfeita participação da baterista Kim Pyne (Alison Pill) e seu grito de guerra que todos já puderam ver nos trailers.

No decorrer do filme, a banda de Scott acaba encontrando diversos adversários, entre eles Crash and the Boys (que foi interpretada nas gravações pela banda Broken Social Scene), uma banda que gera um dos melhores momentos logo no começo dos quadrinhos quando eles tocam “I’m So Sad, So Very, Very Sad” que tem exatos cinco segundos e o povo do Sex Bob-Omb fica com inveja da “qualidade” da música deles. Já “We Hate You, Please Die” é um hino de menos de um minuto que literalmente põe a casa abaixo no quadrinho (e no filme provavelmente). Ambas são cantadas pelo ator Erik Knudson (Crash), já que para cantá-la não é necessário ser um cantor, conforme disseram os membros do Broken Social Scene.

A outra banda adversária é Clash at Demonhead, em que a sua vocalista Envy Adams (Brie Larson), ex de Scott, e Todd (Brandon Routh), ex de Ramona, tocam. A música que eles tocam no filme se chama Black Sheep e foi emprestada pela banda Metric para o filme. Querem ver como ficou?

O visual da vocalista Envy é baseado na vocalista do Metric, Emily Haines. Mas quem canta no filme é a atriz Brie Larson, o que me surpreendeu, já que tem uma voz muito parecida com a original e foi eleita pelos atores como uma das músicas que mais prendeu a atenção quando ouvida.

Muita gente não sabe, mas Scott Pilgrim, antes de ser um quadrinho, era o nome de uma música da banda Plumtree que inspirou o escritor. O clipe original dela pode ser visto abaixo:

Ainda, clássicos da cena indie como T-Rex, Frank Black, Black Lips e The Bluetones fazem parte da trilha juntamente de um inesperado The Rolling Stones com “Under My Thumb” que cria um clima da batalha final com Gydeon, o último chefe do jogo, quer dizer, último ex maligno de Ramona.

Outra banda que chamou a atenção nos trailers e quando ouvida já remete a cenas de ação é Blood Red Shoes, a versão oposta do White Stripes (mulher na guitarra e vocal e moleque na baterista e vocal). O som é gostoso e cativante. Uma nota é que o baterista é a cara do Scott Pilgrim, muito mais que o Michael Cera, ele que deveria ter interpretado o personagem no filme.

Fica então a dica de comprar essa trilha já que ela vale totalmente a pena de se ter, seja por ser fã dos quadrinhos, seja por gostar de indie rock. Agora é esperar que a distribuidora no Brasil se arrependa de ter programado o lançamento do filme para o fim do ano e volte ele para uma data mais próxima, já que ele estréia nos EUA neste final de semana.

Avatar

Publicado por J.R. Dib

A cultura, o cinema, a arte, a justiça e a literatura unidas em prol de uma melhor sociedade. Advogar, viver e difundir cultura e aprender a cada dia mais, buscando novos desafios e descobrindo a beleza e a doçura de cada objetivo como Advogado, Editor e Colunista.