em ,

Movie Tunes: Um Drink no Inferno

Tá, é oficial, eu quero me espancar. Em todo tempo que eu escrevi o Movie Tunes eu sempre me lembrava da fantástica trilha sonora de Um Drink no Inferno e acabava passando adiante devido a algum contratempo idiota. Mas, de hoje eu não deixo passar. Um dos maiores filmes cults já feitos por Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, com tanta violência e sangue que tiveram de mudar a cor do sangue dos vampiros para verde com o fim de evitar a censura americana: Um Drink no Inferno.

- Um Drink no Inferno 1996 - Movie Tunes: Um Drink no Inferno

Tarantino e Rodriguez sempre formaram uma boa dupla de diretor/escritor e nunca ficaram presos ao que os estúdios queriam. Segundo consta, desde sua infância, Tarantino era fascinado por cinema e alguns clássicos filmes acabaram por marcar sua vida de forma que ele sempre quis prestar uma homenagem, seja na forma de um spaguetti western como Kill Bill, seja como um horror cult como em Um Drink no Inferno. Aqui, vemos uma família sendo sequestrada por dois ladrões fugitivos, Seth (George Clooney) e Richard Gecko (Quentin Tarantino) e levados para o México onde seriam libertados após uma noite esperando pelo contato dos dois ladrões. A família tem o pai, Jacob (Harvey Keitel) e os filhos Kate (Juliette Lewis) e Scott Fuller. Só que, o que era para ser um “passeio em família” com os bandidos, acaba se tornando uma noite infernal em um bar de motoqueiros e caminhoneiros infestado por vampiros.

O filme é ruim no sentido de nunca se levar a sério e nunca pedir que seja levado, a começar por todo tipo de exagero e situações escabrosas que só Tarantino e Rodriguez conseguiriam. A trilha segue essa linha, com o que há de melhor no rock e blues texano, no caso, ZZ Top e Steve Ray Vaughn. Ainda, seguem Jimmy Vaughn, The Blasters e, já em território mexicano, Tito & Tarantula. Mas, para começar, The Blasters com Dark Knight, a música que abre o filme logo após a cena inicial na venda à beira da estrada.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=aMQgjZ4nwyQ[/youtube]

Após passarem para o lado mexicano da fronteira, os protagonistas se dirigem ao bar chamado Titty Twister no qual se juntam os piores motoqueiros e caminhoneiros que já se viu. Obviamente que Tarantino e Rodriguez queriam chocar com a temática sensual diabólica do bar desde o começo. Mulheres semi-nuas, um enorme letreiro em neon com o nome do bar e uma mão dando um beliscão no bico de um seio, dado o nome do bar.

Ali, na porta, vemos Cheech Marin, eterno ator dos filmes da dupla, em um daqueles discursos para chamar atenção dos fregueses, oferecendo a variedade de “produtos” que podem ser consumidos no bar. Vale ver o vídeo no Youtube para tentar contar quantas vezes ele fala “pussy” em coisa de 1 minuto.

Dentro do bar, eles são recebidos por mais um dos favoritos de Rodriguez: Danny Trejo que faz um barman mal encarado (tem como ele ficar bem encarado?) e começam a assistir o show que conta com a banda Tito & Tarantula com a participação mais do que especial do baterista da banda Oingo Boingo, Johnny ‘Vatos’ Hernandez, que, com apresentação de Danny Trejo, trazem Satánico Pandemonium (Salma Hayek) em uma dança sexy com uma cobra ao som de After Dark.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=T6myCC9X6X8[/youtube]

Uma nota, o nome da personagem de Hayek se deu em homenagem ao filme “Satanico Pandemonium” de 1973, um clássico do exploitation mexicano em que uma freira é dominada por um demônio e precisa ser exorcizada através do sexo. Tarantino ficou assim depois de tanto assistir filmes como este em sua juventude.

Após a cena com Hayek, vemos que todas as dançarinas e funcionários do bar são vampiros e todos ali dentro são o jantar e a matança começa. Como a coisa toda se desenrola ao som de uma trilha incidental, nada melhor do que ver o clipe da música Cucarachas Enojadas do Tito & Tarantula que contém diversas cenas do filme.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=ffNvntwn8RI[/youtube]

Até hoje, Um Drink no Inferno é um clássico dos filmes trashs e é assistido com o mero intuito de diversão e risadas das situações que somente Tarantino e Rodriguez conseguiriam criar. Vale a pena pegar o filme e ouvir a trilha para relembrar esse filmão.

Para terminar esse Movie Tunes, que tal os mais barbudos e divertidos roqueiros de todos os tempos? ZZ Top com “She’s Just Killing Me“, um clipe com direito a George Clooney, Danny Trejo e Salma Hayek toda sexy e fatal.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=Zi5WH8A65RU[/youtube]

2 opinaram!

Deixe sua opinião!

Deixe sua opinião

Avatar Heróico

Publicado por J.R. Dib