em ,

Spielberg volta a ser criança com “O Bom Gigante Amigo”

Era uma vez um menino que não queria crescer. Para permanecer em seu mundo onírico decidiu virar cineasta e deu ao mundo algumas das mais marcantes fantasias da sétima arte. Um dia, para provar que tinha crescido, o menino saiu da Terra do Nunca e, para a surpresa de todos, foi muito bem sucedido. Mas ao voltar para o mundo onde meninos não crescem, já não era mais o mesmo. A partir daí, ele passou a alternar momentos no mundo da fantasia com outros no mundo real.

Esse poderia ser um enredo de um filme de Steven Spielberg. Até lembra bastante “Hook: A Volta do Capitão Gancho”. Mas é a carreira do próprio Spielberg. Por mais que ele não queira deixar o menino que há dentro dele morrer, é nos filmes adultos que ele tem tido êxito. Haja visto “Ponte dos Espiões”, que concorreu ao Oscar de Melhor Filme e faturou Melhor Ator Coadjuvante.

Para voltar a dialogar com o público infanto-juvenil de forma triunfal, o cineasta não economizou. E a Disney já tem seu Star Wars e viu aqui a oportunidade de ter também seu “E.T.”. Recorreu a uma obra do autor de  “A Fantástica Fábrica de Chocolates”, Roald Dahl, e promoveu a retomada da parceria com Melissa Mathison, responsável pelo script de “E.T.”, para a adaptação. Foi o último trabalho da roteirista, que faleceu em novembro de 2015.

“O Bom Gigante Amigo” (The BFG, EUA/2016), no entanto, está distante da excelência da obra-prima de 1982. Tampouco é memorável quanto a adaptação da fábula de Willy Wonka de 1971. Mas traz um delicioso gostinho de sessão da tarde (como ‘A Fantástica Fábrica’) que ameniza seus defeitos.

bfg5

Na trama, a menina Sophie (Ruby Barnhill) embarca na aventura de sua vida quando ela conhece o gigante amigo do título. O susto inicial dá lugar a uma grande amizade quando ela percebe que gigante é realmente muito gentil e charmoso. Porém, a presença de Sophie atrai a atenção indesejada dos outros gigantes ameaçadores e bem maiores, que oprimem seu amigo. Para se livrarem da ameaça, Sophie e o BFG viajam a Londres para pedir ajuda à rainha Elizabeth (Penelope Wilton).

Não é a primeira adaptação para o audiovisual da história. Houve uma versão animada em 1989 de Brian Cosgrove que pode ser encontrada em DVD baratinho em alguns varejos. A versão de Spielberg, no entanto, vem com a pompa de superprodução.

Para o papel-título foi escalado o ator Mark Rylance, o vencedor do Oscar de Coadjuvante por “Ponte”. O resultado foi conseguido com a técnica de captura de movimentos e CGI.

Fica claro que Spielbeg e Mathison se reuniram para reviver a mágica de “E.T.”. Tanto que escolheram uma obra literária que permitia que se construísse uma narrativa similar. Temos aqui a amizade de uma criança com uma criatura estranha que precisará de ajuda. Até a fotografia de Januz Kaminski, o fotógrafo de estimação de Spielberg há 23 anos, em vários momentos remete à de Allen Daviau. Quem também está de volta é o maestro John Williams. Colaborador de longa data do cineasta, ele não assinou a trilha de “Ponte dos Espiões”. Não chega a ter a inspiração de “Star Wars: O Despertar da Força”, mas é funcional. Williams dificilmente erra.

bfg3

O ponto fraco recai mesmo sobre o script. O roteiro peca em seu desenvolvimento, se prolongando demais na apresentação, remanchando o cerne da trama. Os efeitos especiais não chegam a derrubar o queixo, mas são eficazes e críveis na maior parte do tempo. Todavia, os gigantes maus são um pouco artificiais, e há problemas de descontinuidade de escala.

Pode-se dizer que o grande trunfo do filme é mesmo Spielberg. É seu toque de midas que pesa a favor, e prova que ele ainda consegue contar uma história para crianças, mesmo que não seja tão brilhante. É um filme nostálgico, sem dúvidas. Olha para trás, para uma época menos frenética, menos cínica, quando sonhar não era acinte.

Enquanto Spielberg ainda estiver disposto a retornar à Terra do Nunca, esse direito de sonhar está assegurado. Mesmo sem ser fascinante, “O Bom Gigante Amigo” mostra o espírito lúdico do cineasta intacto. Agora é esperar para ver se a ficção “O Jogador Número 1” trará sua maestria de outrora.

bfg4Filme: O Bom Gigante Amigo (The BFG)
Direção: Steven Spielberg
Elenco: Ruby Barnhill, Mark Rylance, Penelope Wilton
Gênero: Fantasia
País: EUA/Reino Unido
Ano de produção: 2016
Distribuidora: Disney
Duração: 1h 57min
Classificação: Livre

Deixe sua opinião

Publicado por Cesar Monteiro

ComicCon RS divulga sua programação

#TBT: MTV dos anos 90 volta ao ar nos EUA