Ambrosia Críticas "Talvez Uma História de Amor": quando o gênero é bem ilustrado no Brasil

"Talvez Uma História de Amor": quando o gênero é bem ilustrado no Brasil

No Brasil, a tradição recente das chamadas comédias românticas sempre pendem mais para as facilitações da comédia e menos para as possibilidades do romântico. Taí um gênero muito banalizado, o que influenciou uma espécie de falta de identidade dos filmes sob essa perspectiva. Talvez Uma História de Amor, nesse sentido, é uma boa surpresa. Não pela originalidade, mas pela honestidade com que estabelece sua história.
Baseado no livro francês homônimo de Martin Page (mesmo autor de Como Me Tornei Estúpido?), o longa tem roteiro (com Alex Dantas) e direção de Rodrigo Bernardo (mais conhecido pelos curtas e pela série da Sony, (Des)encontros) que busca um frescor a la 500 Dias Com Ela para contar a história de um publicitário metódico Virgílio (Mateus Solano), que um dia recebe na secretária eletrônica um recado de uma mulher chamada Clara terminando tudo com ele. O problema é que o rapaz apagou da mente qualquer memória do possível amor de sua vida. A partir daí, todo o desenrolar da narrativa dá-se em torno da busca dele pela identidade dessa mulher.

A trama subverte a lógica de narrativa romântica, algo que exige muito do talento e carisma de Solano. E o diretor ainda agregou destacável charme visual ao contexto de seu protagonista, com auxílio da fotografia de Hélcio Nagamine, que transforma São Paulo, e depois New York, em cenários lúdicos para seus desencontros, mesmo diante do caos de suas urbanidades.
Há uma curiosa participação da atriz norte-americana Cinthia Nixon, além de um time de coadjuvantes com a missão de ajudar o publicitário a achar essa tal mulher. O tom de todo o filme é pautado pela leveza e certa dose de previsibilidade, amparada por esse notável e bem vindo cuidado com a estética.
A gente finge que não percebe que parte da trilha sonora foi chupada de The Secret Life of Walter Mitty – filme com Ben Stiller de 2013 – mas para além disso, Talvez Uma História de Amor cumpre seu papel de compreender que o Brasil, quando quer, sabe fazer comédia romântica honesta, o que é bem o caso aqui.
Filme: Talvez Uma História de Amor
Direção: Rodrigo Bernardo
Elenco: Mateus Solano, Thaila Ayala, Bianca Comparato
Gênero: Comédia Romântica
País: Brasil
Ano de produção: 2018
Distribuidora: Warner Bros.
Duração: 1h 45min
Classificação: 10 anos

Participe com sua opinião

Por favor preencha o comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

próxima publicação