em

Zak Penn fala sobre os Filmes Marvel

O website ComicMix entrevistou recentemente o roteirista e diretor Zak Penn. Os assunto foram os mais variados, desde seu filme novo até projetos futuros com Brian Michael Bendis, passando por diversos filmes que ele escreveu. O que eu postei abaixo são as partes mais interessantes do ponto de vista das adaptações dos quadrinhos para o cinema. Para que curte o ZP, vale a pena ler tudo.
O link da entrevista é esse AQUI.
Sobre ele ser um roteirista mais firme nas decisões:
ZP: Se eu ficar inseguro em algum momento, será a respeito dos meus roteiros. Quando estou dirigindo, eu sinto que estou no comando. Vejamos os filmes dos X-Men como um exemplo..
Como roteirista dos filmes dos X-Men ou do Hulk, eu sei que se eu quero que minhas idéias cheguem ao filme, eu vou ter que lutar feito louco e que haverão pessoas discordando de minha a cada passo que eu der. Alguns por razões legítimas, alguns por razões próprias, e porque eu tenho que ter uma razão de ficar nervoso a respeito da minha posição na cadeia alimentar, porque ela é tênue.
E mesmo em um filme como X-Men 3, onde eu fiquei do começo ao fim, ainda é tênue. Há pontos em que simplesmente “Eles não vão ouvir aos roteiristas agora.” Quando você está dirigindo, isto nunca acontece. Eles sempre irão te ouvir. Todos irão te ouvir. Você é o chefe. Então não há razão para insegurança.
Sobre a mudança dos diálogos no set.
ZP: Bem, eu não me importo muito com isso. É pior quando seu nome vai em algo que foi mudado para ficar da forma que outra pessoa queria que ficasse, mas ainda a culpa é minha. Sabe, particularmente em um filme baseado em histórias em quadrinhos onde, você sabe, a Fênix não fala nada pelos 45 minutos iniciais do filme e eu tenho que ouvir as pessoas reclamando disso.
Eu, para dizer a verdade, tive uma discussão constante e arrisquei minha carreira ao tentar arrumar isso, enquanto os fãs estão apenas nas cadeiras vendo ele. Então, quando eles dizem que estão bravos comigo, eu sei que eles não estão bravos como eu estava.
Há alguns roteiristas que estão contentes em não dizer nada. Eles apenas fazem o que lhe pedem. Por bem ou por mal, eu não sou um desses. Eu definitivamente tenho uma reputação por falar sobre isso.
Então eu tentei ser um defensor disso, particularmente nos filmes da Marvel. Eu realmente tentei ser um defensor pelo que eu pensava ser não só a coisa certa para os filmes, mas fiel ao material original e tudo o mais, mas isso não quer dizer que eu ganhei.
As vezes eu perco essas lutas. Na verdade, na maioria das vezes eu perco essas lutas. E as vezes eu as perco por boas razões, porque mesmo se algo é fiel aos quadrinhos, não quer dizer que o estudio está interessado em fazer. Mas fundamentalmente, eu ainda estou lá fora lutando, e ainda sou um grande fã e não vou desistir.
Mas isso não quer dizer que eu vou a um cinema e digo, “É, não era isso que eu gostaria que parecesse.”
Sobre a perspectiva dos fãs e como ele age
Particularmente no último filme dos X-Men, Simon Kimberg e eu demos várias entrevistas online e era como correr com as coisas mostrando como que iriamos fazer as coisas. Eu fui muito obtuso. As pessoas perguntavam: “O Ciclope terá um papel maior nesse filme? Haverá mais história dele do que do Wolverine”? E eu respondia, “Não, não haverá”.
Eu disse, “Se você quiser que eu fale disso, eu falo, mas eu não vou te enganar. … Se o que você quer ver é uma tradução literal dos quadrinhos que você ama, você não vai ver isso. Poder ser que seja justou ou injusto”.
CMix: Be, os primeiros três filmes foram uma história do Wolverine…
ZP: Com certeza. Isso foi feito por inúmeras razões. Uma, porque no primeiro filme Wolverine era o personagem mais popular mesmo antes de Hugh Jackman o interpretar. Segundo, Hugh Jackman se tornou uma estrela interpretando ele, portanto agora eles queriam que fosse a respeito dele. Terceiro, funciona melhor na telona.
Com Ciclope, você não pode ver os seus olhos. É um personagem mais difícil de relacionar com o público… Acima de tudo, uma das razões são as pessoas que não se importam sobre o que os fãs querem e vão fazer o que bem entender, adicionar o que eles quiserem ler, mesmo que não seja fiel aos quadrinhos.
O que me frustrou mais foi que eu pensava que os fãs iriam gostar que eu fosse sincero com eles — ao contrário da forma que as pessoas normalmente fazem dizendo o que eles querem ouvir.
CMix: E eles não gostaram, na sua opinião?
ZP: Realmente não. Eu poderia dizer a eles, “Olha, isso não vai ser tratado da forma que vocês querem. A Fênix será uma força cósmica na forma de um pássaro de fogo gigante? Não, porque não se encaixa nesse mundo. Se você vai se irritar, pode ser irritar comigo sobre isso, porque eu estou sendo sincero e falando isso na sua cara”.
E eu pensei que eles iriam pelo menos apreciar que alguém foi honesto com eles e dizendo, “Olha, isso é o que você pode esperar e o que você não pode esperar.”
A ironia é, eu descobri que isso não funciona assim. Não importa quem fosse o mensageiro, eu estava dizendo a eles coisas que eles não queriam ouvir, eles não poderiam separar entre eu dizendo a eles “Eu não estou dizendo que eu quero desse jeito, eu estou dizendo que assim é que irá acontecer” e ainda me culpar pela coisa toda.
É muito irracional, e eles criam essa coisa icônica falsa… Coisa como, se o Hulk não tem tal altura, está errado e é simplesmente ridículo. Não há como mexer com isso.
O ruim é que há vezes em que eles estão certos sobre esse tipo de coisa. Quando eu digo, ” Não, o que você está reclamando é o que está tornando esse filme pior, você está totalmente certo.” Como por exemplo se a Fênix será colocada como parte da história, você simplesmente não pode largar ela em favor de algo mais. Você tem que terminar com ela.
Sobre o filme do Hulk:
ZP: Eu escrevi o rascunho do primeiro filme em 1994.
CMix: Do Hulk do Ang Lee?
ZP: Bem, antes que ele se tornasse o Hulk do Ang Lee. Eu escrevi o segundo rascunho em 1995. Eu fui contratado para escrever os rascunhos e meu “lance” era, “Vamos fazer algo que use mais a estrutura do antigo show da TV.
Eu pensava que todo o lance de fugitivo era muito bom e como alguns elementos do show travavam Banner e seus problemas que deveriam estar no filme. Eu escrevi o rascunho e eles não gostaram. Fui largado.
As pessoas fazendo o filme disseram, “Não, nós queremos algo maior, uma versão mais ampla disso,” e então mais 10 pessoas re-escreveram ele. Por fim, Ang Lee fez a sua versão.
E antes que o filme saísse, Kevin Feige voltou e re-leu meu rascunho original e disse, “Sabe? Esse era o filme que nós queríamos fazer, e deveríamos fazer, você voltaria e escreveria ele?
E eu disse, “Ok.” Eu deveria escrever Os Vingadores, mas ele me pediu que fizesse o Hulk primeiro, então eu o fiz. E foi assim que eu me envolvi.
Ed Norton é o outro roteirista nos créditos.
CMix: Então, há alguma controvérsia sobre como ficará a versão final agora?

ZP: Eu apenas sei o que vocês sabem. Eu sinceramente não ouvi muito. Eu estive ocupado com outras coisas desde que eu terminei o último rascunho do roteiro, que foi por volta de oito semanas antes de começarem a produção.

CMix: Então você não foi no set?
ZP: Eu não fui ao set. Eu quase nunca vou. Eu não falei com as pessoas envolvidas que não fosse Kevin uma ou duas vezes, ou talvez um e-mail com Loui [Letterier]. Eu realmente não tive nada a ver com ele.
Eles foram na direção que eles queriam com isso e eu tentei respeitar isso e deixar eles fazerem o que bem entendessem. Quer dizer, o que eu posso fazer? Eu não tinha escolha, mas eu não posso querer entrar no meio das coisas acontencendo.
Sobre Brian Michael Bendis e o filme dos Vingadores.
Bem, eu não estou escrevendo sobre ele agora, mas eu irei. A idéia é que após todos esses filmes sairem, eu vou sentar com a Marvel e vamos descobrir o que fazer. Eles me pediram para fazer ele e eu tinha uma idéia sobre isso. Mas decidimos que não o faríamos enquanto não fosse tempo para isso e agora ainda não é a hora.
A idéia para o filme dos Vingadores é que usaríamos os personagens dos filmes existentes e criar algo que lembrasse o universo marvel – como nos quadrinhos. Portanto não podemos fazer isso enquanto eles (os filmes) não saírem e vermos como eles foram nas bilheterias.
CMix: … como Homem de Ferro.
ZP: Certo. Homem de Ferro. Hulk. Teoricamente, Thor. Talvez eles esperem pelo Capitão América.
CMix: Bem, sim, estamos na quadra ma Marvel agora. Eles financiaram esses filmes, agora temos de esperar para ver como eles vão se sair.

ZP: Certo, mas não há razão para eu tentar algo agora. Ainda mais estando ocupado como eu estou, pensei que em algum momento, quando eu desocupar, nós sentamos e dizer, “Ok, nós vamos fazer o filme dos Vingadores agora? Como que ele será?

Ainda na entrevista, Zak disse que poder vir a escrever um filme baseado nos X-Men com os Novos X-Men e que estaria ligado ao filme do Capitão América ainda, fato desmentido no início da entrevista. Por fim, o projeto em que ele e Brian Bendis irão fazer se chama Triângulo das Bermudas e não tem nada a ver com o universo Marvel.

Ufa… Traduzir isso tudo cansa a vista! Espero que vocês que leram gostem do trabalho a que eu me dei por vocês.
J.R. Dib

Opiniões

Deixe sua opinião!

Participe com sua opinião!

Carregando

0