em

Mais detalhes sobre Batman: Arkham City

Revistas no exterior especializadas em games já começaram a divulgar mais informações sobre Batman: Arkham City, a continuação de Arkham Asylum. Como já havia sido divulgado, o ambiente deixará de ser o antigo asilo Arkham, passando a ocorrer numa série de bairros em Gotham.

Finalmente saíram mais explicações do porquê dessa alteração. A “contaminação” ocorre algum tempo após o término de Arkham Asylum. Quincy Sharp, o antigo diretor do Asilo, conseguiu enganar a população de Gotham, fazendo parecer que ele foi o responsável por conter a rebelião iniciada pelo Coringa no primeiro jogo. Usando da fama e boa vontade conquistada dessa forma, ele se candidata a prefeito da cidade e vence.

Durante sua administração, Quincy decide que tanto o Asilo quanto a Prisão Blackgate são incapazes de cumprir adequadamente suas funções. Ele então compra parte da área mais pobre de Gotham e cria ali a Arkham City. O lugar é formado por vários bairros isolados do resto da cidade e protegidos por uma empresa de segurança (a.k.a., mercenários).

Os prisioneiros do Asilo Arkham e da Prisão Blackgate são jogados lá dentro e deixados livres para fazer o que quiserem. A única regra que eles precisam seguir é que não devem tentar escapar. Tentativas de fuga são punidas com a morte.

O comportamento de Quincy faz sentido para quem conseguiu coletar todas as informações sobre o “Espírito de Arkham”, no primeiro jogo. Como é mostrado lá, o ex-diretor acreditava que era impossível realmente curar seus pacientes e que a única solução era o extermínio dos criminosos do Arkham. A Arkham City que ele criou nesse segundo jogo parece um tipo de gueto, onde ele espera que os prisioneiros acabem por matar uns aos outros. O plano parece estar dando certo, já que pelas informações recebidas até agora os vilões parecem ter dividido a Arkham City em territórios, formando ‘gangues’ que disputam diferentes regiões.

A trama principal do jogo é a tentativa do Duas Caras em conseguir respeito dentro da Arkham City, depois de ter sido preso e mandado pra lá. Ele decide fazer isso tentando matar a Mulher-Gato. Batman então entra no bairro-prisão para tentar impedir isso.

Esse foi o básico de história que já foi divulgado até agora. Como ocorreu no Arkham Asylum (que inicialmente parece ser somente um plano do Coringa para matar o Batman e se torna algo muito mais complexo com o desenrolar do jogo), deve haver muita coisa escondida ainda.

Junto com essas informações também foram comentadas algumas das diferenças entre os jogos.

  • Em vez de gravações com diálogos dos vilões, será possível encontrar algo que os criadores do jogo estão definindo como ‘side stories’. Eles não especificaram ainda como isso vai funcionar.
  • Vários itens coletados ao longo do último jogo (como o gel explosivo) já estarão disponíveis desde o início. Essas ferramentas poderão ser usadas durante os combates, sendo que uma aplicação dada como exemplo foi passar o gel explosivo nas costas de um oponente e então detonar.
  • Ainda sobre as lutas, será possível provocar os adversários e os contra-ataques agora poderão ser usados contra múltiplas pessoas ao mesmo tempo.
  • Os bairros estão recebendo a mesma atenção nos detalhes que o Asilo Arkham no primeiro jogo. E os responsáveis constamente se referem a área do jogo como ‘cidade’, para dar uma noção do tamanho pretendido.
  • Algumas substituições importantes acontecem. Em vez de mapas do Charada espalhadas pelo mapa, agora os jogadores terão que fazer interrogatórios para conseguir informações. Da mesma forma, o processo de investigação será mais complexo. Em vez de deixar que Batman solucione todos os mistérios e só informe os jogadores do que eles devem fazer em seguida, agora é esperado que eles utilizem das ferramentas disponíveis (como os vários modos alternativos de visão) para investigar as pistas e resolver os problemas. A proposta parece ser evitar algo comum no primeiro jogo: Batman descobre uma pista, diz qual modo de visão o jogador deve usar e então os próximos cinco minutos se resumem a seguir um rastro bem visível.
  • Uma alteração menor é que não serão mais a Oráculo quem estará em contato através do rádio. Será o mordomo de Batman, Alfred Pennyworth. Além disso, existirá a opção de ouvir outras faixas de rádio, como a da polícia de Gotham.

Batman: Arkham City está sendo produzido pela Rocksteady Studios e deve sair no outuno de 2011. E sim, todo mundo está reclamando que ainda falta muito tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários