Fachada do edificio sede do Supremo Tribunal Federal - STF
em ,

EitaEita

Expressão Popular lança “Operação Lava Jato”

Livro aborda os efeitos da denominada Operação Lava Jato em toda sua amplitude

A editora Expressão Popular lança Operação Lava Jato: crime, devastação econômica e perseguição política.

Organizado pelo sociólogo Fausto Augusto Jr, pelo professor José Sérgio Gabrielli e pelo jornalista Antonio Alonso Jr é extremamente atual e é um impactante e imprescindível trabalho sobre a mais famosa e polêmica operação judicial brasileira.

O livro

O livro traz elementos para compreender essa operação que teve origem com a denúncia apresentada pelo proprietário da empresa brasileira Dunel, Hermes Freitas Magnus e a partir daí começaram as investigações que levaram aos quatro grupos criminosos que, entre 2005 e 2014, obtiveram contratos substanciais com a Petrobras e outras empresas públicas, utilizando como ferramenta o suborno massivo de funcionários e políticos. Assim, o que no início se tratou de uma investigação da Polícia Federal do Brasil com o objetivo de desmontar os planos de corrupção e lavagem de dinheiro que envolviam a Petrobras, se desenvolveu ao longo de mais de 40 fases de investigação, nas quais apareceram empresas públicas e privadas, diretores, políticos, narcotraficantes e diversos outros personagens espalhados por uma dúzia de países. Ou seja, uma estrutura extensa de corrupção, com implicação institucional e lavagem de dinheiro, e com pelo menos mil indivíduos relacionados e interagindo entre si.

No entanto, a direção das investigações tomou um outro rumo: responsabilizar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e impedir a sua candidatura. Segundo Adolfo Pérez Esquivel, argentino militante dos direitos humanos e prêmio Nobel da Paz do ano de 1980, “a Operação Lava Jato foi tão parcial e tão viciada que é difícil acreditar que em algum momento ela teve como objetivo acabar com a corrupção, resgatar a decência ou buscar a verdade. Tratou-se de uma operação política midiático-judicial – o conhecido lawfare – e teve graves consequências políticas e econômicas para o Brasil”.

O livro traz aspectos fundamentais que proporcionam uma visão rigorosa e precisa dos fatos. Os números que ele fornece são escandalosos: além da Operação Lava Jato de ter destruído a Petrobras, o setor da construção civil sofreu perdas irreparáveis, congelando a etapa iniciada de crescimento, de estabilidade e saída ao exterior. Foram perdidos 3,5 milhões de empregos entre 2014 e 2017. A implantação de novos postos de trabalho – cerca de 3 milhões – foi paralisada. Além disso, e em linha com esses números, o PIB acumulou cifras negativas e o crescimento previsto estagnou. Ao lado disso, o drama causado pela extrema-direita no poder com Jair Bolsonaro em plena pilhagem do Estado. E a sociedade sofrendo os piores flagelos deste neoliberalismo extremo, com uma polícia sem ordem e uma Justiça a serviço do poder.

Para Noam Chomsky, norte-americano, pai da linguística moderna e um dos mais respeitados intelectuais vivos do planeta, a imprensa econômica internacional reagiu, como era de se esperar, com alarme à revelação da profunda corrupção da Lava Jato de Sergio Moro, incluindo sua intervenção totalmente indevida no caso contra Lula.

No decorrer dessas investigações, e como efeito resultante, esteve presente o fantasma muito real do lawfare, a utilização da Justiça por parte da política para se desfazer de um rival. Algo que no Brasil aconteceu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, após um julgamento que agora se demonstrou fora de toda legalidade, chegou a cumprir 580 dias de prisão acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

Segundo Chomsky, o grande mérito deste estudo é revelar a história oculta de como um programa que na aparência visava acabar com a corrupção foi convertido em uma arma de guerra de classes internacional, com graves consequências para o Brasil.

Abaixo, o vídeo de lançamento do livro no youtube:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *