em

A música recebe a arte de Frank Frazetta

Dust - Hard

Perder Frank Frazetta não é apenas perder uma artista, um homem criativo e apaixonado pelo trabalho, mas é também perder uma mente imaginativa que viveu sempre nos limites que a arte pode oferecer aos imaginativos. A música, também uma das formas de artes que mais faz parte da vida das pessoas, foi abençoada com as belas imagens de Frazetta em capas de álbuns e vamos falar um pouco sobre cada uma delas neste artigo.

Antes de mais nada é muito interessante perceber que Frazetta trabalhou com o meio musical em momentos muito diferentes da indústria e também de sua carreira, mas as capas que ele desenhou sempre parecem carregar conceitos aproximados, com batalhas heróicas de homens com seus machados e espadas, algo que fez parte de sua carreira nos quadrinhos (com o Conan, principalmente) e como ilustrador também.

O primeiro trabalho de Frank dentro do meio musical foi com a extinta banda americana Dust. Originada no final dos anos 1960, quando o heavy rock já havia tomado forma com Led Zeppelin e Black Sabbath, esta banda veio deste berço e era cheia de ideias, mas teve uma carreira meteórica e acabou com apenas dois lançamentos. A arte dele para o Dust foi feita em 1972, para o álbum Hard Attack, segundo e último da carreira da banda, e não é necessariamente um desenho conceitual, mas não deixa de simbolizar de alguma forma o título do compacto.

Nazareth - Expect No Mercy

Apenas cinco anos depois Frazetta iria se relacionar com a música de novo, sendo contatado para trabalhar com o grande Nazareth. Expect no Mercy é o nono álbum da banda, na época já muito bem estabelecida no mercado. Além de ser um dos melhores álbuns que eles produziram, a capa é uma das mais famosas que o grupo já teve e mais uma vez traz homens brandindo espadas em uma batalha, como sugere o título, sem perdão.

O Molly Hatchet é a banda que mais utilizou-se do talento de Frank, tendo três álbuns seguidos estilizados pelo artista, sendo Molly Hetchet, Flirtin’ with Disaster e Beatin’ the Odds, respectivamente em 1978, e 1979 e 1980.
Com um estilo de southern rock, um dos subestilos do Americana, a banda está na ativa até hoje e se reinventou durante as décadas. As três capas trazem imagens diferentes, sendo que a primeira é um cavaleiro montado em seu cavalo, a segunda já mostra uma batalha épica e a terceira um homem como se estivesse ressurgindo para uma luta. Não há relação conceitual entre os discos, nem entre as artes, mas elas fazem parte do estilo própria de Frank e certamente foi uma demanda da banda tê-los três vezes seguidas. Curiosamente esta seria a última participação dele na música até o próximo milênio.

Molly Hatchet - Beatin The Odds

O ano 2000 foi o marco para muitas coisas e para a carreira do exímio guitarrista heavy metal (e com muitas influências de speed rock e música clássica) Yngwie Malmsteen veio o álbum War to End All Wars, cujo nome citava a clássica definição da Primeira Guerra Mundial. Tido como tema da turnê do homem que o trouxe ao Brasil no ano seguinte, numa polêmica inclusão do hino americano no setlist após os ataques de 11 de setembro, o álbum também marcou a volta de Frazetta ao mundo da música. Como o nome sugere, é claro que o artista faria novamente uma ilustração de guerra épica, mas neste caso ela é mais densa, com um aspecto infernal e apocalíptico. Interessante tal conceito ter sido utilizado justamente um ano antes dos ataques.

Pra fechar temos o álbum de estreia do Wolfmother, de 2006, uma banda australiana e de renovação do hard rock. Propositalmente ou não, Frazetta, ao ter aceitado este trabalho, também renova seu conceito musical e faz uma arte que não apenas não tem relações diretas com guerra como também é uma das mais detalhadas e diferenciadas.

Assim se encerram os trabalhos de Frank Frazetta. Por mais de 30 anos ele trabalhou neste indústria, mas sempre de forma esporádica como pudemos ver. Entretanto, mesmo com poucas pinturas de capa, todas foram suficientes para ficarem guardadas na memória de quem os observa – a verdadeira qualidade de um artista.

Abaixo a galeria com os trabalhos de  Frank Frazetta na música, para mais artigos sobre o mestre da fantasia visite este link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Street Fighter

Publicado por Morcelli

ColecionadorCinéfiloGibizeiroRepórterSuper-fãs

Os Homens Que Não Amavam As Mulheres – Não se engane pelo longo título.

Virada Cultural na cidade de São Paulo, veja programação completa.