em ,

Alexandre Marzullo lança “Sul”, novo clipe do EP “Primeiro Oceano”

Das ondas que se quebram na pedra, sobra espuma. E da viagem proporcionada pelos acordes de “Sul”, fica a calmaria. Assim é o vídeo para a faixa lançada em “Primeiro Oceano”, EP de estreia do violonista e compositor carioca Alexandre Marzullo. Essa nova parte do álbum visual traz o primeiro encontro de sua videografia com o tema principal: as águas e a renovação que proporcionam, sua intensidade e novos caminhos. O clipe, dirigido por Davi Bernard, já está disponível no YouTube, e o EP, nas principais plataformas de música.

“Sul” se une aos vídeos para “Opa, Bom Dia”, “Elegia Para Copacabana” e para a faixa-título em uma série de lançamentos que farão de “Primeiro Oceano” um álbum visual. O último clipe, “Ao Pescador”, será lançado também no início de 2020. Embora primordialmente instrumental, o trabalho se utiliza de texturas atmosféricas para criar seu escopo imagético, amplamente influenciado por inspirações variadas – da bossa ao folk, passando por música ambiente e jazz japoneses.

A imersão começa na faixa-título, passa por uma crise interna em “Elegia para Copacabana” (a única com letra no EP), levando à superação em “Ao Pescador” e, por fim, à libertação em “Opa, Bom Dia”. “Sul”, a segunda música, representa o descobrimento do outro, a saída do universo interno do autor. O vídeo traduz os três momentos distintos da música, abrindo com o movimento da Praia do Leme, no Rio de Janeiro, posteriormente se voltando para o instrumentista em plena ausência – de cenário, de luz, de palavras – apenas para encerrar com a calma do oceano, sua amplitude e grandiosidade que abarca sentimentos indos e vindos.

“A composição começou como uma canção de amor, inspirada por um relacionamento que, não se fez possível. E assim, a canção foi pouco a pouco perdendo as palavras, se tornando puro som, bastando-se com o violão. O título, ‘Sul’, a única referência que sobrou dessa amorosa inspiração, se tornou também metaforicamente o ponto de partida para o próprio destino, o norte das bússolas… pois, apesar de doloroso, é preciso seguir em frente”, reflete Marzullo.

O EP “Primeiro Oceano” foi pensado para representar o início de uma travessia pessoal, de um desbravamento de horizontes. A temática da busca guiou todo o desenvolvimento do trabalho, motivado por uma vontade de libertação e um sentido de poesia. Sem restrições de rótulos ou gêneros, Marzullo constrói uma intrínseca narrativa. O compositor busca nas raízes da história brasileira um caminho para compreender o que nos trouxe até aqui.

Crédito: Davi Bernard

Músico autodidata, Alexandre tem formação em pintura e um curso inacabado de Artes Visuais pela UERJ. A partir de 2016 ele colocou em prática a vontade de se dedicar profissionalmente à música. Ela ganhou forma no evento mensal Conversa Acústica, que somava apresentações musicais e poéticas, seguidas de bate-papos mediados sobre processo criativo entre artistas e público.

Reunindo uma experiência que passou também por trilhas de peças e curtas universitários, Marzullo passou a trabalhar em “Primeiro Oceano” no ano seguinte. Após a gravação dos violões, foram empregadas diversas técnicas de estúdio e experimentações sonoras, buscando criar uma atmosfera própria para cada música.

O projeto foi gravado no estúdio Espaço Ipiranga, no Rio de Janeiro. A produção musical foi do próprio Alexandre Marzullo, com supervisão, mixagem e masterização de Leandro Dias. Alexandre está em turnê para divulgar o projeto.

Ficha técnica:

Composição, arranjos e execução de Alexandre Marzullo.

Produzido por Alexandre Marzullo, mixado e masterizado por Leandro Dias no estúdio Espaço Ipiranga.

Clipe dirigido por Davi Bernard, produção Angkor Angu.

Deixe sua opinião

Critics Choice Awards – “Era Uma Vez Em… Hollywood” é o grande vencedor

The Soul Rebels lança novo álbum com elenco estelar