Cultura popular brasileira em álbum de Dentinho Arueira

Ambrosia Colunas Cultura popular brasileira em álbum de Dentinho Arueira

Três décadas de carreira resultaram no disco “Minha Tribo”, de Dentinho Arueira. Paranaense radicado em Santa Catarina, ele é um nome conhecido na cena catarinense. Ao misturar ritmos brasileiros e poesia em suas canções, nasceram as 10 faixas do trabalho que levam o ouvinte a conhecer e reconhecer a terra, o povo e a crença popular. São músicas com contação de causos, remetendo a um recomeço. O álbum encontra-se disponível nas principais plataformas de streaming e em formato físico.

Ouça no seu streaming favorito: http://bit.ly/MinhaTribo_Dentinho

“Nesse disco busquei traduzir em poesia e canção o contato com os costumes, saberes e fazeres do povo brasileiro. Pertencer a uma tribo é compartilhar sentimentos e emoções com a música”, define Dentinho.

O nome Dentinho Arueira é conhecido no Sul do país. O cantor, compositor e pesquisador, participou de mais de 20 festivais, chegando a ser reconhecido com os prêmios”Destaque Cultural”, em Santa Catarina; e o prêmio Funarte do projeto Pixinguinha, que conta com duas canções no disco “Aos de Casa”, de Ana Paula da Silva.

Atualmente, ele reúne 26 coletâneas somente com suas composições. E ainda assim, o músico decide inovar. Dentinho Arueira não teve medo de recomeçar e tentar o diferente após 30 anos de carreira. É em “Minha Tribo” que ele põe a prova toda a experiência que adquiriu nos palcos, chegando a tocar na Paraíba, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Santa Catarina.

O “Minha Tribo” é o terceiro disco da carreira de Dentinho Arueira, sendo o primeiro gravado em estúdio. O álbum contou com mixagem e masterização de Alexandre Siqueira, com arranjos de Dentinho Arueira em parceria com Jacson Araujo. A direção geral do projeto foi de Cris Puccini, enquanto a direção musical ficou por conta do multi-habilidoso, Dentinho. As gravações foram realizadas no Estúdio Promix, por Gilson Machado. O projeto gráfico do álbum é do El Clandestino, com foto da capa por Clarissa Herrig de Oliveira (Projeto Música de Calçada).

#Novidades