em

Em cerimônia de muita música e protesto, Grammy consagra Bruno Mars

Era para ser a festa de Kendrick Lamar, que tinha o maior número de indicações com seu elogiadíssimo “DAMN”. Mas Bruno Mars veio correndo por fora e roubou o show da sexagésima edição do Grammy. O havaiano faturou seis prêmios, entre eles Melhor Álbum do Ano, para o seu “24k Magic” e Melhor Canção (‘That’s What I Like’). A cerimônia, que ocorreu no Madson Square Garden no último domingo (dia 29/01) marcou o retorno da premiação à Nova York. A última entrega do Grammy na cidade foi em 2003.
Foi uma cerimônia marcada pelo protesto, sobretudo em relação ao assédio sexual. Várias artistas usavam uma flor branca no figurino, representando a união contra o assédio e o abuso sexual de mulheres. A cantora e atriz Janelle Monáe fez um belo discurso. “Para todos que tentarem nos calar, oferecemos duas palavras: o tempo acabou para a desigualdade nos salários, para a discriminação, para o assédio, para o abuso de poder”, disse.
Óbvio que também não faltaram farpas contra o presidente americano Donald Trump. O apresentador da cerimônia, James Corden, brincou que em 2019 Trump pode ser o tema do “melhor álbum falado”, uma categoria que existe no prêmio e ex-presidentes como Bill Clinton e Barack Obama já o ganharam. Em seguida, um vídeo mostrou o livro “Fogo e fúria – por dentro da Casa Branca de Trump” (que o presidente acusa de mentiroso) lido por vários artistas. A última que aparece é a candidata democrata Hillary Clinton, momento que arrancou aplausos efusivos do presentes.

Em cerimônia de muita música e protesto, Grammy consagra Bruno Mars | Música | Revista Ambrosia
Bono, The Edge e Kendrick Lamar (Photo by Kevin Winter/Getty Images for NARAS)

Como nas últimas edições, a edição 2018 foi também de pouco papo e muita música. A noite já se iniciou com uma (literalmente) apresentada por Bono e The Edge do U2. Lady Gaga apresentou seu single ‘Joanne’, que ganhou videoclipe na última semana, emendado em ‘Million Reasons’. Não usou nenhum figurino extravagante demais, só o piano que vinha coberto com uma asa de arcanjo. Também teve Sam Smith executando ao vivo ‘Pray’, sucesso de seu disco lançado no fim de 2017.
O ponto alto do protesto contra o assédio sexual e moral contra as mulheres no showbiz foi a apresentação bastante emocionada de Ke$ha com a música ‘Praying’. O número, que foi introduzido pelo discurso de Janelle Monáe, contou com um coro do qual fez parte Bebe Rexha, a ex-Fifth Harmony Camila Cabello e Cyndi Lauper. A canção é sobre a batalha judicial que Ke$ha trava contra seu ex-produtor, a quem ela acusa de assediá-la e molestá-la.
Em cerimônia de muita música e protesto, Grammy consagra Bruno Mars | Música | Revista Ambrosia
Ke$ha em apresentação emocionada contra o assédio sexual e moral

De resto, tudo dentro do protocolo. Apresentações corretas com as de Pink com ‘Wild Hearts Can’t Be Broken’, Bruno Mars e Cardi com ‘Finesse’, Rihanna e DJ Khaled. E, claro, a festa latina de Luis Fonsi e Daddy Yankee promovida pela música mais ouvia no planeta em 2017 (mas que acabou saindo da festa de mãos abanando), ‘Despacito’. No segmento velha guarda, teve Sting tocando seu clássico English Man in New York (bem adequado), acompanhado do jamaicano Shaggy. O U2 fez uma apresentação à beira do rio Hudson com o single ‘Get Out on Your On Way’, e Bono provocou Trump dizendo “Bem-aventurados os países de merda, porque nos deram o sonho americano”, em referência à forma como o presidente americano se referiu à África e ao Haiti. E Elton John recebeu Miley Cyrus (muito mais bonita nessa fase “comportada”) no palco para dueto na clássica ‘Tiny Dancer’.
Em cerimônia de muita música e protesto, Grammy consagra Bruno Mars | Música | Revista Ambrosia
Curiosa (e meio dissonante do todo, na verdade) foi a participação de Patti LuPone, que ficou eternizada como a Evita do musical da Broadway. Como não podia deixar de ser, seu número foi ‘Don’t Cry For Me Argentina’, principal canção da peça.
A premiação em si só confirmou que a indústria tem estado mais preocupada com a popularidade do que com a qualidade. Dos cinco indicados a Melhor Álbum, “24K Magic” de Bruno Mars era o mais fraco. Lembrando que em 2016 Kendrick Lamar com seu ótimo “To Pimp a Butterfly” inexplicavelmente perdeu para o “1989” de Taylor Swift, e no ano passado o soberbo “Lemonade” de Beyoncé sentiu só o cheiro do Grammy que foi para o apenas bom “25” de Adele. Apesar do clima de protesto, artistas masculinos foram mais premiados e a única mulher concorrendo ao prêmio principal, Lorde, também foi a única dos cinco indicados que não fez uma apresentação no palco.
Confira a lista de indicados:
Álbum do ano:

  • Awaken, My Love! — Childish Gambino
  • 4:44 — Jay-Z
  • Damn. — Kendrick Lamar
  • Melodrama — Lorde
  • 24K Magic — Bruno Mars

Gravação do ano:

  • “Redbone” — Childish Gambino
  • “Despacito” — Luis Fonsi & Daddy Yankee featuring Justin Bieber
  • “The Story of O.J.” — Jay-Z
  • “Humble.” — Kendrick Lamar
  • ”24K Magic” — Bruno Mars

Música do ano:

  • “Despacito” — Ramón Ayala, Justin Bieber, Jason “Poo Bear” Boyd, Erika Ender, Luis Fonsi & Marty James Garton, compositores (Luis Fonsi & Daddy Yankee Featuring Justin Bieber)
  • “4:44” — Shawn Carter & Dion Wilson, compositores (Jay-Z)
  • “Issues” — Benny Blanco, Mikkel Storleer Eriksen, Tor Erik Hermansen, Julia Michaels & Justin Drew Tranter, compositores (Julia Michaels)
  • “1-800-273-8255” — Alessia Caracciolo, Sir Robert Bryson Hall II, Arjun Ivatury & Khalid Robinson, compositores (Logic Featuring Alessia Cara & Khalid)
  • “That’s What I Like” — Christopher Brody Brown, James Fauntleroy, Philip Lawrence, Bruno Mars, Ray Charles McCullough II, Jeremy Reeves, Ray Romulus & Jonathan Yip, compositores (Bruno Mars)

Artista revelação:

  • Alessia Cara
  • Khalid
  • Lil Uzi Vert
  • Julia Michaels
  • SZA

Performance solo de Pop

  • “Love So Soft” — Kelly Clarkson
  • “Praying” — Kesha
  • “Million Reasons” — Lady Gaga
  • “What About Us” — P!nk
  • “Shape of You” — Ed Sheeran

Performance de dupla ou grupo de Pop

  • “Something Just Like This” — The Chainsmokers & Coldplay
  • “Despacito” — Luis Fonsi & Daddy Yankee com Justin Bieber
  • “Thunder” — Imagine Dragons
  • “Feel It Still” — Portugal. The Man
  • “Stay” — Zedd & Alessia Cara

Álbum traditional de Pop vocal

  • “Nobody But Me (Deluxe Version)” — Michael Bublé
  • “Triplicate” — Bob Dylan
  • “In Full Swing” — Seth MacFarlane
  • “Wonderland” — Sarah McLachlan
  • “Tony Bennett Celebrates 90” — (Vários artistas)

Álbum de Pop vocal

  • “Kaleidoscope EP” — Coldplay
  • “Lust for Life” — Lana Del Rey
  • “Evolve” — Imagine Dragons
  • “Rainbow” — Kesha
  • “Joanne” — Lady Gaga
  • “÷ (Divide)” — Ed Sheeran

Gravação de Dance

  • “Bambro Koyo Ganda” — Bonobo featuring Innov Gnawa
  • “Cola” — Camelphat & Elderbrook
  • “Andromeda” — Gorillaz featuring Dram
  • “Tonite” — LCD Soundsystem
  • “Line of Sight” — Odesza com Wynne & Mansionair

Álbum de Dance/electrônico

  • “Migration” — Bonobo
  • “3-D the Catalogue” — Kraftwerk
  • “Mura Masa” — Mura Masa
  • “A Moment Apart” — Odesza
  • “What Now” — Sylvan Esso

Álbum instrumental contemporâneo

  • “What If” — the Jerry Douglas Band
  • “Spirit” — Alex Han
  • “Mount Royal” — Julian Lage & Chris Eldridge
  • “Prototype” — Jeff Lorber Fusion
  • “Bad Hombre” — Antonio Sanchez

Performance de Rock

  • “You Want It Darker” — Leonard Cohen
  • “The Promise” — Chris Cornell
  • “Run” — Foo Fighters
  • “No Good” — Kaleo
  • “Go to War” — Nothing More

Performance de Metal

  • “Invisible Enemy” — August Burns Red
  • “Black Hoodie” — Body Count
  • “Forever” — Code Orange
  • “Sultan’s Curse” — Mastodon
  • “Clockworks” — Meshuggah

Música de Rock

  • “Atlas, Rise!” — James Hetfield & Lars Ulrich, compositores (Metallica)
  • “Blood in the Cut” — JT Daly & Kristine Flaherty, compositores (K.Flay)
  • “Go to War” — Ben Anderson, Jonny Hawkins, Will Hoffman, Daniel Oliver, David Pramik & Mark Vollelunga, compositores (Nothing More)
  • “Run” — Foo Fighters, compositores (Foo Fighters)
  • “The Stage” — Zachary Baker, Brian Haner, Matthew Sanders, Jonathan Seward & Brooks Wackerman, compositores (Avenged Sevenfold)

Álbum de Rock

  • “Emperor of Sand” — Mastodon
  • “Hardwired…to Self-Destruct” — Metallica
  • “The Stories We Tell Ourselves” — Nothing More
  • “Villains” — Queens of the Stone Age
  • “A Deeper Understanding” — the War on Drugs

Performance R&B

  • “Get You” — Daniel Caesar com Kali Uchis
  • “Distraction” — Kehlani
  • “High” — Ledisi
  • “That’s What I Like” — Bruno Mars
  • “The Weekend” — SZA

Performance de R&B tradicional

  • “Laugh and Move On” — the Baylor Project
  • “Redbone” — Childish Gambino
  • “What I’m Feelin'” — Anthony Hamilton com the Hamiltones
  • “All the Way” — Ledisi
  • “Still” — Mali Music

Música de R&B

  • “First Began” — PJ Morton, songwriter (PJ Morton)
  • “Location” — Alfredo Gonzalez, Olatunji Ige, Samuel David Jiminez, Christopher McClenney, Khalid Robinson & Joshua Scruggs, compositores (Khalid)
  • “Redbone” — Donald Glover & Ludwig Goransson, compositores (Childish Gambino)
  • “Supermodel” — Tyran Donaldson, Terrence Henderson, Greg Landfair Jr., Solana Rowe & Pharrell Williams, compositores (SZA)
  • “That’s What I Like” — Christopher Brody Brown, James Fauntleroy, Philip Lawrence, Bruno Mars, Ray Charles McCullough II, Jeremy Reeves, Ray Romulus & Jonathan Yip, compositores (Bruno Mars)

Álbum urbano contemporâneo

  • “Free 6lack” — 6lack
  • “Awaken, My Love!” — Childish Gambino
  • “American Teen” — Khalid
  • “Ctrl” — SZA
  • “Starboy” — the Weeknd

Álbum de R&B

  • “Freudian” — Daniel Caesar
  • “Let Love Rule” — Ledisi
  • “24K Magic” — Bruno Mars
  • “Gumbo” — PJ Morton
  • “Feel the Real’ — Musiq Soulchild

Performance de Rap

  • “Bounce Back” — Big Sean
  • “Bodak Yellow” — Cardi B
  • “4:44” — Jay-Z
  • “Humble.” — Kendrick Lamar
  • “Bad and Boujee” — Migos featuring Lil Uzi Vert

Performance de Rap musical

  • “Prblms” — 6lack
  • “Crew” — Goldlink featuring Brent Faiyaz & Shy Glizzy
  • “Family Feud” — Jay-Z featuring Beyoncé
  • “Loyalty.” — Kendrick Lamar featuring Rihanna
  • “Love Galore” — SZA featuring Travis Scott

Música de Rap

  • “Bodak Yellow” — Dieuson Octave, Klenord Raphael, Shaftizm, Jordan Thorpe, Washpoppin & J White, compositores (Cardi B)
  • “Chase Me” — Judah Bauer, Brian Burton, Hector Delgado, Jaime Meline, Antwan Patton, Michael Render, Russell Simins & Jon Spencer, songwriters (Danger Mouse featuring Run the Jewels & Big Boi)
  • “Humble.” — K. Duckworth, Asheton Hogan & M. Williams II, compositores (Kendrick Lamar)
  • “Sassy” — E. Gabouer & M. Evans, songwriters (Rapsody)
  • “The Story of O.J.” — Shawn Carter & Dion Wilson, songwriters (Jay-Z)

Álbum de Rap

  • “4:44” — Jay-Z
  • “Damn.” — Kendrick Lamar
  • “Culture” — Migos
  • “Laila’s Wisdom” — Rapsody
  • “Flower Boy” — Tyler, the Creator

Melhor álbum de música alternativa

  • Arcade Fire – Everything Now
  • Gorillaz – Humanz
  • LCD Soundsystem – American Dream
  • Father John Misty – Pure Comedy
  • The National – Sleep Well Beast

Trilha sonora para mídia visual

  • “Baby Driver” (Vários artistas)
  • “Guardiões da Galáxia Vol. 2: Awesome Mix Vol. 2” (Vários artistas)
  • “Estrelas Além do Tempo” (Vários artistas)
  • “La La Land” (Vários artistas)
  • “Moana” (Vários artistas)

Trilha sonora original para mídia visual

  • “Arrival” — Jóhann Jóhannsson, compositor
  • “Dunkirk” — Hans Zimmer, compositor
  • “Game of Thrones: Season 7” — Ramin Djawadi, compositor
  • “Estrelas Além do Tempo” — Benjamin Wallfisch, Pharrell Williams & Hans Zimmer, compositores
  • “La La Land” — Justin Hurwitz, compositor

Música escrita para mídia visual

  • “City of Stars” — Justin Hurwitz, Benj Pasek & Justin Paul, compositores (Ryan Gosling & Emma Stone)
  • “How Far I’ll Go” — Lin-Manuel Miranda, compositor (Auli’i Cravalho)
  • “I Don’t Wanna Live Forever (Fifty Shades Darker)” — Jack Antonoff, Sam Dew & Taylor Swift, compositores (Zayn & Taylor Swift)
  • “Never Give Up” — Sia Furler & Greg Kurstin, compositores (Sia)
  • “Stand Up for Something” — Common & Diane Warren, compositores (Andra Day featuring Common)

Produtor do ano

  • Calvin Harris
  • Greg Kurstin
  • Blake Mills
  • No I.D.
  • The Stereotypes

Deixe sua opinião

Publicado por Cesar Monteiro

Mulheres são destaque nos vencedores do Festival de Sundance 2018

Livro "O Visgo das Coisas" revela a poética da tradução entre forma e conteúdo