em ,

Marcelo Callado antecipa terceiro disco solo com single e clipe “Só Por Hoje”

Álbum “Caduco” será lançado em junho pelo selo RockIt!, de Dado Villa-Lobos

Cantor, compositor e multi instrumentista, Marcelo Callado é muitos em um só. Nome de referência na bateria, que ocupou ao lado de projetos como a Banda Cê – com quem acompanhou Caetano Veloso nos palcos – e o grupo Do Amor, ele segue se reinventando como artista solo. Após o EP “Callado Compacto”, ampliou sua sonoridade versátil em “Meu Trabalho Han Sollo Vol. II”, e se (des)dobrou em “Musical Porém”, disco duplo lançado em 2017. Agora, prestes a completar 40 anos, Callado revela mais uma faceta em “Caduco”, seu novo trabalho solo. O disco, que chega aos serviços de streaming em em 27/06 pelo selo carioca RockIt!, é antecipado pelo single “Só Por Hoje”. A faixa ganha um clipe com direção e montagem de Felipe Nepomuceno.

Guiado por uma sinceridade desinibida, Callado encara a vida de frente em “Só Por Hoje”. Como um mantra, ele entoa a vontade de não se render aos vícios vivendo um dia de cada vez. Os vocais do próprio artista se intercalam e multiplicam, enquanto Marcelo se divide em cordas, piano, tambores, percussões – uma constante ao longo do disco.

“Essa canção surgiu da minha necessidade pessoal de encontrar uma maneira nova de viver, sem drogas. Achei que escrevendo e cantando sobre isso de forma tão direta e honesta, eu conseguiria me ajudar nessa caminhada difícil que é ficar limpo, e ao mesmo tempo, talvez, ajudar outras pessoas que passam pelo mesmo perrengue. Ela serve quase como um mantra, que repito pra mim mesmo diariamente”, revela.

A faixa começa em inglês com um piano quase lúdico e desemboca em uma instrumentação intensa, entrecortada no clipe por uma colagem frenética de quadros. O artista, que fixa o olhar em quem o assiste do outro lado, cerra os olhos para reencontrar a calma após o turbilhão.

A escolha da canção e o conceito do clipe partiram do diretor, que filmou na casa de Callado ao lado do fotógrafo Manuel Águas diante de um painel feito pelo próprio Marcelo.

“A ideia seria eu encarar a câmera e cantar a letra, sem muita conversa fiada. Olhar pro mundo de frente, de cara limpa, fazendo o simples, o que não é fácil, mas pra mim necessário, como está na canção. Felipe tinha uma VHS, que usamos, e deu um clima antigo pra parada, e que faz uma relação também com o título do disco “Caduco”, eu penso. No final, Felipe editou a parte instrumental da música, com vários flashes do quadro, intercalados com o meu rosto em posições diferentes, como se fossem pensamentos embaralhados e confusos – no meu entendimento, fazendo uma contraposição ao primeiro momento da música, que é claro e focado. Como a vida, né?”, reflete Marcelo.

“Só Por Hoje” é o primeiro gostinho de “Caduco”, álbum feito ao longo de 10 dias em um processo artesanal intenso e de entrega total. As canções, compostas uma a cada dia, foram construídas em sessões no estúdio que começavam sempre às 12h, ao lado do co-produtor Martin Scian, e iam até tarde da noite tendo como ponto de partida apenas uma letra, uma melodia vocal e um violão. Lá, elas se transformavam e eram lapidadas em composições que dialogam com os desafios nossos de cada dia. Em relatos pessoais, Callado se aproxima do ouvinte e mostra que, de caduco, não tem nada. O álbum chegará aos principais serviços de streaming via RockIt!.

Assista a “Só Por Hoje”: https://youtu.be/vvzXtdWZheo

Ouça “Só Por Hoje”:

 

Ficha técnica:

Direção e Montagem: Felipe Nepomuceno.

Fotografia e Câmera: Manuel Águas.

Finalização: Marx Braga.

Produzido por Marcelo Callado e Martin Scian

Mixado e masterizado por Martin Scian

Gravado por Martin Scian e Sarah Abdala no estúdio Sideral – RJ

Deixe sua opinião

Publicado por Build Up Media

Música, comidas típicas e cultura medieval em Maricá

"A Grande Dama do Cinema": o domínio cinematográfico de Juan José Campanella