em

Dia do Rock: Sem “rockenrolar” muito…

Toda transgressão deve ser pesada com sabedoria; todas geram algum fator, atingindo de forma positiva ou não os expectadores. Mesmo assim, a extrapolação de limites sempre deu em coisas grandes; no geral, boas ideias – das que dessas nos nutrimos por muito tempo.

 

São as chamadas transformações. A própria Música Popular em geral não foi a mesma após o surgimento do Rock!! Desde a formação de acordes, a introdução de elementos como a guitarra elétrica, pedais de efeitos etc. A própria roupagem do dito Pop nada mais é do que uma simplificação comercial do bom e velho Rock – que sucedera algo de Música Clássica em muitos aspectos.

 

Talvez daí tenha vindo tanto preconceito com os “roqueiros”; há sempre uma ponta de inveja né… Mesmo que as chances de êxito sejam iguais pra todos…

 

Neste mundo onde as pessoas já não se assustam muito, o que vale é a postura!

 

Se antes diriam que a relação dos artistas com a idade era empecilho, agora nem isso é desculpa! Quem quiser, que se afunde no campo sonoro até o fim dos dias…

 

Mas, se serve de alerta: que não venham os benefícios financeiros apenas como metas antes da primazia sonora; que suas mãos sejam instrumentos de novos álbuns, ou obras que passem à História devido à sua relevância – sendo espelho de boas feituras.

 

Não padronizando, porque a partir disso, aparecem as limitações. Precisa acreditar-se mais, mostrar sua força, valor, potencialidades.

 

E que partobagem é essa de estilinho??? Rock sempre foi sinônimo de fazer o que quiser e dane-se. Não olha pra trás, nem dá bola!!!

 

Neste dia de comemorações, peço atenção… “louvor” aos astros… : ) E MUITO SOM ALTO!!!!!!!!!!!

Participe com sua opinião!

Navegante

Publicado por paulo vitor grossi

VerificadoGibizeiroMusicista

Dia do Rock: 10 wallpapers exclusivos para download

Pé em Deus e fé “Na Estrada”, de Walter Salles