em

“Troco Likes” é a sedimentação de Tiago Iorc

Tiago Iorc sempre chegava quase lá, pouco conseguindo sair da pecha de um simpático e bom cantor pop de bar. Um crooner de jovialidade melódica, melhor dizendo.

Troco Likes, seu novo CD, é uma evolução desse paradigma. Tiago parece ter alcançando a consistência que o tempo agrega aos que insistem em formular com a música sua própria identidade. As letras ainda mantém aquela ingenuidade propositiva (“eu amei te ver” é repetido no refrão de… “Amei Te Ver”), comum aos seus discos (nesse caso, num ode ao verbo viver em tempos de redes sociais), mas a sonoridade está mais sofisticada (repare em “De Todas as Coisas” e na lacônica “Liberdade ou Solidão”) casando bem com suavidade de sua voz.

tiagoiorctrocolikescapa

Ao mesmo tempo que sua música tem a embocadura certa para as rádios FMs, mas também conserva uma levada consistente contida entre a mensagem que quer passar e a melodia que constrói para si.

A ótima versão folk-lúdica de “What a Wonderful World”, que embalou a abertura da badaladinha novela Sete Vidas, ficou de fora (está em sua coletânea de novelas, recém lançada), mas o gênero desconstruído permeia todo o álbum, confirmando assim, a verve do cantor em fazer de sua música um bom e leve estado de espírito.

Participe com sua opinião!