em

Warpaint reafirma identidade com novo disco

Se com seu primeiro álbum, The Fool, a banda Warpaint já conseguiu reconhecimento por sua sonoridade post-punk e dream pop, em seu segundo álbum de título auto-nomeado, Warpaint, a banda formada só por mulheres assume com inteligência a identidade pela qual foram reconhecidas.
Just Chillin’. Lançado em janeiro de 2014, Warpaint cria uma atmosfera despreocupada. Na verdade, mais especificamente, uma atmosfera sensual – como observado pela própria guitarrista e vocalista do grupo Theresa Wayman, “Fomos em direção ao que consideramos sexy”.
Warpaint
O disco reverbera. Repleto de ecos, distorções, vocais grunhidos e batidas mais arrastadas, as músicas tem potencial de nos colocar em outra realidade, em uma psicodelia sensual. Consegue deixar os corpos mais soltos. Atrai-los, evapora-los. Para momentos sexys recomendam-se as faixas Hi, Go In e CC. Mas mesmo que não se procure um clima sexy, o disco cabe em muitas fórmulas: para ouvir em casa, na rua, cozinhando, em noites frias e em dias mais quentes, tomando banho e por aí ir…
Mais dançante e ritmada que as outras faixas do cd, Disco/Very lembra Björk em Army of Me e pode se tornar a faixa mais pop do disco, que até agora tem tido uma recepção positiva, mas não excepcional. (O que é normal considerando a quantidade de bandas excepcionais no cenário dream pop/chillwave do momento).
Talvez Warpaint seja uma tentativa mais bem sucedida de afirmação da banda no mercado do que The Fool. Seja assim ou não, esse é um disco de experimentação, talento e um símbolo de resistência feminina no mercado masculino de rock alternativo. Vida longa à banda de mulheres de Los Angeles!

Participe com sua opinião!