em

Ultralafa, de Daniel Lafayette

Quando conheci o trabalho de Daniel Lafayette na Revista Beleléu em 2009 não estava preparado para a experiência de ler seus perspicazes personagens fofinhos e quadrinhos coloridinhos, me tornando mais um na sua extensa lista de admiradores. Como escrever então um texto sobre um livro reunindo as melhoes tiras do autor publicadas em seu blog pessoal?

Ultralafa, lançamento da Editora LeYa e Barba Negra, é simplesmente uma compra obrigatória. Seja você fã da safra de quadrinistas de humor desta geração, como André Dahmer e Allan Sieber, ou pregador da religião Laerte/Angeli, as centenas de tirinhas de Lafayette vão adocicar seu paladar.

O livro possui três grandes divisões (“Dia a Dia”, “Mundo”, e “Mundo Paralelo”) que não fazem diferença alguma, já que a maiorias das tiras de Daniel Lafayette são livres ou pertencem a uma pequena série, como “Dias de Glória”, onde o autor conta inusitados casos no outrora ilustre bairro carioca. E tem humor para todos os gostos e dias da semana, menos para os tipos chatos que se vestem de politicamente corretos para desafogar na vida dos outros suas frustrações com o cotidiano.

Da arte não há muito o que dizer, Lafa possui o estilo rápido e moderno dos desenhos animados do Cartoon e Nickelodean, tanto no traço quando na paleta de cores. Um estilo que funciona perfeitamente com as infindáveis referências à cultura pop espalhadas por todo álbum.

Enfim, um álbum como poucos para muitos que só não vai ganhar nota máxima pois senti falta de algumas tiras já publicadas no blog do autor.

[xrr rating=4.5/5]

Salvador Camino

Publicado por Salvador Camino

em jornada pelas artes