em

Player's Handbook II já tem capa e data de lançamento!

capa do PHB IIEsta semana o site da Wizards anunciou a data do suplemento Player’s Handbook II para o D&D 4 edição, março de 2009. Para completar a mesma disponibilizou a capa do livro.

O que esperar do mesmo? Basicamente, o intuito inicial da editora deve ser cobrir as classes e raças que não foram contempladas nos livros básicos. Ou seja, existem grandes chances que veremos os Druidas, Bardos, Bárbaros, Monges e Feiticeiros. Ainda que nenhuma destas esteja realmente confirmada, podendo até mesmo ficar de fora. Casos como o do Monge, tem a sua inserção continuamente debatida, já que esta sempre foi uma classe polêmica, pois foge ao estereótipo básico da fantasia medieval. Outro problema é o Feiticeiro, que perdeu seu sentido de existir com a reformulação do sistema. É possível, que o livro traga um conceito totalmente novo para esta classe, que ganhou diversos admiradores na terceira edição, embora o próprio Warlock já se coloque como uma opção de Mago.

Ainda sim, algumas informações estão sendo dadas como corretas nos fóruns da Wizard, aparentemente divulgadas por Mike Mearls. Segundo esta fonte, o livro irá nos trazer oito novas classes, sendo três das mesmas, inéditas. As fontes de poder utilizadas seriam primal (primordial), arcane (arcana) e divine (divina), o que provavelmente deixaria de fora o Monge e algum Psiônico. Estariam confirmadas a presença do Bárbaro (primal), Druida (primal), Feiticeiro (arcane controller), Shaman (primal leader) e de um controller divino. Segunda essa lógica das fontes de poder mencionadas, é bastante provável que classes como o Bardo e o Swordmage, ambos de origem arcana, também apareçam. Segundo Mike, as oito classes teriam seus nomes iniciados pelas seguintes letras: B, B, D, I, S, S, T, e W. Algo que nos deixa intrigado sobre o I, o T e o W (algumas sugestões foram dadas, como Illusionist, Trader e Wanderer, mas são apenas hipóteses).

Sobre as raças, nada foi dito ainda, apesar de que parece claro que teremos a volta dos Gnomos, assim como uma raça de meio-celestiais (em contrapartida com os Tieflings), e de gigantes (que ao que parece irá se chamar Goliahts). Pela capa apresentada, podemos esperar mais inspiração do mundo de World of Warcraft.

Por fim, devo confessar minha tristeza com o que apareceu até agora, mais um livro voltado apenas para o lado mais mecânico do jogo. Se o Player’s Handbook normal não trouxe nenhuma página sobre interpretação para os novatos em RPG, ao que parece, não será aqui que este irá encontrar. Acredito que se existe espaço para mais um livro do jogador (e o que está sendo confabulado é que a Wizards pretende lançar pelo menos mais dois PHB) ele deveria conter pelo menos um capítulo apenas com dicas e ferramentas devotados ao aspecto que me parece mais relevante a um Roleplaying game, a própria interpretação de papéis.

Para aqueles interessados em conhecer os planos de lançamento da quarta edição, eis uma amostra do que está por vir:

Suplementos centrais:

Adventurer’s Vault: A Guide to Weapons, Equipment, and Treasure for Your Character (September 16, 2008)

Dungeon Master’s Guide: Deluxe Edition, 4e (October 21, 2008)

Martial Power: 4e Supplement (October 21, 2008)

Monster Manual: Deluxe Edition, 4e (October 21, 2008)

Player’s Handbook: Deluxe Edition, 4e (October 21, 2008)

Draconomicon I: Chromatic Dragons (November 18, 2008)

Dungeons & Dragons Starter Set (November 18, 2008)

Manual of the Planes (December 16, 2008)

Open Grave: Secrets of the Undead (January 20, 2009)

Dungeon Delve: 4e Supplement (February 17, 2009)

Player’s Handbook II (March 17, 2009)

Arcane Power: 4E Supplement (April, 2009)

Aventuras e campanhas:
Thunderspire Labyrinth; H2 Adventure (July 15, 2008)
Pyramid of Shadows; H3 Adventure (August 19, 2008)
King of the Trollhaunt Warrens; P1 Adventure (October 21, 2008)
Demon Queen’s Enclave; P2 Adventure (December 16, 2008)
Assault on Nightwyrm Fortress; P3 Adventure (March 17, 2009)
Death’s Reach; E1 Adventure (April 2009)
Forgotten Realms:
Forgotten Realms Campaign Guide (August 19, 2008)
Forgotten Realms Players Guide (September 16, 2008)
Scepter Tower of Spellguard; FR1 Adventure (September 16, 2008)
Misc.:
Dungeons & Dragons Character Record Sheets (July 15, 2008)
Dungeons & Dragons 4e for Dummies (July 15, 2008)
Dungeons & Dragons Premium Dice (July 15, 2008)
Halls of the Giant Kings; DU1 Dungeon Tiles (July 15, 2008)
Dungeon Master’s Screen (August 19, 2008)
Streets of Shadows; DU2 Dungeon Tiles (October 21, 2008)
Dungeon Master 4e for Dummies (November 17, 2008)
Caves of Carnage; Dungeon Tiles (February 17, 2009)

8 opinaram!

Deixe sua opinião!
  1. Nossa… Para quê tanto livro? Isso porque é só até o começinho de 2009, estou vendo uma enxurrada de suplementos… Ainda bem que é D&D, senão estaria vendo o Felipe gastando uma grana feia… 😉

  2. E que venham os suplementos…. AD&D lançou moda de ter suplementos pra tudo… D&D seguiu e agora seja 3.0; 3.5; 4.0 ou seja lá qual for edição…
    vem os básicos e depois uma tempestade de suplementos…
    aguardem em breve todos os suplementos com ambientações, classes e mais classes, livro de raças, etc….

  3. D&D sempre foi assim. Compra quem quer (ou pode). Para quem não pode (ou não quer) há outros sistemas que valorizam mais a interpretação e não demandam tanto do bolso do aficcionado.
    Agora… ninguém queria que, depois de tanto tempo, D&D mudasse sua lógica quanto a lançar suplementos com “crunch” ao invés de “fluff”, não é?

  4. Cara… sacanagem…
    NUM TEM COMO FAZER NECROMANTE!!! Espero que façam um “libris mortis 4th” e “heroes of horror 4th”
    Ou quem sabe num rola num Ravenloft…

  5. Concordo plenamente que o jogo em sí não dá atenção a dicas de e para interpretação, porem a mecanica do jogo atual propicia integração muito maior do grupo, pra jogadores experientes, o jogo ganhou muito
    mas é penoso que eles abandonem os jogadores que tomam como seu primeiro sistema o D&D4

  6. Apesar do livro do jogador não conter realmente detalhes de interpretações para jogadores novatos, o livro do mestre supre muito bem essa necessidade. Sendo quase que o livro todo dando dicas para o mestre como criar uma campanha/aventura envolvente de modo q divirta qualquer tipo de jogador (muito interessante a parte q descreve os tipos de jogadores).
    Outros pontos importantes:
    – Os Goliaths já existiam na 3.5, especificamente, no livro Races of Stone.
    – O Swordmage não estará nesse livro do jogador 2, pois já foi lançado no livro do jogador de forgotten realms (essa noticia saiu antes disso).
    – Foi anunciado que não sairá um livro de Ravenloft, e sim materias sobre ele nas revistas do D&DI.

  7. Acredito q já saibam, mas o q aparece no PHII é:
    classes primais: bárbaro (striker), druida (controller), xamã (leader) e warden/protetor (defender)
    arcanas: bardo (leader) e feiticeiro (striker)
    divinas: avanger/vingador (striker) e invoker/invocador (controller)
    raças:
    devas, golias, gnomos, shifters (espero q vários tipos e não só os do MManual) e meio-orcs.
    Aparentemente surgirão os Heritage feats que já tem na Dragon de janeiro, q modificam seus poderes at-will. Pra meio-elfo e multiclasses paragon é maravilhoso.
    Eu já testei, das classes acimaa, num jogo one-shot: warden, druida, bardo e feiticeiro.
    um brother meu jogo de bárbaro (já q tem um build até nível 30) meio-elfo numa mesa em q jogo de ruthless ruffian drow (build de ladino do Martial Powers, divertidíssima).
    O pessoal não gostou muito do bardo (apesar de terem gostado da barda cheerleader rsrs), embora eu tenha achado normal. Warden foi mal aproveitado na mesa pq a sugestão do build (não o build em si!) earthstrenght é bem capenga, os poderes diário e encontro são horríveis.

Deixe sua opinião

FIFA 09 revelado!

HQ alemã tenta evitar Extremismo Islâmico