em ,

Crítica de O Que Aconteceria Se… O Mundo Perdesse Seus Heróis Mais Poderosos?

Já estamos no terceiro episódio de What If …? a nova série de animação da Marvel Studios que nesta ocasião nos apresenta o que está mais próximo e ao mesmo tempo mais distante do UCM.

O que queremos dizer com isso? Porque o terceiro episódio é uma recapitulação dos acontecimentos dos primeiros filmes do Universo Cinematográfico da Marvel, como um grande desvio para o final do episódio.

 

Análise

A Marvel continua explorando em sua série as possibilidades infinitas e desta vez se propõe a nos perguntar o que aconteceria se os Vingadores fossem eliminados da face do planeta. O episódio começa com o personagem interpretado pelo grande Samuel L. Jackson e Natasha Romanoff agora interpretado pela atriz Lake Bell, que planejam recrutar para a tal iniciativa de Fury. E assim, conhecemos esse novo universo, aqui Nick Fury não conseguiu lançar a Iniciativa Vingadores, pois seus possiveis recrutas estão sendo mortos em circunstâncias mais do que estranhas

Embora brevemente, o episódio torna-se um passeio pela memória do UCM, passando por cenas de Homem de Ferro 2, Thor e O Incrível Hulk. Cada cenário muda seu curso respectivo quando cada um termina com um final misterioso e trágico para os protagonistas de seus respectivos filmes.

Curiosamente, no caso de Hulk, a Marvel Studios aproveitou a oportunidade para resolver um de seus problemas de continuidade mais óbvios e, ao visitar uma curta sequência do filme de 2008, sutilmente muda o Bruce Banner de Edward Norton e o substitui por Mark Ruffalo que embora tenha apenas algumas falas, é o mais próximo que teremos do ator para interpretar seu personagem desde a introdução do mesmo ao MCU.

What if… E se..


A série continua a demonstrar o valor da proposta, episódio a episódio, fazendo experiências com o seu universo e os personagens, já vimos no último episódio, que embora mal justificado, o conceito de T’Challa assumindo o papel de Senhor das Estrelas e mudando positivamente o estado da galáxia e o papel que vários personagens já conhecidos tinham dentro do UCM.

O terceiro episódio nos oferece algumas ideias mais interessantes e o que “aconteceria se” com alguns personagens se tivessem um destino diferente e a história se desenvolvesse de outras formas que embora possa ser absurda, não parece algo que não pudesse ser desenvolvido dessa forma. .

Embora o episódio continue a tradição de uma dublagem não tão boa às vezes, há outros que dão certo e também é bom saber que o estúdio tenta manter as vozes originais de personagens importantes do momento como Samuel L. Jackson, Tom Hiddleston, Mark Ruffalo e outros.

Outro aspecto a destacar no episódio é o fato da abordagem discreta para um gênero que até então havia sido alheio ao MCU e esse é o mistério, que embora não navegue tanto em si pelo suspense, é sustentado por elementos. como um assassinato e um Eu suspeito que embora não apareça nenhuma ideia incrível e inovadora, é uma boa surpresa ver o grande espaço de experimentação que What If…? pode propor.

Uma história que merece mais desenvolvimento

São conexões que nos ganham, situações que a Marvel Studios parecem adorar. Embora a ideia de realizar o UCM sem seus ” fundadores” seja algo que os mesmos filmes estão gradualmente explorando com a saída do Homem de Ferro, Capitão América, Viúva Negra e que sabemos que também acontecerá com seus personagens Os personagens restantes, tirando aqueles que poderiam ser importantes em um estágio inicial da história, apresentam um cenário totalmente diferente.

Vale a pena explorar? Acreditamos que sim, mesmo com a natureza narrativa de What If …?, é improvável que muitos, senão que algum vá mais além desta primeira temporada. No caso desse terceiro episódio, mesmo com o efeito causado pela perda de alguns protagonistas, apresentando uma realidade muito diferente para personagens como Nick Fury, Loki, etc, um bom cliffhangers, não parece a intenção de continuar com essa narrativa, pelo contrário, como a maioria dos episódios da série, será um experimento.

Mas fica o desejo de continuidade…

Veredito

Enquanto os episódios anteriores são baseados em aspectos de um filme ou da história do Universo Cinematográfico da Marvel, este novo episódio se concentra em momentos-chave da primeira fase do UCM e se baseia neles, modificando o propósito de seus personagens. O Nick Fury de Samuel L. Jackson ganha enfim o protagonismo que merece e garantindo um espaço maior nos próximos filmes da Marvel.

Embora não seja a proposta mais chocante tanto para o UCM quanto para arcos semelhantes dos quadrinhos, What If… the World Lost Its Mightiest Heroes?  cumpre seu propósito e nos deixa um exemplo claro de como seria o agora aclamado universo do cinema se não tivesse suas primeiras estrelas.

Nota: Ótimo – 3,5 de 5 estrelas

Crítica de O Que Aconteceria Se… O Mundo Perdesse Seus Heróis Mais Poderosos?
3.5 / 5 Crítico
Avaliação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *