em

Excepcional, "Fargo" representa a continuidade da era de ouro da TV americana

A TV americana (reitero sempre que é, principalmente, a fechada) não só está – hoje – um patamar acima do cinema, como também anda expandindo os limites de sua própria sétima arte.
A série Fargo (canal FX) é sem a menor dúvida, uma das melhores atrações audiovisuais do ano. Sim, trata-se de um produto televisivo baseado no grande sucesso dos (gênios) Irmãos Cohen de 1996. O filme, uma comédia dramática de erros das mais eficazes, foi diluído numa série de dez episódios. E acredite, ficou bom demais.
A produção tem o dedo dos irmãos cineastas, mas é um trabalho do showrunner Noah Hawley. Sim, um trabalho de traços bastante reconhecidos, já que Fargo (filme e série) é a reverberação máxima do prisma da dupla de diretores. Mais até do que isso. É um emblema do universo Cohen. E isso sempre quer dizer que há boa dose de cinismo na transformação de um homem, de pastiche à modelo de crueldade e ego. E tudo banhado à doses gráficas de violência, e um irresistível tom nonsense.

martin-freeman-fargo

O roteiro extrai comicidade da amargura criando um sólido novelo entre seus personagens que estão, na verdade, sendo movidos por extremos. Tudo se desenvolve por consequência. Esse encadeamento é o grande barato de se acompanhar a história.
O excepcional ator britânico Martin Freeman traz não só credibilidade para o sublinhado arco dramático de seu papel, como cria uma notável humanidade nos absurdos da qual seu personagem vai se metendo para assim, ganhar a própria personalidade. Billy Bob Thornton, que anda sumido, é o exemplo de vilão perfeito: deixa para os maneirismos do olhar a personificação de seu papel.
Além de tudo, a série é um assombro na fotografia, que não desperdiça cena alguma e explora com o sadismo da trama as ambientações geladas do história. Enfim, Fargo é um exemplo de dramaturgia televisiva feita e para gente grande, onde a percepção dramática está atrelada a um universo muito próprio. Como é raro vermos isso na TV normalmente.
Ainda não se sabe se haverá um nova temporada – apesar do último episódio fechar um ciclo importante na história. Entretanto que seu legado seja mais forte que sua marca de exceção…
Para quem ainda não assistiu nem um capítulo, repare no nível desse trailer:
[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=vXfej6ekBZI[/youtube]

Participe com sua opinião!