em

Pérola dos anos 80/90, "Anos Incríveis" sairá em DVD

“Quando se é garoto, você é um pouco de tudo: cientista, filósofo, artista. Às vezes parece que crescer é desistir disso pouco a pouco”.

A adolescência é conhecida por todos que já passaram há muito, ou pouco, por ela como um período de grandes descobertas, grandes experiências e também dos conflitos internos e externos, primeira paixão, questionamento quanto a si mesmo em seu papel de indivíduo… Devido a toda essa gama de material a ser abordado, a adolescência é um tema constantemente abordado na literatura, nos folhetins, no cinema e nas séries de TV – embora, nos três últimos casos, nem sempre seja explorada de forma satisfatória, retratando o adolescente de forma estereotipada (idiota, alienado, obcecado por sexo) ou como um proto-adulto ridículo e inverossímil. Uma das abordagens mais bem realizadas na TV (talvez até A mais bem realizada) foi o seriado “Anos Incríveis“. Criado por Carol Black e Neal Marlens, exibido pela rede americana CBS entre 1988 e 1993, e no Brasil pela Rede Bandeirantes em 1995 (posteriormente em versão original com legendas no canal Multishow) chegará agora em DVD, mais de 20 anos depois de seu término.

Wonder Years” (no original) tratava das aventuras e desventuras de um típico adolescente de um subúrbio norte americano, narradas por ele mesmo, já adulto, com voz em off. Estrelado por Fred Savage na pele do personagem Kevin Arnold (a voz, em off, do personagem adulto narrando a história é de Daniel Stern) e Josh Saviano como seu melhor amigo Paul Pfeiffer (aquele que, segundo a lenda urbana, seria o Marilyn Manson quando guri),  o seriado tratava com sensibilidade e inteligência de temas decorrentes da adolescência, tais como amizade, escola, primeira vez, primeiro emprego, problemas envolvendo o amadurecimento, só que de forma muito mais profunda e humana do que séries daquele período, como a “Parker Lewis” (que mostra um adolescente estereotipado) e a superficial “Barrados no Baile“. A produção ainda contava com um elemento diferenciador, responsável por metade do charme e relevância do seriado: tinha como pano de fundo a conturbada segunda metade dos anos 60; a América atolada no Vietnã, a corrida espacial, a liberação feminina, o movimento hippie e a trilha sonora, que trazia o melhor do pop-rock da época,  funcionava como mais um personagem, e já dizia a que vinha na abertura embalada pela versão de Joe Cocker para “With a Little Help From My Friends” dos Beatles.

the-wonder-years1

A trama se passava exatamente 20 anos antes de cada respectiva temporada, assim sendo, a primeira temporada se passava em 1968 e a última em 1973. Ao longo das temporadas é possível observar o crescimento e o amadurecimento dos personagens – algo raro nas séries de tv daquela época. Kevin se envolve cada vez mais com Winnie (Danica McKeller), sua grande paixão de infância, a estrutura familiar dos Arnold começa a ser alterada perdendo os ares de família americana perfeita do início da série: Norma (Alley Mills), mãe de Kevin, aproveita o ensejo da liberação feminina e resolve arrumar um emprego, deixando a família, principalmente o marido Jack (Dan Lauria), com cara de tacho; a irmã de Kevin, Karen (Olivia d’Abo), vira hippie e vai morar com o namorado doidão e Wayne (Jason Harvey), o irmão implicante, se alista nas forças armadas junto com um amigo que posteriormente é convocado para lutar no Vietnã e morre, fato que faz Wayne refletir sua opção de carreira.

O perfeito trabalho de construção e desenvolvimento de personagens criou um protagonista crível que gera identificação e empatia, tanto pelas características quanto pelas situações em que nós homens podemos visualizar com nitidez fatos ocorridos em nossas vidas, principalmente no que tange às garotas. Alguns episódios eram realmente tocantes, como o da formatura da nona série, o do professor de matemática – matéria na qual Kevin era uma negação – que falece no dia em que aplicaria a prova final (na qual o protagonista se redime tirando uma boa nota). A série ganhou, merecidamente, vários prêmios Emmy, e foi aclamada pelo público em geral, mostrando que é possível ser inteligente e acessível, e que quando o público é tratado com respeito isso é imediatamente reconhecido.

A previsão é que “The Wonder Years: The Complete Series” saia no segundo semestre, nos EUA. A distribuidora StarVista Entertainment/Time Life, conhecida por coleções de DVDs de séries como “Agente 86, fez o anúncio do lançamento na última terça. O que teria inviabilizado o lançamento da série em DVD até hoje era a necessidade de garantir os direitos de cada uma das músicas que compunham a vasta trilha sonora dos episódios ao longo das cinco temporadas. Segundo a distribuidora, o box virá repleto de extras. Um presente e tanto para os fãs.

Participe com sua opinião!