em

7 Filmes Clássicos Infantis

Aproveitando a proximidade do Dia das Crianças, me peguei pensando nessa época boa da vida. Com isso, pipocaram a mente inúmeras lembranças, incluindo filmes que mais assistia naquele tempo. Sempre vivia grudada a televisão, fosse filmes na tv ou no videocassete. Por isso criei essa lista de saudosos filmes que fizeram minhas tardes e minha infância muito mais feliz.

07 – Convenção das Bruxas

The-Witches

Não poderia começar de um jeito melhor. Quer coisa mais assustadora para uma criança do que ser transformada em rato e ainda descobrir que existem milhares de bruxas pelo mundo? Luke é um garotinho comum que vive somente com a sua avó. Juntos, eles vão passar alguns dias num hotel e descobrem que todas as bruxas estão lá também para uma convenção. A chefona, interpretada pela incrível Angelica Houston, tem planos bem malignos para acabar de vez com todas as crianças do mundo. Ela só não contava com a astúcia de Luke, que mesmo transformado em rato, enfrenta as narigudas. A maquiagem é nojenta e sensacional ao mesmo tempo. Tenho arrepios até hoje.

06 – O Jardim Secreto

the_secret_garden_still_0

Filme meio profundo para crianças. A ideia de passear em um castelo enorme e cheio de segredos era maravilhosa (aí veio Harry Potter e a coisa tomou outra proporção). Mary é orfã e vai morar com o Tio em um enorme castelo. Ela só tem a companhia dos empregados e acaba se entendiando, indo percorrer a propriedade até encontrar um antigo jardim abandonado. Seu primo Colin também vive na casa, mas ele tem a saúde debilitada e não deixam Mary chegar perto. Determinada a mudar as coisas por ali, Mary luta para fazer seu primo melhorar e para que juntos possam restaurar o jardim que era de sua tia. Ótimo filme para aprender a lidar com a morte e que de algum jeito a vida continua seguindo em frente. A locação é algo espetacular.

05 – E.T. – O Extraterrestre

THOMAS

Tanraantanranranranran. Entenderam? É a música principal. Apesar de não ser lá muito fã de aliens no geral (morro de medo), E.T. é um daqueles filmes que todos assistimos quando criança e que sabemos as falas de cor e salteado. E.T. telefone casa, a Drew Barrymore novinha vestindo-o de menina, a cena da bicicleta no Halloween, os sapos que Elliot solta na aula de biologia… todo mundo lembra disso. O mais estranho é notar anos mais tarde que Elliot não fica doente por causa da amizade entre eles, mas que sim, o E.T. estava sugando a energia dele para poder sobreviver. O que obviamente não estava adiantando. Estão vendo? Mesmo fofinho, causando mal… não gosto mesmo de aliens.

04 – O Milagre Veio do Espaço

batt

Continuando lá longe no Espaço, lembrei desse fofíssimo filme com a Jessica Tandy. Esses sim são aliens ok. Pequenas naves que caem na Terra, indo parar justamente num prédio condenado pela Prefeitura, onde seus moradores se recusam a sair de lá. Entre eles está Faye, uma simpática senhora que sofre de Alzheimer e tem uma lanchonete ao lado do prédio com seu marido Frank. As naves vão chegar para ajudar a todos e melhorar o astral no lugar. A surpresa chega quando eles descobrem que as naves, são um casal e que a “nave-mãe” está grávida e, eventualmente, dá a luz a três pequenas naves que aumentam ainda mais a confusão. Tudo isso só serve para unir ainda mais seus moradores e dar-lhes forças para enfrentar a empreiteira que deseja derrubar o prédio, incluindo um mal caráter chamado Carlos.

03 – Mary Poppins

mary_poppins_1964_9

Supercalifragilisticexpialidocious. Quem não gostaria de ter uma babá igual a Mary Poppins? O filme é um daqueles musicais que são legais sem serem massivos. Mary Poppins ensina às crianças a serem crianças, suas obrigações, e em como se divertir com um pouco de magia. Além de também mostrar aos pais que nem tudo é só dever o tempo inteiro. O mais legal é uma outra visão que se pode ter andando no seu bairro ou rua, e em como com um pouco de imaginação, tudo vira brincadeira, incluindo um desenho na calçada. Ajudou a enxergar que quanto mais rápido você fazia seu dever de casa, mais tempo sobrava para brincar. O que queria mesmo era poder entrar num dos meus desenhos. E, obviamente, Julie Andrews dispensa qualquer comentário.

02 – Nós Somos os Campeões

MSDDETW EC002

Emilio Estevez (que é muito melhor ator que seu irmão, mas não tanto quanto seu pai) me ensinou o que era o Hockey. Talvez por não praticar nenhum esporte, aprecio o esforço de quem se dedica a ele. E ver um grupo de garotos excluídos ganharem um importante prêmio e depois acabarem se tornando o time de Hockey Juvenil dos Estados Unidos, não é pouca coisa. E, claro, aprender que nada na vida vem tão fácil assim, e que cair, quebrar, curar e levantar são etapas normais na vida. Tudo embalado ao som de Queen, para deixar ainda melhor.

01 – Querida, Encolhi as Crianças

Honey-I-Shrunk-the-Kids

Um cientista cria uma máquina para encolher objetos e seus filhos são atingidos, se tornando menores até do que formigas, indo viver uma incrível aventura no quintal de casa. Pronto. Prato cheio para a imaginação de uma criança. O cenário é sensacional com tudo incrivelmente aumentado e as crianças beeem pequenas. Afinal, quem não gostava de conduzir pequenas experiências, ficava observando os insetos e fazia perguntas que nossos pais não sabiam responder? Principalmente sobre coisas científicas. Rick Moranis (que aliás, por andará ele??) fez muitos filmes marcantes na época, incluindo a sequência “Querida, Estiquei o Bebê”, “Pequeno Grande Time”, “Pequena Loja de Horrores”, e agora está aposentado, o que é uma pena. Viva a Disney!

Essa foi a minha lista saudosa lá da infância. E você? Algum desses filmes te marcou também? Ou tem algum outro que você se lembra mais?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um comentário