em ,

UauUau CurtiCurti TopTop

Um olhar para Feiticeiro de Aluguel: A Serviço de Exu, de Jean Gabriel Álamo

Para conseguir resumir em uma única palavra o trabalho de Jean Gabriel Álamo, podemos colocar como profílico, dado o seu trabalho em diversos gêneros e por sua capacidade de interagir com o público em várias mídias.

Este mineiro de Juiz de Fora, ainda desconhecido do grande público, tem muito o que mostrar. Ficção Científica, Fantasia Urbana, Terror, Horror Cósmico e Suspense são gêneros que já tiveram em suas narrativas. Seu estilo é traçado pelo humor sombrio, uma ironia crua, sem distorções e com toques de um realismo crítico, que se torna sua marca pessoal. Sua veia irônica se mesclam com suas profundas críticas ao entorno brasileiro.

No entanto, entre seus contos e romances, nos concentraremos no livro Feiticeiro de Aluguel: A Serviço de Exu. Uma Fantasia Urbana sombria que apresenta um peculiar protagonista em um cenário totalmente brasileiro.

SINOPSE: Iago Lima é um bruxo que, mediante pagamento, resolve problemas sobrenaturais de outras pessoas. Mas, quando uma questão familiar traz à tona antigas feridas, Iago acaba se envolvendo numa complicada trama espiritual que envolve uma igreja evangélica, tráfico de drogas, um pacto profano, um terreiro de umbanda ameaçado, as vidas de sua irmã e sobrinho, uma tulpa suicida e um artista que mistura suas obras com magia em meio a compulsões monstruosas…

Após contos menores, em Feiticeiro de Aluguel: Noite em Neon (2019), o autor amplia o universo de seu protagonista: um bruxo negro, carioca e bissexual que vende seus serviços como magista a quem precisa ter seus problemas resolvidos de forma sobrenatural.

Álamo encorpa sua narrativa acelerada, em 112 páginas de uma leitura ágil, mas denso pelos temas abordados, pelas críticas polêmicos e na violência explícita. Não há pudor, o autor desconcerta diretamente o leitor, sem cuspe e desnuda uma realidade sombria e subversiva, não recomendado para menores de 18 anos.

Sua narrativa inicia após um exorcismo em sua irmã que o leva a uma trama que envolve uma entidade tulpa, um pastor evangélico, um traficante e um terreiro de umbanda. A trama parece complexa, mas as relações entre seus personagens são narradas de forma brilhante, o que delinha bem a abordagem ácida que o autor usa. Temas como homofobia, homossexualidade, pedofilia, bissexualidade, intolerância religiosa, conflitos familiares entre outros são interpretados como em nossa realidade atualmente, sem delongas ou protelações.

A abordagem da magia é interessante, um sistema místico que combina quatro fatores: ; Consensualidade da realidade; Intenção; e Técnica. Cada fator é explicado e esmiuçado em meio a narrativa, sem ser prolixo. Assim, todas as religiões possuem a capacidade de praticar a magia, pastores, padres, mas sem efeitos especiais, tudo é construído com o olhar oculto da nossa realidade.

Um ponto mais importante do trabalho do autor é a brasiliedade na contrução de seus personagens, com sua profundidade, com características complexas, marginalizados na sociedade, ligados profundamente à narrativa e aos temas polêmicos, como no caso da abordagem ao personagem pastor pentecostal e sua intolerância religiosa.  Outro aspecto que podemos destacar, são as cenas pesadas, que não são desenvolvidas gratuitamente, cada uma estão lá, ligadas e comprometidas na narrativa e criam uma reflexão ao leitor.

Por fim, o que se apresenta em Feiticeiro de Aluguel confirma a capacidade do autor e destaco que Jean Gabriel Álamo tem muito mais pra mostrar com seu universo. Trabalho recomendadíssimo para quem gosta de literatura dark, bem insana, um misto de horror com fantasia urbana, com excessos que podem afastar aqueles leitores mais desavisados.

Nota: Excelente – 4 de 5 estrelas

Um olhar para Feiticeiro de Aluguel: A Serviço de Exu, de Jean Gabriel Álamo
4 / 5 Crítico
Avaliação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *