em

Abril cancela revista Playboy

Ainda não é oficial, mas os principais jornais do país já anunciaram a restruturação do grupo Abril e com ele o cancelamento de algumas revistas, entre elas a Contigo, Capricho e Playboy! Mesmo parecendo uma grande surpresa para muitos, o cancelamento da revista Playboy era questão de tempo. Com toda pornografia do mundo ao acesso de um ou dois clicks, que apelo a revista ainda guardava?

Talvez algumas pessoas acima dos trinta poderiam defender a parte dos artigos, mas se realmente existisse a revista estaria vendendo bem e tal notícia nem seria cogitada. É certo que  o mercado impresso está em crise faz anos e após os jornais, as revolução digital está tomando as revistas no mesmo modo que começa a enfrentar outras mídias. Ainda assim neste caso, pesou  o dinheiro de royalties da marca americana, “problema” este que não existe em outras revistas para o público masculino, como a própria VIP da Abril.

playboy-brasil-1-a-revista-do-homemNo Brasil a Playboy surgiu em 1975 com o título “A Revista do Homem” para evitar censura do regime militar e aquele velho papo do patriotismo. Com o governo Geisel em 1977 a editora abril conseguiu finalmente estampar o famoso selinho de coelho, e por fim em 1978 a revista pôde figurar com seu título oficial.

Nos anos 80 e 90 a modelo de capa da revista Playboy se tornava mês a mês um dos assuntos mais comentados no país, e por capricho do destino foi em 1999 que a revista atingiu seu auge, com as edições da Feiticeira e Tiazinha ultrapassando a marca de um milhão de cópias cada. Logo depois começaria uma longa queda com os anos 2000.

 

Pois é, não vai fazer falta mesmo. E não me entendam mal, de maneira alguma este texto pretende levantar qualquer bandeira. Mas quem realmente ainda se interessa para ver ex-BBBs posando religiosamente capa após capa em meio a alguns artigos interessantes? O que os velhos tubarões da imprensa não perceberam é que o mundo mudou e as pessoas querem a informação democratizada. Sejam fotos eróticas ou uma reportagem com Eike Batista, o conteúdo precisa ser compartilhado e infelizmente revistas em papel não oferecem tal serviço.

Nesta mesma semana caíram dois Gugu Liberato e a Revista Playboy – dois marcos de um velho mundo. Eu dou viva!

Fonte: Estadão

6 opinaram!

Deixe sua opinião!

Participe com sua opinião!