em

O problema da Virada Cultural de São Paulo é o mesmo que assola o Brasil

A Virada Cultural de São Paulo caminha para se tornar um dos maiores eventos da cultura viva do mundo, reunindo democraticamente milhões de pessoas ávidas por diversão e arte. Mas quem desbravou o maravilhoso evento noite adentro carrega no saldo aquela sensação de fim de feira.

Indo direto ao ponto, infelizmente, o que temos hoje em dia é uma carência enorme de caráter pela falta de respeito ao ser humano. E não estou falando do público presente, seja ele qual for, o buraco é bem mais embaixo (ou em cima, se preferir). No Brasil, como em tantos outros país, o grande governante dos homens é o dinheiro.

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Este ano estima-se que quatro milhões de pessoas estiveram na capital paulista participando da Virada Cultural, mas o governo da cidade destacou pouco mais de quatro mil policiais para promover a segurança – uma conta absurda que não bate com nossa realidade. Ainda é preciso adicionar à fórmula falta de lixeiras, má conservação de praças e iluminação pública, a tradicional truculência policial e consumo desenfreado de álcool de todo mundo que precisa do final de semana para extravasar as mazelas do cotidiano.

jovem-esfaqueado-durante-virada-cultural-2013

O resultado claro foi a sensação de falta de segurança acompanhada de arrastões, violência e até mortes durante o evento. Um reflexo da incapacidade das ‘autoridades’ em governar nosso país rumo a dias melhores, maquiado pelo momento de ascensão econômica que ofusca a direção tenebrosa que os políticos têm dado a nossa educação, saúde e segurança. E olha que a cartilha do pão e circo é bastante antiga, o que torna esse pastiche de sociedade ainda mais execrável.

Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!

Nada corrompe como o dinheiro. Do sociólogo de esquerda ao imigrante nordestino que também se tornaria presidente, ninguém parece se ver livre da velha máxima. E assim eventos culturais continuam sendo iniciativas isoladas enquanto as ruas das cidades ficam relegadas ao abandono e todo mundo frequenta os shopping centers.

shopping-center

Um cenário triste, ainda assim uma possibilidade de reflexão para cobrança individual e de nossos governantes, para que dias melhores nos aguardem com mais eventos culturais, mais arte, mais informação e educação. Esta é a verdadeira mensagem que quatro milhões de pessoas deixaram na capital paulista.

Números da Virada Cultural 2013 de São Paulo:

  • 900 atrações
  • 25 palcos
  • 4 milhões de participantes
  • 12 tumultos e arrastões
  • 28 prisões
  • 2 mortes

Deixe sua opinião