em

Adeus a Garry Marshall

Quando se pensa em comédias românticas contemporâneas, é impossível que Uma Linda Mulher não venha logo à mente. O filme não só transformou Julia Roberts na namoradinha da América e um dos maiores nomes de Hollywood como redefiniu o gênero que ganhou bastante popularidade naquela década de 1990. O responsável pelo feito foi o já saudoso Garry Marshall, que nos deixou na última terça-feira (dia 19 de julho) aos 81 anos, vítima de uma pneumonia. Estava casado com Barbara Sue Marshall desde 1963 e tinha três filhos e seis netos. Marshall nasceu Garry Kent Maschiarelli, em Nova York (NY), em 13 de novembro de 1934.

Formou-se em comunicação, com especialização em rádio, TV e produção de filmes, mas como sempre foi apaixonado por cinema, iniciou uma carreira como roteirista de esquetes de comédias para humoristas como Joey Bishop e Phil Foster em sua longa carreira de produtor, diretor e roteirista para TV, que inclui “Dick Van Dyke Show”, “Lucy Show”, a série “Happy days” e “Mork & Mindy”, estrelada por Robin Williams em 1978. Era conhecido por sua obsessão com basquete : em seu contrato muitas vezes havia uma cláusula que obrigava os estúdios a fornecer uma quadra de basquete próxima aos locais de filmagem.

garry-marshall

Marshall também atuou. Em seu currículo há 83 papéis, entre eles uma participação em “007 Contra Goldfinger” e pequenas aparições em filmes que dirigiu. Ele foi um mendigo a quem o personagem de Richard Gere pede informação em “Uma Linda Mulher” e um musicista em “Idas e Vindas de Amor”. Ele também tinha o hábito de colocar membros de sua família em pequenos papéis. “Em caso de dúvida , traga os parentes. O nepotismo é uma parte do meu trabalho”, dizia.

O sucesso de seus filmes se dava muito pelo timing de comédia à moda antiga, por mais contemporâneo que fosse o tema. Talvez o mais fora da curva tenha sido mesmo “O Amor é uma Grande Fantasia”, thriller de 1994, baseado no romance homônimo de Anne Rampling com algumas pitadas de erotismo (pegou uma censura R nos EUA). O cineasta fechou os anos 90 com uma reunião dos astros de seu maior sucesso, Julia Roberts e Richard Gere.

Com Julia Roberts durante as filmagens de "Uma Linda Mulher"
Com Julia Roberts durante as filmagens de “Uma Linda Mulher”

Nos anos 2000 seu maior êxito foi “O Diário da Princesa”, estrelado por Anne Hathaway e a eterna noviça rebelde Julie Andrews, atriz que ele considera a melhor experiência que já teve dirigindo alguém, pois, segundo ele, ela sabe atuar, cantar, e é uma dama que pode amaldiçoar com uma dicção perfeita.

Com Anne Hathaway, estrela de "Diário de Princesa"
Com Anne Hathaway, estrela de “Diário de Princesa”

Seus últimos filmes constituíram uma espécie de trilogia das datas comemorativas: “Idas e Vindas de Amor” (no original Valentine’s Day), de 2010, “Noite de Ano Novo” (New Year’s Eve), de 2011 e seu último filme “O Maior Amor do Mundo” (Mother’s Day), lançado em maio deste ano. Uma de suas frases era: “há muito mais vida para além do showbusiness”, o que até soa irônico (e provavelmente era) para um homem que dedicou toda a sua vida ao showbiz, como uma perfeita simbiose. Garry Marshall foi sem sombra de dúvidas um homem do showbiz.

Leia também:

25 fatos de Uma Linda Mulher que você desconhecia até agora

Participe com sua opinião!