em ,

Ambrosia Implora: “3 Mulheres”

Como todos bem sabem, necessitamos de dinheiro para sobreviver no mundo. Seja para comprarmos nossos bens de consumo necessários, seja para as futilidades. O mesmo serve para as grandes empresas, e, aqui, no caso, para as produtoras e distribuidoras de cinema, séries, discos etc. O que importa nos dias atuais é aquilo que dá lucro, fazendo com que certas obras sejam relegadas ao esquecimento.

E não estamos falando apenas de séries atuais que só passam nos EUA ou Europa e mal aparecem em nossos canais de TV pagos, ou filmes lançados décadas atrás, mas sim de filmes de fora do mercado americano e nacional, que perfazem 95% de tudo que passa em nossas salas de cinema e aparelhos de televisão. É com a intenção de literalmente se humilhar e implorar perante as distribuidoras e produtoras que esta coluna existe e iremos mostrar todas as razões pela qual tal produção deve ser posta à venda ou disponibilizada para o público interessado.

3women

Para começar, um filme de 1977, do fantástico diretor Robert Altman (Short Cuts, M.A.S.H., Assassinato em Gosford Park) foi uma daquelas empreitadas financiadas pelo sucesso estrondoso que a 2oth Century Fox teve com o lançamento de Star Wars. Como Altman já tinha até ali uma fama, a produtora abriu o caixa para o orçamento de 1.5 milhão de dólares e deixou ele fazer o filme como bem quis, sem sequer ter um roteiro finalizado. O resultado é que basicamente Altman fez o seu “Persona” (de Ingmar Bergman), com situações envolvendo as três mulheres do título de forma que leva o espectador a refletir a respeito de tudo aquilo que está sendo mostrado e criar suas próprias conclusões.

As interpretações de Shelley Duvall, Janice Rule e Sissy Spacek são maravilhosas, tanto que Duvall ganhou o premio de melhor atriz do festival de Cannes, porém, o fracasso de bilheteria e a baixa procura do mesmo no mercado de vídeos fez com que o mesmo fosse relegado ao esquecimento. O interessante é que Spacek havia acabado de fazer Carrie, e Duvall estrelaria em 3 anos o filme que basicamente iria acabar sua carreira como atriz: O Iluminado.

A produtora/distribuidora não tem qualquer intenção de lançar uma nova versão do mesmo alegando problemas em relação ao uso da trilha sonora usada originalmente no filme. Entretanto, é possível comprá-lo pela Criterion Collection nos sites americanos, inclusive em formato Blu-ray. É pedir demais que a Fox coloque à disposição do público aficionado em Cinema uma versão, pelo menos em DVD?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

One Comment

Pró Player

Publicado por J.R. Dib

GamerCinéfiloMusicólogo

Um seriado do “The Flash”?

Se espante com os gêmeos de François Brunelle